Show simple item record

dc.contributor.advisorAngelo, Alessandro Camargopt_BR
dc.contributor.authorPereira, Mariane de Oliveira, 1984-pt_BR
dc.contributor.otherOliveira, Luciana Magda dept_BR
dc.contributor.otherDobner Junior, Mariopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2018-08-02T17:09:36Z
dc.date.available2018-08-02T17:09:36Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/56897
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Alessandro Camargo Angelopt_BR
dc.descriptionCoorientadores: Prof.ª Dr.ª Luciana Magda de Oliveira, Prof. Dr. Mario Dobner Juniorpt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal. Defesa : Curitiba, 04/05/2018pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Silviculturapt_BR
dc.description.abstractResumo: Sequoia sempervirens é uma espécie com potencial de adaptação e bom desenvolvimento em áreas do Sul do Brasil. Possui ótimas características da madeira e onde cultivada apresenta bom desenvolvimento. Assim, o objetivo geral do estudo foi o resgate vegetativo, propagação clonal e plantio a campo de diferentes clones da espécie. O trabalho foi dividido em seis capítulos. No primeiro capítulo testou-se o resgate vegetativo de árvores a campo e o enraizamento das estacas advindas do resgate em diferentes épocas. O uso de anelamento ou semianelamento é eficiente para produzir brotações, sendo que o enraizamento de estacas apresenta bons resultados (média >65%) com grande diferença entre as matrizes. No capítulo dois o objetivo foi estabelecer um protocolo de propagação por miniestaquia. Miniestacas coletadas em porções apicais e com presença de folhas aciculares apresentam maior enraizamento além de melhorar o aspecto da muda formada. Para a seleção do melhor substrato deve-se observar o efeito clonal. O uso de AIB (1.000 a 2.000 mg L-1) pode ser uma alternativa para clones que apresentam baixo enraizamento (<50%) sem o uso de regulador. No terceiro capítulo o objetivo foi a aplicação e reaplicação de AIB em miniestacas coletadas de ramos mais maduros e o efeito de lesões e aplicação de AIB nos calos das estacas. O uso de 6.000 mg L-1 de AIB, reaplicado quinzenalmente, aumenta a porcentagem de enraizamento. Para as estacas não enraizadas em seis meses, o corte dos calos (ferimentos) proporciona melhoria no processo de enraizamento. No capítulo quatro objetivou-se testar diferentes ambientes de propagação (casa de sombra, casa de vegetação, estufim e casa de vegetação com nebulização intermitente - CVNI) e, em um segundo experimento, o efeito clonal nos dois ambientes mais favoráveis (estufim e CVNI) com acompanhamento do processo temporal de enraizamento. O estufim apresenta resultado semelhante a CVNI no processo de enraizamento, sendo superior a casa de sombra e casa de vegetação. Os variados clones testados no trabalho apresentam distintas velocidades de enraizamento, com este fato ocorrendo principalmente entre os 50 e 60 dias após a miniestaquia. O ambiente de enraizamento apresenta diferença no processo de enraizamento, sendo mais precoce na CVNI, mas com maior índice no estufim ao final da avaliação. No quinto capítulo avaliou-se o enraizamento de miniestacas de sequoia de diferentes clones nas quatro estações do ano utilizando o modelo logístico para estimar o momento de maximização do enraizamento. O menor enraizamento de miniestacas de sequoia foi obtido durante o inverno (85%). Já nas outras estações alcançou-se índices superiores a 90%. A propagação vegetativa de sequoia por meio de miniestaquia e enraizamento em estufim pode ser realizada em qualquer época do ano sendo dependente dos clones testados. No capítulo seis realizou-se a implantação de testes clonais de sequoia em duas regiões de Santa Catarina, buscando-se obter informações quanto à adaptação e crescimento dos diferentes clones nos locais de estudo. Mudas de sequoia implantadas em Campo Belo do Sul (região mais fria) apresentaram elevado dano por geada, sendo observada sobrevivência de apenas 2% do material após dois anos de implantação. Em contrapartida, na área de Arabutã (área mais quente) a sobrevivência foi superior a 80% aos 12 meses, com bom crescimento das mudas. Em geral, a propagação vegetativa de sequoia pode ser realizada com sucesso, com possibilidade de fixação de clones. Quanto a implantação, recomenda-se o plantio em novas áreas para maximizar as informações da espécie, principalmente no Sul do Brasil. Palavras-chave: silvicultura clonal. Estaquia e miniestaquia. Teste clonal. Efeito genético. Protocolo de enraizamento.