Show simple item record

dc.contributor.advisorPadial, André Andrianpt_BR
dc.contributor.authorAraújo, Elielton da Silvapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservaçãopt_BR
dc.date.accessioned2018-12-06T20:00:55Z
dc.date.available2018-12-06T20:00:55Z
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/55691
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. André Andrian Padialpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação. Defesa : Curitiba, 22/01/2018pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: As macrófitas aquáticas consistem no grupo biológico que incluem desde macroalgas até as angiospermas. Tal grupo apresenta grande importância ecológica, sendo consideradas importantes componentes estruturais dos ecossistemas aquáticos. A riqueza, composição e estrutura das comunidades de macrófitas aquáticas são determinadas pelos gradientes ambientais do ecossistema que estão inseridas. A descrição da resposta desta comunidade pode ser feita utilizando a identidade taxonômica e traços funcionais dos indivíduos registrados, resultando em um melhor entendimento dos mecanismos responsáveis pela community assembly. A dissertação apresentada teve como objetivo descrever a flora aquática do Rio Guaraguaçu, montar um guia ilustrativo das espécies ocorrentes, bem como analisar a variação espaço-temporal da composição taxonômica e funcional ao longo do gradiente longitudinal do rio em dois anos. O rio está localizado no leste do Estado do Paraná, dentro dos perímetros da Área de Proteção Ambiental de Guaratuba (APA Guaratuba). O material botânico coletado foi herborizado e depositado no Herbário da Universidade Federal do Paraná. A composição taxonômica e funcional da comunidade foi registrada em 16 bancos de macrófitas ao longo de todo o trecho navegável do rio. Tais bancos podem ser categorizados em relação a três diferentes áreas: i) alto impacto antropogênico, ii) baixo impacto e iii) manguezal. Em cada banco de macrófitas, as espécies foram registradas e 11 traços funcionais foram mensurados. Foram calculados os índices de diversidade taxônomica e funcional, bem como a contribuição relativa da variação inter e intraespecífica dos traços para descrever a variação espaço-temporal na variação na organização das comunidades de macrófitas. Foram registradas 47 espécies, representandes de 37 gêneros e 28 famílias botânicas. Foi verificada uma constante e significativa variação espacial na comunidade. Os índices de diversidade das áreas de alto e baixo impacto antropogênico não difereriram entre si e foram significativamente maiores do que os da área de mangue. Porém, a composição taxonômica e funcional da comunidade foi dependente do nível de impacto antropogênico. Houve relação positiva entre a riqueza de espécies e os índices de diversidade funcional, mas não foi evidenciada redundância funcional. A variabilidade intraespecífica dos traços funcionais é o que principalmente determina a riqueza funcional. É evidente que o inventário florístico demonstra uma riqueza expressiva de macrófitas aquáticas e pode contribuir para criação de políticas públicas, uma vez que o rio está inserido numa área prioritária para conservação da biodiversidade. Além disso, o estudo enfatiza a importância das métricas de diversidade funcional, bem como a utilização da variabilidade intraespecífica para o melhor entendimento dos mecanismos de montagem de comunidades de macrófitas aquáticas. Por fim, evidenciamos a baixa variação temporal em um ecossistema altamente dinâmico, no qual a comunidade é fortemente afetada por filtragem ambiental relacionada à salinidade e aos impactos antropogênicos. Palavras-chave: Plantas aquáticas; variação espaço-temporal; litoral do Paraná; heterogeneidade ambiental; traços funcionais; composição taxonômica e funcional.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The biological group of aquatic macrophytes includes from macroalgae to angiosperms. This group is of high ecological importance, being considered as important structural components of aquatic communities. The richness, composition and structure of the aquatic macrophytes communities can be altered by environmental gradients of the ecosystem where they are inserted. The description of the response of this community to the environmental gradients can be made using the taxonomic identity and functional traits of the registered individuals, resulting in a better understanding of the responsible mechanisms for the community assembly. The present dissertation aimed to describe the aquatic flora of the Guaraguaçu River, to create an illustrative guide of species, as well as to analyze the spatial and temporal variation of the taxonomic and functional composition along the longitudinal gradient of the river in two years. This river is located on the coast of the Paraná State, within the perimeters of the Guaratuba Environmental Protection Area (APA Guaratuba). The collected botanical material was herborized and deposited in the Herbarium of the Federal University of Paraná. Taxonomic and functional composition of the community were recorded in 16 macrophyte beds along the whole navigable stretch of the river. This can be categorized in relation to three different areas: i) high anthropogenic impact, ii) low impact and iii) mangrove. In each macrophyte bed, species were recorded and 11 functional traits were measured. The taxonomic and functional diversity indexes, as well as the relative inter- and intraspecific contribution of traits, were measured to describe the spatio-temporal variation in the organization of macrophyte communities. There were 47 species, representing 37 genera and 28 botanical families. There was a constant and significant spatial variation in the community. The diversity indexes of the areas of high and low anthropogenic impact did not differ among themselves and were significantly higher than those of the mangrove area. However, the taxonomic and functional composition of the community was dependent on the level of anthropogenic impact. There was a positive relationship between species richness and functional diversity indexes, but no functional redundancy was evidenced. The intraspecific variability of the functional traits is what mainly determines the functional richness. Therefore, it is evident that the floristic inventory shows an expressive richness of aquatic macrophytes and can contribute to the creation of public policies, since this river is included in a priority area for biodiversity conservation. In addition, the study emphasizes the importance of functional diversity metrics as well as the use of intraspecific variability for a better understanding of the mechanisms of aquatic macrophyte community assembly. Finally, we show the low temporal variation in a highly dynamic ecosystem, in which the community is strongly affected by environmental filtration related to salinity and anthropogenic impacts. Key-words: Aquatic plants; spatiotemporal variation; Paraná coast; environmental heterogeneity; functional traits; taxonomic and functional composition.pt_BR
dc.format.extent105 p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectPlantas aquaticaspt_BR
dc.subjectEcologiapt_BR
dc.subjectEcologiapt_BR
dc.subjectRiospt_BR
dc.titlePadrões ecológicos e prováveis determinantes da comunidade de macrófitas aquáticas em um rio subtropical de marépt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record