Show simple item record

dc.contributor.advisorPanke, Lucianapt_BR
dc.contributor.authorLima, Alice Marina lirapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Parana. Setor de Artes, Comunicação e Design. Programa de Pós-Graduação em Comunicaçãopt_BR
dc.date.accessioned2018-03-12T17:35:29Z
dc.date.available2018-03-12T17:35:29Z
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/47990
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Luciana Pankept_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Parana, Setor de Artes, Comunicação e Design, Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Defesa: Curitiba, 23/03/2017pt_BR
dc.descriptionInclui referências : f. 113-122pt_BR
dc.description.abstractResumo: A pesquisa tem como tema o feminino sob o viés da comunicação política e eleitoral. O objetivo é identificar imagens de candidatas no Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral (HGPE) de todas as mulheres que disputaram a presidência do Brasil. Entre os anos de 1989 e 2014, sete participaram dos pleitos. Assim, o problema de pesquisa é: de que maneira as candidatas à presidência do Brasil se apresentaram no HGPE de acordo com perfis considerados ideais, elaborados por Luciana Panke (2015), que são a guerreira, a maternal e a profissional? Para responder à pergunta, abordam-se conceitos e pesquisas de gênero que entendem o termo enquanto construção social e cultural de identidades (LAMAS, 2013; SCOTT, 1995; PANKE, 2015). Autores como Luís Felipe Miguel e Flávia Biroli (2011; 2014), e Panke (2015; 2016) discorrem sobre as características da relação entre mulheres e política, suas representações, tendências e desafios. Para a contextualização sobre comunicação política e eleitoral, são adotados trabalhos como os de Afonso Albuquerque (2004) e Panke (2010; 2011). Já na etapa empírica, a partir do método de análise de conteúdo, busca-se identificar os perfis de candidaturas femininas sistematizados por Panke (2015): a guerreira, a maternal e a profissional. A pesquisa verificou que a primeira é a que mais se destaca entre as candidatas, em média, em 50% do tempo. Em seguida, a maternal, com 29% e, em menor quantidade, a profissional - 21%. Embora possuam características, estruturas de campanha e partidos diferentes, diversas semelhanças foram encontradas na comunicação projetada por essas candidatas. O argumento de que a mulher tem uma forma diferente de fazer política e o apelo à questão de gênero foram mais presentes entre as primeiras postulantes ao cargo, Lívia Maria Pio e Thereza Ruiz. Contudo, alguns posicionamentos que buscam levar características do espaço doméstico, com o qual as mulheres são relacionadas historicamente, à atividade pública, na qual está inserida a política, continuam presentes nas últimas campanhas realizadas no país, como nas da presidenta eleita em 2010 e reeleita em 2014, Dilma Rousseff. Palavras-chave: Comunicação Política. Mulheres. HGPE. Eleições. Candidatas presidenciais.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The research has the theme of females under the bias of political and electoral communication. The objective is to identify profiles of female candidates in the Free Political Advertising Time (description for Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral, HPGE), of all those who disputed the presidency of Brazil. Between the years of 1989 and 2014, seven women participated in the election lawsuit. Thus, the research question is: how did the candidates for the Brazilian presidency present themselves in the HGPE according to profiles considered ideal, elaborated by Panke (2015), which are the brave, the maternal and the professional? To answer the question, the dissertation approaches concepts and gender research that understand the term as a social construction and culture of identities (LAMAS, 2013; SCOTT, 1995; PANKE, 2015). Authors such as Luís Felipe Miguel and Flávia Biroli (2011, 2014), and Luciana Panke (2015, 2016) write about the characteristics of the relationship between women and politics - their representations, trends and challenges. For the contextualization on political and electoral communication, works like those from Afonso Albuquerque (2004) and Panke (2010; 2011) are adopted. In contrast, in the empirical stage, from the method of content analysis, it is sought to identify profiles of female applications systematized by Panke (2015): the brave; the maternal; and the professional. The research identified that the first is the one that stands out among the candidates, on average, in 50% of the time. Then, the maternal, with 29% and, to a lesser extent, the professional - 21%. Although they have characteristics, campaign structures and different parties, several similarities were found in the images projected by these candidates. The argument that women have a different way of doing politics and appealing to the gender issue were more present among the first candidates, Lívia Maria Pio and Thereza Ruiz. However, some positions that seek to take characteristics of the domestic space with which women are historically related to the public activity in which the policy is inserted continue to be present in the last campaigns held in the country, such as those of the president elected in 2010 and re-elected In 2014, Dilma Rousseff. Keywords: Political Communication. Women. HGPE. Elections. Presidential female candidates.pt_BR
dc.format.extent122 f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectComunicaçãopt_BR
dc.subjectComunicação eleitoralpt_BR
dc.subjectMulheres - Identidadept_BR
dc.subjectCandidatos à presidência - 1989-2014 - Brasilpt_BR
dc.titleGuerreiras, maternais e profissionais - candidatas à presidência do Brasil no HGPE televisivopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record