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Sequoia sempervirens is a species with potential for adaptation and good development in areas of southern Brazil. It has excellent characteristics of the wood and where cultivated presents good development. Thus, the general objective of the study was the vegetative rescue, clonal propagation and field planting of different clones of the species. The work was divided into six chapters. In the first chapter we tested the vegetative rescue of trees in the field and the rooting of the cuttings that came from the rescue at different times. The use of girdling or semi-girdling is efficient to produce shoots and rooting of cuttings presents good results (mean> 65%) with large differences between the stock plants. In chapter two the aim was to establish a minicuttings propagation protocol. Minicuttings collected in apical portions and with presence of acicular leaves present greater rooting besides improving the aspect of the formed seedling. To select the best substrate, the clonal effect must be observed. The use of IBA (1,000 to 2,000 mg L-1) may be an alternative for clones that have low rooting (<50%) without the use of regulator. In the third chapter the objective was the application and reapplication of IBA in minicuttings collected from more mature branches and the effect of lesions and application of IBA on callus cuttings. The use of 6,000 mg L-1 of IBA, reapplied fortnightly, increases the rooting percentage. For cuttings not rooted in six months, cutting the calluses (wounds) improves the rooting process. In chapter four, the objective was to test different propagation environments (shade house, greenhouse, greenhouse and greenhouse with intermittent misting - GIN) and, in a second experiment, the clonal effect in the two most favorable environments (minitunnel and GIN) with monitoring of the temporal rooting process. The minitunnels presents similar results to CVNI in the process of rooting, being superior to shade house and greenhouse. The various clones tested in the work present different rooting speeds, with this occurring mainly between 50 and 60 days after minicuttings. The rooting environment presents a difference in the rooting process, being earlier in the GIN, but with a higher index in the minitunnels at the end of the evaluation. In the fifth chapter we evaluated the rooting of sequoia minicuttings of different clones in the four seasons of the year using the logistic model to estimate the time of maximization of rooting. The lowest rooting of sequoia minicuttings was obtained during winter (85%). In the other stations, rates of over 90% were reached. Vegetative propagation of sequoia by minicuttings and rooting in minitunnel can be performed at any time of the year and is dependent on the clones tested. In chapter six the implementation of clonal tests of sequoia in two regions of Santa Catarina (Brazil) was carried out, seeking information on the adaptation and growth of the different clones in the study sites. Cuttings implanted in Campo Belo do Sul (coldest region) presented high frost damage, with survival of only 2% of the material after two years of implantation. On the other hand, in Arabutã (warmer area) the survival was over 80% at 12 months, with good growth of the cuttings. In general, vegetative propagation of sequoia can be carried out successfully, with the possibility of clone fixation. Regarding the implantation, it is recommended the planting in new areas to maximize the information of the species, mainly in the South of Brazil. Key-words: Clonal forestry. Cutting and minicutting. Clonal test. Genetic effect. Rooting protocol.pt_BR
dc.format.extent226 p. : il. (algumas color.), tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectÁrvores - Propagaçãopt_BR
dc.subjectRecursos Florestais e Engenharia Florestalpt_BR
dc.subjectArvores - Propagação por estaquiapt_BR
dc.subjectClonagempt_BR
dc.subjectArvores - Melhoramento genéticopt_BR
dc.titleResgate, propagação vegetativa e crescimento inicial de Sequoia sempervirens (D. Don) Endl.pt_BR
dc.typeTese Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record