Show simple item record

dc.contributor.advisorRoderjan, Carlos Vellozopt_BR
dc.contributor.authorMilani, Jaçanan Eloisa de Freitaspt_BR
dc.contributor.otherKersten, Rodrigo de Andradept_BR
dc.contributor.otherGalvão, Franklinpt_BR
dc.contributor.otherAmano, Erikapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2018-02-06T20:09:58Z
dc.date.available2018-02-06T20:09:58Z
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/52617
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Carlos Vellozo Roderjanpt_BR
dc.descriptionCoorientador : Prof. Dr. Rodrigo de Andrade Kersten; Prof. Dr. Franklin Galvão; Profª. Drª. Erika Amanopt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal. Defesa: Curitiba, 12/02/2017pt_BR
dc.descriptionInclui referências ao final de cada capítulopt_BR
dc.description.abstractResumo: Embora estudos fenológicos sejam importantes para o entendimento da interação de espécies arbóreas dentro de uma comunidade florestal, raros são os que envolvem monitoramento de longo prazo, agravados por um conjunto de dados ambientais muito restritos para explicar os padrões observados. Dados fenológicos podem ainda ser combinados com informações sobre a formação anual da madeira (atividade cambial) e o incremento diamétrico das espécies, fornecendo importantes direcionamentos para elucidar diversas questões que ainda persistem acerca da história de vida das plantas. O primeiro capítulo, intitulado "Phenology and tree radial growth of Schinus terebinthifolius, throughout a 5-year period, in hydromorphic soil environment", apresenta um estudo experimental sobre a relação entre a fenologia e o crescimento radial de Schinus terebinthifolius ao longo de um período de cinco anos. Deste capítulo concluise que o incremento de diamétrico está intrinsecamente relacionado à fenofase de floração. Aparentemente, não há demanda conflitante de recursos, mas uma distribuição otimizada deles, regulada principalmente pela alocação de nutrientes derivados da senescência foliar, bem como, aumento de temperatura e fotoperíodo. O segundo capítulo, intitulado "Comportamento fenológico de espécies vegetais arbóreas, nativas e exóticas, em ambiente aluvial: um estudo de longa duração", busca apresentar informações sobre o comportamento fenológico de duas espécies autóctones e duas espécies alóctones durante cinco anos, buscando estabelecer relações entre a fenologia dessas espécies. Espécies exóticas, em clara estratégia de nicho vago, tiveram seus picos fenológicos em períodos em que a expressão das espécies nativas não era tão intensa. Identificou-se também que as espécies exóticas optam por expressar suas fenofases reprodutivas em condições térmicas coincidentes com o aumento das temperaturas. De forma geral, o fotoperíodo e as temperaturas mínimas foram os principais fatores a influenciar as fenofases, enquanto a precipitação não apresentou relação com as fenofases. O terceiro capítulo, "Crescimento radial, atividade cambial e fenologia de espécies arbóreas de uma floresta subtropical no Sul do Brasil", investiga a relação do incremento diamétrico e da atividade cambial com o comportamento fenológico das espécies, buscando responder que variáveis meteorológicas e fenológicas influenciam no incremento diamétrico e que variáveis fenológicas têm relação com a atividade cambial dessas espécies. Os resultados apontam que as quatro espécies monitoradas têm seu incremento diamétrico fortemente influenciado pelas variáveis meteorológicas temperatura média, temperatura mínima, temperatura máxima e fotoperíodo. Não foi detectada influência da precipitação no incremento diamétrico. Parte do incremento diamétrico de duas espécies também foram explicadas por influência das fenofases. Para G. klotzschiana, folha madura, folha senescente e fruto imaturo; e para H. dulcis, folha madura, folha senescente e fruto maduro. A atividade cambial é sazonal, sendo identificados períodos de atividade e inatividade nas quatro espécies. A atividade do câmbio ocorre principalmente na primavera e no verão. O quarto capítulo, "Variação inter-anual no comportamento fenológico de duas espécies arbóreas em Floresta Aluvial", procura averiguar possíveis alterações no comportamento fenológico de duas espécies em função das variações meteorológicas. Os resultados sugerem que as espécies apresentam comportamento fenológico semelhante durante os anos, porém foram detectadas variações na intensidade das fenofases entre os anos analisados, podendo ser resposta das variações de temperatura e precipitação. Com os dados de correlações obtidos entre as fenofases e as variáveis meteorológicas, foi possível concluir que diferentes sinais meteorológicos são sentidos pelas plantas para expressar suas fenofases. Ao que tudo indica, há uma tendência de as temperaturas serem importante fatores que influenciam as fenofases, mas que o período de monitoramento pode também regular esses fatores. Palavras-chave: Atividade cambial; fotoperíodo; incremento diamétrico; espécies nativas; espécies exóticas invasoras.