Show simple item record

dc.contributor.advisorFreitas Junior, José de Almendra, 1960-pt_BR
dc.contributor.authorScrenski, Adrian Janpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Agrárias. Curso de Especialização em Projetos Sustentáveis, Mudanças Climáticas e Mercado de Carbonopt_BR
dc.date.accessioned2021-04-13T18:35:15Z
dc.date.available2021-04-13T18:35:15Z
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/51254
dc.descriptionOrientador : José de Almendra Freitas Juniorpt_BR
dc.descriptionMonografia (especialização) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Curso de Especialização em Projetos Sustentáveis, Mudanças Climáticas e Mercado de Carbonopt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo : O crescimento populacional urbano das últimas décadas trouxe um grande impacto para a área urbana, causando uma forte redução de áreas permeáveis nas cidades e ao mesmo tempo acelerando a construção civil para atender a crescente demanda. Neste sentido, os telhados verdes tornam-se uma excelente opção na busca de construções sustentáveis, pois aparecem como uma alternativa no combate a problemas típicos das grandes cidades, como inundações, piora da qualidade do ar e formação de ilhas de calor. Os telhados verdes são uma técnica construtiva milenar, mas ultimamente tem sido retomado devido à inserção do conceito de sustentabilidade, tendo em vista sua redução nos impactos ambientais comparando-se a sistemas de coberturas convencionais. A análise técnica presente neste estudo aborda a viabilidade do telhado verde como forma de reduzir as emissões de dióxido de carbono atmosférico provenientes de sua construção. A partir disso, foram levantados dados de dimensionamento, construção e consumo de material de um telhado convencional de laje plana e de três tipos de telhados verdes: extensivo, semi-intensivo e intensivo. Utilizaram-se dados de dois tipos de concreto, tendo em vista a sua grande diversidade, com informações de duas tradicionais usinas de Curitiba. Foram calculadas as emissões dos telhados e a captura de carbono em cada tipo de cobertura verde. Os dados foram confrontados e chegou-se a um saldo final do CO2 por metro quadrado. Foi possível concluir que todas as coberturas verdes geram um saldo positivo de captura de carbono pela sua vegetação e solo, sendo possível neutralizar parte das emissões geradas pela obra. Em média, o telhado verde teve um saldo de 41,32 kg/m2 de dióxido de carbono atmosférico capturado. O estudo realizado permitiu concluir que a utilização do telhado verde é viável sob o aspecto de redução da emissão de carbono gerado pelo reforço necessário na construção desse tipo de cobertura. Palavras-Chave: telhado verde, construções sustentáveis, sustentabilidade, emissão de CO2, captura de carbono.pt_BR
dc.format.extent1 arquivo (32 p.) : il, tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.titleViabilidade do telhado verde como instrumento de redução de emissões de carbonopt_BR
dc.typeMonografia Especialização Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record