Show simple item record

dc.contributor.advisorFernandes, Fátima Regina, 1962-pt_BR
dc.contributor.authorSantana, Eliane Veríssimo dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Históriapt_BR
dc.date.accessioned2020-07-30T19:49:42Z
dc.date.available2020-07-30T19:49:42Z
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/48194
dc.descriptionOrientador : Profª Drª Fátima Regina Fernandespt_BR
dc.descriptionAutor não autorizou a divulgação do arquivo digitalpt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História. Defesa: Curitiba, 03/05/2017pt_BR
dc.descriptionInclui referências : p. 264-275pt_BR
dc.description.abstractResumo: A presente tese tem por objetivo a análise de escritos do frade agostiniano Egídio Romano (1243-1316) e sua contribuição na defesa do pensamento hierocrático frente a teoria conciliarista, concedendo maior importância ao tratado De ecclesiastica potestate, escrito em 1301-02, ápice do conflito entre o papa Bonifácio VIII e o rei Felipe IV da França. Nascido em Roma, em meados do século XIII, inicia seus estudos na Universidade de Paris, tornando-se discípulo de Tomás de Aquino durante a segunda estadia deste nessa instituição. O contexto de formação universitária, assim como as disputas teóricas ocorridas durante seus estudos, auxiliaram na formação de um pensador que defende em seus escritos a supremacia do poder espiritual, em especial do sumo pontífice, frente ao poder temporal, e a própria instituição eclesiástica, afirmando assim que o papa possuí a plenitudo potestate em ambos os meios. Assim, além de combater o fortalecimento do regnum e o movimento de regionalização do clero, principalmente na França, o galicanismo, o tratado De ecclesiastica potestate busca definir qual o papel do sumo pontífice no interior da Igreja. Dessa forma, afirmamos que além da defesa do poder espiritual sobre o temporal, Egídio escreve seu tratado com o intuito de defender a plenitude do poder papal frente ao movimento conciliarista, movimento este que contesta a autoridade máxima do papa na instituição eclesiástica e defende a formação de um concílio de caráter colegiado, que possuiria uma autoridade superior a pontifícia. O período em questão estende-se do nascimento do autor (entre 1243 e 1247) e a data de sua morte em 1316, onde encontramos transformações nos âmbitos temporais e espirituais, como a mudança da sede do papado de Roma para Avignon, episódio conhecido como Exílio de Avignon. Palavras-chave: Egídio Romano, plenitudo potestate, Bonifácio VIII, conciliarismo.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The present tesis have per objective the analisis of the written work of the agostinian friar Gil of Rome (1243-1316) and his contribution in the defense of the hierarchical thought front of conciliatory theory, conceiveing its major importance to De ecclesiastica potestate treaty, written in 1301-02, the apex of the conflict between the pope Boniface VIII and the king of France Philip IV. Born in Rome, circa XIII century, he begun his studies in the university of Paris, being disciple of Thomas Aquinas during its stay in the very same institution. The context of the academical education, as theoretical dispute accuring in the period of his studies, auxiliate in the education of a thinker that defends on his written work the supremacy of a spiritual power, specially the high pontiff, front of temporal power, and the very own eclesiastical institution, afirming that the pope possess the plenitudo potestate in both ways. Therefore, apart of fighting the strenght of the regnum and the movement for the regionalization of the clergy, specially on France, the galicanism, the treaty De ecclesiastica potestate look to define which is the role of the high pontiff in the church structure. This way, its afirmed that apart the defense of the spiritual power over the temporal, Gil write on his treaty the intent to defend the plenitude of the pope's power front to the conciliarist movement, which movement that contest the maximum authority of the pope in the eclesiastic institution and defend the formation of a council with a collegiate character, that possess greater pontiffic authority. The period in matter extend from the birth date of the author (between 1243 and 1247) to the date of his death in 1316, in which is found transformations in the temporal and spiritual scopes, with the change of the seat of papacy from Rome to Avignon, known as Exile of Avignon. Keywords: Gilles of Rome, plenitudo potestate, High Middle Ages, Boniface VIII, conciliarism.pt_BR
dc.format.extent285 p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectHistóriapt_BR
dc.subjectEgidio, Romano, ca.1243-1316pt_BR
dc.subjectBonifacio VIII, Papa, 1235-1303pt_BR
dc.subjectConcílios e sinodospt_BR
dc.subjectPlenitudo potestatept_BR
dc.titlePoiché è noto che in lui risiede tutto il potere della Chiesa : a contribuição de Egídio Romano na construção do conceito de plenitudo do poder papal frnte a teoria conciliar (1243-1316)pt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record