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Although phenological studies are important for the understanding of the interaction of tree species within a forest community, rare are those that involve long-term monitoring, aggravated by a set of very restricted environmental data to explain the observed patterns. Phenological data can also be combined with information on the annual formation of wood (exchange rate activity) and the diametric increase of the species, providing important directions to elucidate several questions that still persist about the life history of plants. The first chapter, titled "Phenology and tree radial growth of Schinus terebinthifolius, throughout the 5-year period, in hydromorphic soil environment", presents an experimental study on the relationship between phenology and radial growth of Schinus terebinthifolius over a period of five years. From this chapter we conclude that the diameter increment is intrinsically related to the flowering phenophase. Apparently, there is no conflicting demand for resources, but an optimized distribution of them, regulated mainly by the allocation of nutrients derived from leaf senescence, as well as, temperature and photoperiod increase. The second chapter, entitled "Phenological behavior of native and exotic tree species, in an alluvial environment: a long-term study", seeks to present information about the phenological behavior of two native species and two allochthonous species during five years, seeking to establish relationships between the phenology of these species. Exotic species, in clear vague niche strategy, had their phenological peaks in periods when the expression of native species was not as intense. It was also identified that the exotic species choose to express their reproductive phenophases under thermal conditions coincident with the increase in temperatures. In general, the photoperiod and the minimum temperatures were the main factors influencing the phenophases, whereas the precipitation was not related to the phenophases. The third chapter, "Radial growth, activity cambium e and phenology of tree species of a subtropical forest in the South of Brazil", investigates the relation of the diametric increase and the exchange rate activity with the phenological behavior of the species, trying to answer that the meteorological and phenological variables influence In the diametric increase and that phenological variables are related to the activity cambium of these species. The results indicate that the four species monitored have their diametric increase strongly influenced by the meteorological variables average temperature, minimum temperature, maximum temperature and photoperiod. No influence of precipitation was detected on the diametric increase. Part of the diametric increase of two species was also explained by the influence of the phenophases. For G. klotzschiana, ripe leaf, senescent leaf and green fruit; And for H. dulcis, mature leaf, senescent leaf and mature fruit. The activity cambium is seasonal, with periods of activity and inactivity being identified in the four species. Exchange activity occurs mainly in the spring and summer. The fourth chapter, "Inter-annual variation in the phenological behavior of two tree species in Alluvial Forest", seeks to investigate possible changes in the phenological behavior of two species in function of the meteorological variations. The results suggest that the species exhibit similar phenological behavior during the years, although variations in the intensity of the phenophases were observed between the analyzed years, being able to be response of the variations of temperature and precipitation. With the data of correlations obtained between the phenophases and the meteorological variables, it was possible to conclude that different meteorological signals are sensed by the plants to express their phenophases. It seems that there is a tendency for temperatures to be important factors influencing phenophases, but that the monitoring period may also regulate these factors. Key-words: Cambial activity; photoperiod; diametric increase; native species; invasive exotic species.pt_BR
dc.format.extent92 f. : il., algumas color., gráfs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectEngenharia Florestalpt_BR
dc.subjectFenologiapt_BR
dc.subjectComunidades vegetaispt_BR
dc.subjectEcologia vegetalpt_BR
dc.subjectArvores - Crescimentopt_BR
dc.titleAutoecologia de espécies arbóreas de uma floresta aluvial : fenologia e crescimentopt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record