Show simple item record

dc.contributor.authorKonrad, Danielapt_BR
dc.contributor.otherVendruscolo, Eliane Cristina Gruszkapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor Palotina. Curso de graduação em Ciências Biológicaspt_BR
dc.date.accessioned2017-06-14T19:57:49Z
dc.date.available2017-06-14T19:57:49Z
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/47598
dc.descriptionOrientador : Eliane C. G. Vendruscolopt_BR
dc.descriptionMonografia (graduação) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Palotina, Curso de Graduação em Ciências Biológicas.pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo : As bactérias promotoras do crescimento vegetal (BPCV) colonizam a rizosfera das espécies vegetais e conferem benefícios às plantas. Um dos métodos mais bem sucedidos é o uso dos inoculantes, que consistem basicamente de um meio de crescimento bacteriano envolto por um carreador ou veículo, cujo objetivo é estender a viabilidade bacteriana. Na tentativa de aumentar a taxa de sobrevivência bacteriana pela proteção contra estresses ambientais, a encapsulação de células em matrizes de gel biodegradável parece ser uma biotecnologia viável. O objetivo deste trabalho foi determinar um protocolo de obtenção de encapsulamento de células bacterianas, usando o alginato de cálcio como material suporte da bactéria Azospirillum brasilense e avaliar comparando dois tratamentos, alginato e turfa, o efeito do tempo de armazenamento em termos da sobrevivência e viabilidade da população bacteriana na associação com plantas de trigo in vitro. A bactéria A.brasilense foi cultivada e mantida em meio NFb – Lactato. O protocolo usado para o encapsulamento do inóculo com alginato de cálcio foi retirado da literatura, com modificações. Foram avaliadas em 3 períodos de armazenamento, aspectos físicos das esferas, concentração de Unidades Formadoras de Colônia (UFC) pelo método da microgota e viabilidade celular pela inoculação em sementes de trigo. Como resultados obtidos, o protocolo de encapsulamento foi eficiente para gerar esferas de formato e tamanho homogêneos. O encapsulamento pelo alginato e a turfa apresentaram uma maior redução na população bacteriana aos 15 dias de armazenamento e a população em ambos os carreadores foi estabilizada em 106 ao 45o dia. Em relação a viabilidade bacteriana, a inoculação não promoveu aumentos significativos na altura ou comprimento de raiz, porém nos pesos frescos da parte aérea e radicular a turfa promoveu os maiores incrementos possivelmente pela maior concentração de UFC.mL-1.pt_BR
dc.format.extent30 p. : Digital.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.subjectBioinoculantept_BR
dc.titleAvaliação do tempo de armazenagem sobre a microbiota de inoculantes encapsulados.pt_BR
dc.typeMonografia Graduação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record