Show simple item record

dc.contributor.authorFaria, Laiza Cabral dept_BR
dc.contributor.otherDomenico, Maikon Dipt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Centro de Estudos do Mar, Curso de graduação em Oceanografia.pt_BR
dc.date.accessioned2018-05-10T20:24:25Z
dc.date.available2018-05-10T20:24:25Z
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/55501
dc.descriptionMonografia (Graduação) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Centro de Estudos do Mar, Curso de graduação em Oceanografia.pt_BR
dc.description.abstractResumo: Estimar a diversidade marinha é uma tarefa desafiadora. Mais de 250 anos após Lineu começar a descrever a diversidade marinha, é estimado que mais de 70% das espécies ainda não foram descritas. Essa missão é ainda mais difícil para a meiofauna, devido ao seu pequeno tamanho, ao tempo requerido para o estudo desta comunidade polifilética e à necessidade de taxonomistas treinados em cada grupo. Ferramentas moleculares começaram a ser utilizadas com o intuito de facilitar essa missão, mas ainda há limitações por serem uma técnica recente. Neste trabalho utilizamos o gene 18S para sequenciar a meiofauna marinha de uma planície de maré de uma baía subtropical. Em 13 amostras foram encontrados 11 filos, com dominância de Nematoda. O comportamento assimptótico da curva de rarefação indicou que 13 amostras foram suficientes para acessar a diversidade total da área estudada (0,12 km2 ). Quando os resultados da riqueza e composição da fauna obtidos por metabarcoding e morfologia foram comparados, os padrões de diversidade encontrados foram similares, mas a composição de gêneros foi diferente. A distribuição da diversidade foi significativamente correlacionada com a porcentagem de areia média, o grau de seletividade do sedimento e a concentração mínima de bactérias. O metabarcoding se mostrou uma ferramenta útil e eficiente para explorar a diversidade, porém com incompatibilidades na identificação da maioria dos gêneros. O aumento do número de sequencias depositadas em banco de dados virtuais e a construção de livrarias especificas para a área são requisitos essenciais para o aumento da robustez dos dados de diversidade obtidos por metabarcoding. Nosso estudo também enfatiza a necessidade de integrar abordagens moleculares com identificação morfológica e taxonômica para a construção de livrarias. Palavras-chave: 18S; Ecologia de comunidade; Baía do Araçá; Ecologia bêntica; Canal de São Sebastiãopt_BR
dc.format.extent35f. : Tabs., grafs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languageInglêspt_BR
dc.subjectDiversidade biológica - Ecologia marinha - Brasilpt_BR
dc.subjectEcologia marinha - Brasilpt_BR
dc.titleMetabarcoding as a tool to estimate the meiofaunal diversity in a tidal flatpt_BR
dc.typeMonografia Graduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record