Show simple item record

dc.contributor.advisorFoerster, Luis A. (Luis Amilton), 1947-pt_BR
dc.contributor.authorBorba, Aline Mary, 1990-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Agronomiapt_BR
dc.date.accessioned2018-12-17T12:38:21Z
dc.date.available2018-12-17T12:38:21Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/58312
dc.descriptionOrientador: Dr. Luis Amilton Foersterpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Agronomia. Defesa : Curitiba, 21/02/2018pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p.31-35pt_BR
dc.description.abstractResumo: O feijão (Phaseolus vulgaris) é um dos mais tradicionais pratos da culinária brasileira e o quinto grão mais produzido no país. Dentre as plantas que competem com a cultura do feijoeiro, a língua-de-vaca (Rumex obtusifolius) é uma planta daninha bastante frequente na região sul do país. Os noctuídeos Spodoptera cosmioides e Spodoptera eridania são pragas polífagas que afetam diversas plantas. Além das culturas de interesse econômico, o gênero Spodoptera foi relatado se alimentando de plantas consideradas invasoras, fazendo com que a rotação de culturas não seja suficiente para diminuir a população deste lepidóptero devido à presença constante de plantas hospedeiras desta praga nas lavouras. A partir disso, para testar a hipótese de que os lepidópteros citados anteriormente conseguem completar seu desenvolvimento tanto em plantas de interesse econômico quanto em plantas daninhas, este trabalho objetivou avaliar em laboratório o efeito de duas cultivares de feijão e língua-de-vaca no desenvolvimento de S. cosmioides e S. eridania. Os experimentos foram conduzidos no Laboratório de Controle Integrado de Insetos (LCII), em câmara climatizada a 25 ± 1ºC, 60 ± 10% de umidade relativa e fotofase de 12 horas. Para o experimento de desenvolvimento de S. cosmioides e S. eridania em duas cultivares de feijão e língua-de-vaca foram individualizadas 45 lagartas recém-eclodidas para cada tratamento, às quais foram fornecidas folhas dos tratamentos diariamente. Avaliou-se o número e a duração dos ínstares, a duração dos estágios de larva, pré-pupa, pupa e o peso das pupas. Para a avaliação da preferência de S. cosmioides e S. eridania por duas cultivares de feijão e língua-de-vaca foram montadas arenas com um disco foliar de cada tratamento, equidistantes do centro, onde foi liberada uma lagarta de terceiro ínstar, totalizando 50 repetições para cada espécie. Todos os tratamentos possibilitaram o desenvolvimento das espécies de Spodoptera até a fase adulta. Em língua-de-vaca, o ciclo total de S. eridania foi menor. Para S. cosmioides, lagartas alimentadas em feijão preto se desenvolveram em menos tempo. Pupas macho de S cosmioides pesaram entre 0,420g e 0,256g e pupas fêmea entre 0,431g e 0,274g na língua-de-vaca e no feijão preto, respectivamente. Para S. eridania, pupas macho pesaram de 0,249 a 0,136g e fêmeas de 0,312 a 0,143g nos mesmos tratamentos. O número de ínstares variou entre cinco e sete para S. eridania, sendo a língua-de-vaca o único alimento que proporcionou o desenvolvimento larval em cinco ínstares. Para S. cosmioides, o número de ínstares variou entre seis e sete. O último ínstar foi o mais longo para ambas as espécies em todos os tratamentos avaliados. Houve preferência de S. cosmioides por folhas de língua-de-vaca a partir da segunda hora até a vigésima sexta hora de experimento. Spodoptera eridania demonstrou preferência alimentar por língua-de-vaca em todas as avaliações realizadas. Levando em consideração os resultados constatados nessa pesquisa, a línguade- vaca é um importante hospedeiro de S. eridania e S. cosmioides proporcionando a sobrevivência destas espécies. Palavras-chave: preferência alimentar, Phaseolus vulgaris, Rumex obtusifolius.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Bean (Phaseolus vulgaris) is one of the most traditional dishes of Brazilian cuisine and the 5th most produced grain in the country. Among the plants that compete with bean culture, the broad-leaved dock (Rumex obtusifolius) is a common weed in the southern region of the country. Spodoptera cosmioides and Spodoptera eridania are polyphagous pests that affect several plants. Besides the crops of economic interest, the genus Spodoptera has been reported feeding on weeds, making crop rotation not enough to decrease the population of this lepidopteran. To test the hypothesis that the lepidopteran mentioned above can complete their development on both plants of economic interest and weeds, this study aimed to evaluate in laboratory the effect of two bean cultivars and the broad-leaved dock in the development of S. cosmioides and S. eridania. The experiment was conducted in the Integrated Insect Control Laboratory (LCII), in an climatized room at 25 ± 1ºC, 60 ± 10% relative humidity and 12-hour photophase. For the experiment on the development of S. cosmioides and S. eridania in two bean cultivars and broad-leaved dock leaves, 45 newly hatched caterpillars were individualized for each treatment, to which leaves were supplied daily. The number, length of the instars, duration of the larval, pre-pupal and pupal stage and pupal weight were determined. In order to evaluate the preference of S. cosmioides and S. eridania for two cultivars of bean and broad-leaved dock, arenas with a leaf disc of each treatment were set up, equidistant from the center, where a third instar caterpillar was released, totaling 50 repetitions for each species. All treatments allowed the development of Spodoptera species until adulthood. In broad-leaved dock, the total cycle of S. eridania was shorter. For S. cosmioides, caterpillars fed on Gralha beans developed in less time. Male pupae of S cosmioides weighed between 0.420g and 0.256g and female pupae between 0.431g and 0.274g in broad-leaved dock and in Gralha bean, respectively. For S. eridania, male pupae weighed from 0.249 to 0.136g and females from 0.312 to 0.143g in the same treatments. The number of larval instars ranged from five to seven for S. eridania, with broad-leaved dock being the only food that provided larval development in five instars. For S. cosmioides, the number of instars ranged from six to seven. Preference was given by S. cosmioides for broadleaved dock leaves from the second hour to the twenty-sixth hour of experiment. Spodoptera eridania demonstrated broad-leaved dock feeding preference in all evaluations. Considering the results found in this research, the broad-leaved dock is an important host of S. eridania and S. cosmioides providing the survival of these species. Keywords: feeding preference, Phaseolus vulgaris, Rumex obtusifolius.pt_BR
dc.format.extent35 p. : il. (algumas color.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectPreferencias alimentarespt_BR
dc.subjectAgronomiapt_BR
dc.subjectFeijao - Doenças e pragaspt_BR
dc.subjectErva daninhapt_BR
dc.subjectSpodoptera eridaniapt_BR
dc.titleDesenvolvimento e preferência alimentar de Spodoptera cosmioides (Walker) e Spodoptera eridania (Cramer) (Lepidoptera: Noctuidae) em feijão e língua-de-vacapt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record