Show simple item record

dc.contributor.authorOrestes, Sther Garcia Ferreira, 1991-pt_BR
dc.contributor.otherFernandes, Ângela, 1967-pt_BR
dc.contributor.otherRosário Junior, Ademir Franco do, 1989-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Odontologiapt_BR
dc.date.accessioned2018-09-17T16:35:06Z
dc.date.available2018-09-17T16:35:06Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/57270
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Ângela Fernandespt_BR
dc.descriptionCoorientador: Prof. Dr. Ademir Franco do Rosário Juniorpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Odontologia. Defesa : Curitiba, 30/07/2018pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: O processo de identificação humana foi otimizado com a criação do manual de Identificação de Vítimas em Desastres em massa (DVI) proposto pela Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal). O presente estudo teve como objetivo verificar se os códigos odontológicos da Interpol, que foram propostos para investigação clínica na identificação humana, são detectados também nos exames radiográficos. A amostra foi composta por 200 exames, sendo 100 radiografias panorâmicas (RP) e 100 exames de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC). Os exames eram de indivíduos dos 18 aos 65 anos de idade e de ambos os sexos. Cada par de exames, uma RP e uma TCFC, foi obtido de um mesmo indivíduo em mesma data. A análise foi feita por um pesquisador calibrado, atribuindo um ou mais dos códigos a cada um dos 6.400 dentes observados nos exames. Para a análise estatistica utilizou-se o teste qui-quadrado, análise de correspondência múltipla e teste de Wilcoxon. Um total de 7.544 códigos foram gerados, sendo 3.758 observados nos exames de RP e 3.786 nas TCFC. Do total de 40 códigos odontológicos da Interpol, 14 não foram detectados. Observou-se em ambos os exames que para os dentes anteriores os códigos "dente presente" (PRE) e "aplicação ortodôntica fixa" (FOA) foram os mais frequentes. Nos dentes posteriores os códigos mais freqüentes foram PRE, "restauração da cor do dente" (TCF), "dente ausente" (MIS) e FOA. Não houve diferença estatisticamente significante entre os dois tipos exames para avaliação dos códigos (p=0,6939). Observou-se que em ambos exames houve associação entre os dentes 18, 28, 38 e 48 com os códigos "parcialmente eruptado" (ERU), "dente impactado" (IMV) e MIS. Conclui-se que, embora os códigos odontológicos da Interpol tenham sido propostos para investigação clínica podem ser detectados nos exames de RP e TCFC. Palavra-chave: odontologia forense; radiologia; identificação humanapt_BR
dc.description.abstractAbstract: The human identification process was optimized with the development of the Disaster Victim Identification guide (DVI) proposed by the Interpol. The present study had as objective verify if the Interpol dental codes, that were proposed for clinical investigation in the human identification process, also apply to the radiographic examinations. The sample consisted of 200 examinations, being 100 panoramic radiographs (PR) and 100 cone bean computed tomographies (CBCT). The sample was from individuals from both genders aging between 18 and 65 years. Each pair of exams, one RP and one CBCT, was obtained from the same individual on the same date. The analysis was made by a calibrated researcher, assigning one or more codes to each of the 6400 observed teeth in the exams. The chi-square test, multiple correspondence analysis and the Wilcoxon test were used for the statistical analysis. A total of 7,544 codes were generated, of which 3,758 were observed in the RP exams and 3,786 in the CBCT. Of the 40 Interpol dental codes, 14 were not detected. It was observed in both examinations that for the anterior arch the "tooth present" (PRE) and "fixed orthodontic appliance" (FOA) codes were the most frequent. In the posterior arch the most frequent codes were PRE, "tooth color filling" (TCF), "missing tooth" (MIS) and FOA. There was no statistically significant difference between the two types of exams to evaluate the codes (p = 0.6939). It was observed that in both examinations there was an association between teeth 18, 28, 38 and 48 with the "partially erupted" (ERU), "impacted tooth" (IMV) and MIS codes. It is concluded that, although the dental codes of Interpol have been proposed for clinical investigation, they can also be applied to the RP and CBCT exams. Keywords: forensic Dentistry; radiology; human identificationspt_BR
dc.format.extent63 p. : il. (algumas color.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectOdontologia forensept_BR
dc.subjectOdontologiapt_BR
dc.subjectRadiologiapt_BR
dc.titleAplicação dos códigos odontológicos da Interpol em radiografia panorâmica e tomografia computadorizada de feixe cônicopt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record