Show simple item record

dc.contributor.authorOlszewski, Vanessa Regina, 1992-pt_BR
dc.contributor.otherFélix, Ananda Portellapt_BR
dc.contributor.otherWarth, Jose Francisco Ghignattipt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Zootecniapt_BR
dc.date.accessioned2018-04-12T21:17:28Z
dc.date.available2018-04-12T21:17:28Z
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/47438
dc.descriptionOrientadora: Profª. Drª. Ananda Portella Félixpt_BR
dc.descriptionCoorientador: Prof. Dr. José Francisco G. Warthpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia. Defesa: Curitiba, 29/03/2017pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: Uma das frutas nativas cultivadas na América do Norte, a cranberry, tem se destacado no mercado mundial por suas propriedades terapêuticas. A cranberry é capaz de prevenir infecções de origem bacteriana como, por exemplo, a infecção do trato urinário. Objetivou-se avaliar o efeito da cranberry nos parâmetros sanguíneos e urinários, na digestibilidade e palatabilidade da dieta em cães, bem como na possível influencia na formação de fímbrias de E.coli UPEC-HAMR em testes in vitro. Foram utilizados 10 cães da raça Beagle, os quais foram alimentados durante 30 dias com as dietas contendo 0% ou 0,4% de cranberry (n=5). Sangue e urina foram coletados nos dias 0º e no 31º. Para a análise de digestibilidade das dietas, foi coletada a quantidade total das fezes produzidas por cada cão entre os dias 25º a 31º. Foram utilizados 16 cães adultos Beagles para o teste de palatabilidade, que comparou a razão de ingestão entre as dietas com 0% e 0,4% de cranberry. Para análise da formação de fímbrias de E.coli UPEC-HAMR in vitro, foram utilizadas duas cepas cultivadas em seis meios diferentes. Nos parâmetros sanguíneos avaliados (hemograma, eritrograma, leucograma e plaquetograma), não foram observadas variações estatísticas (P>0,05). Os cães alimentados com cranberry apresentaram urina com coloração e aspecto mais claros após 30 dias de alimentação, em relação ao período controle (dia 0) e aos cães alimentados sem cranberry (P<0,05). A dieta contendo cranberry apresentou maior digestibilidade da matéria seca, orgânica e do extrato etéreo, maior energia metabolizável que a dieta controle (P<0,05) e reduziu a produção de ácido siálico (P<0,05). Não houve alteração das características fecais dos cães (P>0,05) e não houve influência da cranberry na formação de fímbrias de E.coli UPEC- HAMR. Houve menor razão de ingestão da dieta contendo cranberry (P<0,05). Pode-se concluir que a cranberry aumenta a digestibilidade dos nutrientes, melhora a saúde intestinal e influencia na coloração e aspecto da urina. Entretanto, reduz a palatabilidade da dieta para cães e não altera a capacidade de adesão de E.coli UPEC-HAMR. Palavras-chave: Infecção urinária, mirtilo-vermelho, oxicoco.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: One of the native fruits grown in North America, cranberry, has stood out in the world market for its therapeutic properties. Cranberry is able to prevent infections of bacterial origin such as urinary tract infection. The objective of this study was to evaluate the effect of cranberry on blood and urinary parameters, on the digestibility and palatability of the diet in dogs, as well as on the possible influence of E.coli UPEC-MRHA fimbriae in in vitro tests. Ten Beagle dogs were fed, which were fed for 30 days with diets containing 0% or 0.4% cranberry (n = 5). Blood and urine were collected on days 0 and 31. For the analysis of digestibility of diets, the total amount of feces produced by each dog between 25º and 31º days was collected. Sixteen Beagles adult dogs were used for the palatability test, which compared the intake ratio between the 0% and 0.4% cranberry diets. To analyze the formation of E. coli UPEC-MRHA fimbriae in vitro, two strains cultivated in six different media were used. In the evaluated blood parameters (hemogram, erythrogram, leukogram and platelet), no statistical variations were observed (P> 0.05). The cranberry-fed dogs presented lighter color and appearance of urine after 30 days of feeding compared to the control period (day 0) and to dogs fed without cranberry (P <0.05). The diet containing cranberry showed higher digestibility of dry matter, organic matter and ethereal extract, higher metabolizable energy than control diet (P <0.05) and reduced production of sialic acid (P <0.05). There was no change in the faecal characteristics of the dogs (P> 0.05) and there was no influence of cranberry on the formation of fimbriae of E.coli UPEC-MRHA. There was a lower intake rate of the diet containing cranberry (P <0.05). It can be concluded that cranberry increases the digestibility of nutrients, improves intestinal health and influences the color and appearance of urine. However, it reduces the palatability of the diet for dogs and does not alter the adhesion capacity of E.coli UPEC-MRHA Key words: Urinary infection, blueberry-red, cranberry.pt_BR
dc.format.extent59 f. : tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectCiencia do solopt_BR
dc.subjectCão - Alimentação e raçõespt_BR
dc.subjectInfecção urinariapt_BR
dc.titleCranberries (Vaccinium Macrocarpon Aiton) a nutrição de cães : influência na digestibilidade, palatabilidade e no curso de infecções do trato urináriopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record