Show simple item record

dc.contributor.authorSouza, Rafael Borim dept_BR
dc.contributor.otherSegatto, Andrea Paulapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduação em Administraçãopt_BR
dc.date.accessioned2017-06-20T20:32:51Z
dc.date.available2017-06-20T20:32:51Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/47653
dc.descriptionOrientadora : Profa. Dra.Andréa Paula Segattopt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Programa de Pós-Graduação em Administração. Defesa: Curitiba, 21/02/2014pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Estratégia e organizaçõespt_BR
dc.description.abstractResumo: A partir de uma compreensão da realidade que rejeita a existência da modernidade e a possibilidade de controlar a manifestação empírica dos fenômenos sociais, esta tese foi desenvolvida com o objetivo geral de analisar a validade teórica e empírica dos estilos de raciocínio propostos para a compreensão do desenvolvimento sustentável e da sustentabilidade como quase-objetos de estudo para a teoria da gestão comparativa. Foram definidas as orientações metodológicas para a condução das pesquisas teórica e empírica, sintetizadas no objetivo específico de propor um caminho hermenêutico objetivo de validação qualitativa. Por meio deste caminho foram percorridos os passos teóricos, metodológicos e empíricos necessários para responder o objetivo geral apresentado. Inicialmente os arcabouços teóricos sobre o desenvolvimento sustentável, sobre a sustentabilidade e sobre a teoria da gestão comparativa foram estudados. Em sequência, foi realizada uma organização sistêmica dos conceitos estudados no arcabouço teórico, pela qual foram selecionadas as seguintes vertentes de estudo: para a teoria da gestão comparativa a escola colonialista, a escola pós-colonialista crítica, a escola pós-colonialista amena, a segmentação teórico-abstrata, a segmentação empírica, a abordagem socioeconômica, a abordagem comportamental e a abordagem ecológica; para o desenvolvimento sustentável o tecnocentrismo, o ecocentrismo, o sustaincentrism, a versão institucional, a versão ideológica e a versão acadêmica; e, para a sustentabilidade a interpretação literal, a interpretação ecológica, a interpretação social, a abordagem normativa, a abordagem positiva, a abordagem reducionista, a abordagem holística, a abordagem da ecologia fraca, a abordagem da ecologia profunda, a abordagem funcionalista e a abordagem crítica. Posteriormente, estas vertentes de estudo foram inter-relacionadas em um alinhamento orientado pelas perspectivas epistemológicas positivista, interpretativista e realista para a elaboração dos indicadores qualitativos de pesquisa, também denominados de estilos de raciocínio, os quais foram denominados respectivamente de: pressuposto tecnocêntrico-colonialista, pressuposto ecocêntrico-crítico e pressuposto sustaincentric-ameno. A análise da validade teórica destes pressupostos de pesquisa, ou seja, dos estilos de raciocínio propostos ocorreu pela própria construção teórica destas relações, as quais foram evidenciadas pelo alinhamento epistemológico das vertentes relacionadas, acompanhadas pela aplicação dos segundo, sexto e sétimo princípios de interpretação da hermenêutica objetiva e avaliadas por dois grupos de intérpretes. De acordo com tais procedimentos considerou-se que os estilos de raciocínio propostos participam de validade teórica. A validade empírica foi avaliada por meio dos seguintes procedimentos: os indicadores qualitativos de pesquisa foram investigados em um contexto organizacional específico, sendo que os resultados empíricos sobre o desenvolvimento sustentável e sobre a sustentabilidade foram coletados via documentos e entrevistas que informaram o comportamento da Empresa TES a respeito destes temas, e os resultados empíricos sobre a teoria da gestão comparativa foram coletados via documentos que avaliaram a relação da Empresa TES com seu grupo controlador, o GCTES. Os resultados empíricos foram submetidos aos procedimentos de averiguação de validade de conteúdo, convergente e nomológica, e aos sete princípios de interpretação da hermenêutica objetiva. A validade nomológica não foi confirmada, o que permitiu considerar a não validade empírica dos estilos de raciocínio propostos.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: This thesis rejects the modernity and the possibility of controlling the social phenomena in their empirical manifestations. From this reality comprehension, the general objective of this research was to analyze the theoretical and the empirical validity of the styles of reasoning proposed to understand sustainable development and sustainability as quasi-objects of study for the comparative management theory. Some methodological orientations were established so that the theoretical and the empirical research could be done. These orientations were summarized in the specific objective of proposing a hermeneutic objective path of qualitative validation, which contains the theoretical, methodological and empirical steps roamed to respond the general objective of this research. First of all the conceptual backgrounds about sustainable development, sustainability and comparative management theory were studied. After this, these concepts were systematized in specific approaches. To the comparative management theory, the following approaches were selected: the colonialist school, the critical post-colonialist school and the non-critical post-colonialist school; the theoretical-abstract and the empirical segmentations; the socioeconomic, behavioral and ecological approaches. To the sustainable development, the following approaches were selected: technocentrism, ecocentrism and sustaincentrism; the institutional, ideological and academic conceptual versions. To the sustainability, the following approaches were selected: the literal, social and ecological interpretation; the normative, positive, reductionist, holistic, weak ecology, strong ecology, functionalist and criticial approaches. These approaches were inter-related in an alignment guided by the epistemological perspectives of positivism, interpretivism and realism in order to propose the qualitative indicators of research, also called of styles of reasoning, which were denominated of: technocentric-colonialist assumption, ecocentric-critical assumption and sustaincentric-non-critical assumption. The theoretical validity of these styles of reasoning was analyzed through the theoretical construction of their relations, which were evidenced by: the epistemological alignment of the selected approaches; by the application of the second, sixth and seventh principles of interpretation of the objective hermeneutic; and by the evaluation of two groups of interpreters. According to these procedures it was said that the styles of reasoning proposed have theoretical validity. The empirical validity was analyzed through the following steps: the qualitative indicators of research were investigated in an enterprise (TES) and its controller group (GCTES), by the application of documental analyzes and interviews. The processes of content, convergent and nomological validity evaluated the empirical results. The nomological validity was not confirmed, so the styles of reasoning proposed do not have empirical validity.pt_BR
dc.format.extent281f. : il. algumas color., grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectDesenvolvimento sustentávelpt_BR
dc.subjectAdministraçãopt_BR
dc.subjectSustentabilidadept_BR
dc.subjectAdministração comparadapt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleO desenvolvimento sustentável e a sustentabilidade como quase-objetos de estudo para a teoria da gestão comparativa : análise de estios de raciocínio em um contexto organizacional específico.pt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record