Show simple item record

dc.contributor.advisorCardoso, Maurício José d'Escragnollept_BR
dc.contributor.authorCampos, Veridiana Ursi Freitas dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Psicologiapt_BR
dc.date.accessioned2018-04-26T20:04:30Z
dc.date.available2018-04-26T20:04:30Z
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/49346
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Maurício José D'Escragnolle Cardosopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia. Defesa: Curitiba, 31/08/2017pt_BR
dc.descriptionInclui referências : f. 76-78pt_BR
dc.description.abstractResumo: A pergunta disparadora deste trabalho foi, desde seus primórdios, a questão do diagnóstico em psicanálise. No caminhar das investigações, optou-se por situar o diagnóstico na sua condição de ser estrutural. Em virtude do que, fez-se necessário um adiamento da investigação das estruturas clínicas propriamente ditas e uma prevalência da pesquisa acerca do conceito de estrutura em si. O que, por sua vez, encaminhou ao estudo do que foi o movimento estruturalista e quais foram os aspectos principais da vida e obra de Ferdinand de Saussure, Roman Jakobson e Lévi-Strauss. Uma vez situados estes aspectos, foi possível localizar suas contribuições à obra e ao ensino de Jacques Lacan, que encontra neste movimento e em seus autores supracitados os fundamentos necessários para criticar os caminhos tomados pela psicanálise e seus praticantes à época, pensar o retorno a Freud e propor uma releitura rigorosa e rente aos ensinamentos freudianos. De suas interlocuções com a antropologia e com a linguística, Lacan pode, então, situar que as leis do inconsciente são as mesmas leis da linguagem e disso decorreu a máxima 'o inconsciente é estruturado como linguagem'. A partir do que, em trabalho futuros, se fará possível situar as estruturas clínicas. Palavras chave: estrutura, estruturalismo, linguagem, inconsciente.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The triggering question of this work was, since its beginnings, about the diagnosis in psychoanalysis. In the course of the investigations, it was chosen to situate the diagnosis in its condition of being structural. By virtue of this, it became necessary to postpone the investigation of the clinical structures themselves and a prevalence of the research about the concept of structure itself. Which led to the study of what the structuralist movement was and what were the main aspects of the life and work of Ferdinand de Saussure, Roman Jakobson and Lévi-Strauss. Once these aspects were located, it was possible to locate their contributions to the work and teaching of Jacques Lacan, who finds in this movement and in its authors the necessary foundations to criticize the paths taken by psychoanalysis and its practitioners at the time, to think about the return to Freud and propose a rigorous and close re-reading of the Freudian teachings. From his interlocutions with anthropology and linguistics, Lacan can then situate that the laws of the unconscious are the same laws of language and hence the maxim 'the unconscious is structured as language'. From that, in future works, it will be possible to situate the clinical structures. Key words: structure, structuralism, language, unconscious.pt_BR
dc.format.extent780f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectPsicologiapt_BR
dc.subjectPsicanalise - Históriapt_BR
dc.subjectEstruturalismopt_BR
dc.titleO estruturalismo e o conceito de estrutura : história e psicanálisept_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record