Show simple item record

dc.contributor.authorBortolini, Everton, 1992-pt_BR
dc.contributor.otherCamboim, Silvana Philippipt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Terra. Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicaspt_BR
dc.date.accessioned2018-10-09T14:21:14Z
dc.date.available2018-10-09T14:21:14Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/57095
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Silvana Philippi Camboimpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas. Defesa : Curitiba, 26/02/2018pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p.127-139pt_BR
dc.description.abstractResumo: Os assentamentos precários são espaços de informalidade, precariedade e vulnerabilidade social. Tais características resultam em carência de informação geográfica sobre estes espaços, um fator ainda mais crítico considerando-se a importância destes dados para a tomada de decisões vitais para a população local. Os processos de contra-mapeamento, como o Public Participation Geographic Information System (PPGIS) e Participatory Geographical Information Systems (PGIS) podem ser promotores da produção de mapas nos assentamentos precários. Além disso, atualmente os processos de mapeamento colaborativo, com a capacidade de interatividade da web 2.0, introduziu a informação geográfica voluntária (VGI), bem como as aplicações ligadas a tal conceito, ao universo do contra-mapeamento. Ao analisar as componentes que devem ser descritas para a entendimento, planejamento e execução de um processo de contra-mapeamento é possível fazer uso da Teoria Ator-Redes. Com a aplicação de tal teoria definiu-se componentes como as "pessoas", por meio dos "mediadores" e dos "cidadãos" da comunidade, bem como os "ambientes", "dispositivos" e "ferramentas" como atuantes do processo. Outras componentes são as "atividades" e as "informações" como traduções. A partir de um contexto de pesquisa que considerou a atuação de organização social, a TETO, na Região Metropolitana de Curitiba, e do uso da plataforma de mapeamento colaborativo OpenStreetMap, realizou-se a análise das componentes citadas. A metodologia aplicada foi a pesquisa-ação, da qual foram executadas as etapas exploratória, principal, de ação e de avaliação. A análise resultou em um conjunto de quadros e diagramas de ator-rede na etapa exploratória. Além disso, foram desenvolvidos cenários combinando os diagramas com viabilidade de execução na etapa principal, bem como proposto o modelo de trabalho com os cenários. Por fim, foram executados e avaliados os cenários e modelo de trabalho nas etapas de ação e de avaliação. Assim, o trabalho resultou em um modelo de trabalho que pode ser executado e ampliado em outras atividades de mapeamento colaborativo de assentamentos precários. Ressalta-se alguns pontos na conclusão do trabalho: o perfil educacional distinto entre os "mediadores" e "cidadãos" da comunidade para o uso dos "dispositivos" e "ferramentas"; o uso massivo de smartphones no espaço dos assentamentos precários; e a necessidade atrelar um objetivo ou projeto como motivador para o mapeamento. Além disso, é necessário a reaplicação das etapas da pesquisa-ação a fim de: entender o uso das "ferramentas" do OpenStreetMap pelos "mediadores" e "cidadãos" da comunidade; e entender as questões semânticas neste "ambiente". Para trabalhos futuros é fundamental avaliar a usabilidade das ferramentas de mapeamento colaborativo para facilitar a incorporação nos processos. Palavras-Chaves: Mapeamento colaborativo; Contra-mapeamento; Assentamentos precários; Teoria Ator-redes.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Slums are spaces of informality, precariousness, and social vulnerability. Such characteristics result in a lack of geographic information on these spaces, an even more critical factor considering the importance of these data for making vital decisions for the local population. Counter-mapping processes, such as Public Participation Geographic Information System (PPGIS) and Participatory Geographical Information Systems (PGIS) can be promoters of map production in precarious settlements. In addition, currently the collaborative mapping processes, with the interactivity capacity of web 2.0, introduced the voluntary geographic information (VGI), as well as the applications linked to this concept, to the universe of counter-mapping. When analyzing the components that should be described for the understanding, planning and execution of a counter-mapping process, it is possible to make use of the Actor-Networks Theory. When analyzing the components that should be described for the understanding, planning and execution of a counter-mapping process, it is possible to make use of the Actor-Networks Theory.,With the application of this theory, we defined components such as "people", through the "mediators" and the "citizens", as well as the "environments", "devices" and "tools" as actant. Other components are "activities" and "information" as translations. Based on a research context that considered the operation of the social organization TETO, in the Metropolitan Region of Curitiba, and the use of the platform of collaborative mapping OpenStreetMap, the analysis of the mentioned components was carried out.. The applied methodology was the action research, from which the exploratory, main steps of action and evaluation were performed. The analysis resulted in a set of frameworks and actor-networks diagrams of the actors and the translations between them in the exploratory stage. In addition, scenarios were developed combining the diagrams with the feasibility of execution in the main step, as well as the proposed working model with the scenarios. Finally, the scenarios and working model were executed and evaluated in the stages of action and evaluation. Thus, the work resulted in a working model that can be executed and extended in other activities of collaborative mapping of slums. Some points in the conclusion of the work are highlighted: the distinct educational profile between "mediators" and "citizens" for the use of "devices" and "tools"; the substantial use of smartphones in the area of slums; and the need to link an objective or project as a motivator for mapping. In addition, it is necessary to reapply the steps of the action research in order to: understand the use of OpenStreetMap "tools" by "mediators" and "citizens"; and understand the semantic issues in this "environment". For future work, it is fundamental to evaluate the usability of the collaborative mapping tools to facilitate incorporation into the processes. Keywords: Collaborative Mapping; Counter-mapping; Slums; Actor-network theorypt_BR
dc.format.extent145 p. : il. (algumas color.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectAssentamentos humanospt_BR
dc.subjectGeodesiapt_BR
dc.subjectMapeamento digitalpt_BR
dc.subjectTeoria Ator-Redept_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleTeoria ator-rede para definição do processo de geração de bases digitais de referência por meio do mapeamento colaborativo em assentamentos precáriospt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record