Show simple item record

dc.contributor.advisorSteiner Neto, Pedro José, 1954-pt_BR
dc.contributor.authorCarvalho, Francisco Ferraz dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Curso de Especialização em Gestão Empresarialpt_BR
dc.date.accessioned2018-07-13T15:12:59Z
dc.date.available2018-07-13T15:12:59Z
dc.date.issued2003pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/49438
dc.descriptionOrientador: Pedro José Steiner Netopt_BR
dc.descriptionMonografia (Especialização) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Curso de Especialização em Gestao Empresarial.pt_BR
dc.descriptionInclui referências.pt_BR
dc.description.abstractResumo: A globalização é um processo complexo que varia ao longo do tempo, que afeta vários setores da produção de um país e pode mudar as ambições nacionais de diferentes maneiras. O denominado triângulo da perfeita compatibilidade, ou seja, taxa de câmbio estável, fluxos normais de capitais e políticas monetárias autônomas, é uma ficção. E a crescente competição entre empresas e agentes econômicos é, hoje em dia, o denominador comum. Conclusão obtida através da finalização deste trabalho, de acordo com comparações realizadas entre diversos autores, seminários e experiências de empresas exportadoras. Assim, a nova orientação de mercado denominada de livre-comércio é um instrumento para o desenvolvimento, e temos que adotar as normas que apóiem a sua vigência hemisférica no marco da equidade possível e também de uma estabilidade e transparência. Estamos falando de um processo de negociação de que participam trinta e quatro economias com diferentes níveis de desenvolvimento. Os avanços nas negociações para a constituição da ALCA - Área de Livre Comércio das Américas têm suscitado indagações sobre quais seriam as implicações desse acordo para a economia brasileira. As respostas a essas indagações certamente influenciarão o rumo dessas negociações. O comércio de mercadorias do Brasil com os países da ALCA está na base dessas indagações, sendo um indicador das perspectivas de acesso a novos mercados e da formação do bloco econômico em questão. Dessa forma, é discutido e posto em ênfase o desempenho do comércio brasileiro de mercadorias com os países da ALCA, no período 1997/2000, propondo de maneira lógica as variáveis que interessam o país. A análise dos riscos e oportunidades e das perspectivas e restrições que a ALCA antepõem ao Brasil foram analisadas em função de como afetariam as nossas empresas. Para que possamos entender tal negociação foram observados como os produtos nacionais sofrem com o comércio protecionista e pesquisas que envolvem as exportações brasileiras. Há de ressaltar o caráter relativamente urgente de tão ambicioso empreendimento que pode ser benéfico para o Brasil, mas não se deve esperar que ela resolva todos os nossos problemas de desenvolvimento econômico e social no curto ou médio prazo. Estes só podem ser encaminhados internamente, com a mobilização de outros vetores de transformação estrutural - educação, capacitação profissional, investimentos em ciência e tecnologia, modernização institucional, etc.pt_BR
dc.format.extentx, 47 f. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectÁrea de Livre Comércio das Américas (Organização)pt_BR
dc.titleÁrea de livre comércio da Amárica - ALCA : perspectivas de crescimento ou atraso econômico para o Brasil?pt_BR
dc.typeMonografia Especializaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record