Show simple item record

dc.contributor.advisorFerreira, Jane Mendes, 1967-pt_BR
dc.contributor.authorStrozzi, Ana Paulapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Curso de Especialização em MBA em Auditoria Integralpt_BR
dc.date.accessioned2018-02-07T12:42:44Z
dc.date.available2018-02-07T12:42:44Z
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/46631
dc.descriptionOrientadora : Jane Mendes Ferreirapt_BR
dc.descriptionMonografia (especialização) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Curso de Especialização em MBA em Auditoria Integralpt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo : A auditoria independente tem como finalidade principal a análise dos saldos contábeis refletidos nas demonstrações financeiras e consequentemente a emissão do parecer de auditoria afirmando que tais saldos são fidedignos e estão de acordo com as normativas contábeis utilizadas no Brasil. Para a realização da auditoria independente ocorrer de maneira eficiente e eficaz, a equipe de auditores deve realizar um trabalho competente e de acordo com as regulamentações que lhes são instituídas pelas normatizações da profissão e pelas legislações pertinentes, além de cumprir as regras impostas pelo cliente auditado. Nesta monografia, procurou-se analisar o auditor externo, não no âmbito legal e regulatório, mas sim na esfera sociológica, verificando as representações sociais no cotidiano, atuando em seus clientes e fora do ambiente profissional. Para tal abordagem sociológica, embasou-se tal pesquisa sob a ótica da teoria proposta por Erving Goffman, de que o indivíduo, está em constante representação, atuando como em uma peça teatral, dependendo das circunstâncias e cenário em que está inserido. O objetivo foi alcançado por meio de pesquisa exploratória, de abordagem qualitativa e teve como procedimento estudo múltiplo de casos. O arcabouço de informações foi constituído através de entrevistas semi-estruturadas realizadas com auditores e ex-auditores externos, observação e consulta de documentos. Dessa forma, foi realizada uma análise das representações sociais do auditor independente, sendo analisado realizando a auditoria e fora do ambiente de trabalho, concluindo que, a teoria de Goffman aplica-se aos auditores externos, pois em seu ambiente profissional, o auditor representa o papel de "auditor externo" e fora do cenário, ou seja, nos bastidores pode vir a ter outra representação social.pt_BR
dc.format.extent66 p : tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.subjectAuditorespt_BR
dc.subjectRepresentações sociaispt_BR
dc.titleA representação social do auditor externo em sua atuaçãopt_BR
dc.typeMonografia Especialização Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record