Show simple item record

dc.contributor.advisorFroehner, Sandro Josept_BR
dc.contributor.authorGonçalves, Edvaldo de Souzapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Tecnologia. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambientalpt_BR
dc.date.accessioned2017-10-06T16:38:30Z
dc.date.available2017-10-06T16:38:30Z
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/47509
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Sandro Froehnerpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Tecnologia, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental. Defesa: Curitiba, 05/04/2017pt_BR
dc.descriptionInclui referências : f. 58-64pt_BR
dc.description.abstractResumo: Foram determinadas as degradações de três HPAs (fenantreno, antraceno e pireno) em pilhas de solo argiloso, com períodos compreendidos entre 1 e 45 dias. As pilhas foram montadas em 4 conjuntos, cada conjunto foi montado da seguinte maneira: O primeiro conjunto era composto por solo natural, o segundo por solo natural e 5% de peróxido de magnésio, o terceiro por solo natural esterilizado, a 180oC, durante 2 horas, e o quarto conjunto foi montado com solo esterilizado e adição de 5% de peroxido de magnésio. Foi caracterizada a formação do radical hidroxila resultado da reação entre o MgO2 e o Fe(II). O radical acelera a degradação. A pilha de solo natural com 5 % de MgO2, apresentou, ao final dos 45 dias, uma redução na concentração dos HPAs em 18,45% comparado com a pilha de solo natural sem o peroxido. Os dois conjuntos de pilhas com peróxido de magnésio em sua composição apresentaram as maiores taxas de degradação para os períodos de 1 e 15 dias para os 3 HPAs analisados. Após o período de 15 dias, as biopilhas que contendo peróxido de magnésio estabilizaram, indicando o declínio da disponibilidade de Fe(II), consumido devido a reação de Fenton modificada. Palavras-chave: HPAs, Peróxido de magnésio, biorremediação, radical hidroxilatpt_BR
dc.description.abstractAbstratc: It was determinated the chemical degradation of three polycyclic aromatic compounds (phenanthrene, anthracene and pyrene) in piles of silt soil amended with magnesium peroxide (MgO2). The experiment was between 1 and 45 days. The piles were assembled in 4 sets. The first set consisted of natural soil, the second was composed by natural soil and 5% of MgO2, whilst natural soil sterilized at 180 ° C for 2 hours was used for the third batch. The fourth set was constituted by sterilized soil and 5% MgO2. The presence of hydroxyl radical, resulted from reaction between MgO2 and Fe (II), was confirmed by EPR (Electron paramagnetic resonance) analysis the pile, composed by natural soil and 5% of MgO2, showed 18.45% reduction of PAHs in comparison to the pile composed only with natural soil after 45 days. Sets of experiments, which MgO2 was added, presented the highest rates of degradation of HPAs. After the 15- day period, pile the degradation process stopped, probably due the lack of limiting reagent, in other words, the lack of Fe (II). Keyword: HPAs, Magnesium peroxide, remediation, soil treatment, hydroxyl radicalpt_BR
dc.format.extent72 f. : il., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectHidrocarbonetos policiclicos aromaticospt_BR
dc.subjectSolos - Contaminaçãopt_BR
dc.subjectVazamento de resíduos químicospt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleUso de peróxido magnésio como fonte de oxigênio na degradação de HPAs em biopilhaspt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record