Show simple item record

dc.contributor.advisorCarvalho, Gisah Amaral de
dc.contributor.authorBornschein, Andressa
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna
dc.date.accessioned2017-01-20T19:26:22Z
dc.date.available2017-01-20T19:26:22Z
dc.date.issued2010
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/45065
dc.descriptionOrientador : Profª. Drª. Gisah Amaral de Carvalho
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna. Defesa : Curitiba, 13/12/2010
dc.descriptionInclui referências : f. 95-99
dc.description.abstractResumo: Ao contrário do que se imagina, o tratamento do hipotiroidismo nem sempre é uma missão fácil. Muitos fatores podem interferir no seu sucesso, como horário para o uso de LT4, jejum, uso diário e contínuo, interferência de outras medicações, bem como aderência dos pacientes. Por este motivo muito tem se estudado com o objetivo de buscar estratégias terapêuticas que melhorem a aderência ao tratamento. O objetivo do presente estudo foi avaliar a terapia com levotiroxina semanal, comparando-a com o uso diário, e as possíveis repercussões cardiovasculares da dose elevada de LT4. Conduziu-se um estudo prospectivo experimental prospectivo, envolvendo 14 pacientes com hipotireoidismo primário, compensados com tratamento prévio. Os pacientes foram randomizados em 2 grupos de acordo com o regime terapêutico instituído - dose diária ou semanal, o qual foi mantido por 6 semanas, quando houve inversão dos grupos, ou seja, o grupo que estava utilizando dose diária passou a utilizar dose semanal e vice-versa. A funcão tireoidiana foi avaliada antes, 2 e 4 horas a LT4 e após 6 semanas. Avaliação ecocardiográfica foi realizada antes e após 4 horas da LT4. A análise estatística demonstrou eficácia semelhante na manutenção da estabilidade hormonal, com valores de TSH similares antes e após as 6 semanas. Foi observado um pico de T4L na 2a e 4a hora após a LT4, o qual foi justificado pela curva de absorção da mesma. Os níveis de TT3 se mantiveram estáveis em praticamente todos os pacientes, havendo diferença estatística apenas em um dos dois grupos que utilizou a dose semanal, mas seus níveis se mantiveram dentro dos valores de normalidade em todo período. Não foi observada repercussão cardiovascular com uso de dose elevada de LT4, bem como não foram observadas manifestações clínicas da mesma. Os dados da literatura são favoráveis ao uso de LT4 em esquemas alternativos, como intervalos maiores de que 24 horas e com doses maiores do que a média de 1,3mcg/Kg/dia. Nosso estudo sugere esta estratégia para casos selecionados de pacientes descompensados devido às dificuldades de tratamento, e que não apresentem fatores de risco cardiovascular, uma vez que estes não foram avaliados em nosso grupo. Sgere-se também a reavaliação frequente da fnção tireoidiana para ajuste adequado da dose, a qual deverá ser individualizada para cada paciente. Palavras-chave: Tireóide. Hipotireodismo. Levotiroxina. Dose semanal. Aderênciat
dc.description.abstractAbstract: Instead what most people may think, the treatment of hypothyroidism is not always an easy task. Many factors can interfere with success, such as fasting, how to schedule the use of levothyroxine, its daily and continuous use, interference from other medications and patient adhesion. For this reason, much has been researched with the goal of finding treatment strategies for improving adherence to treatment. The aim of this study was to evaluate weekly therapy with levothyroxine, comparing it to its daily use, and to analyze possible cardiovascular effects of high doses of the hormone. We conducted a prospective trial study involving 14 patients with primary hypothyroidism compensated with previous treatment. Patients were randomized into two groups according to treatment regimen - daily or weekly. This was maintained for 6 weeks, when there was a switch in groups, ie, the group that was using daily levothyroxine begun its weekly use, and vice versa. Thyroid function was evaluated before, 2 and 4 hours after levothyroxine ingestion for accessing acute effects of the drug. This was also done after 6 weeks, which enabled us to access efficacy. Echocardiographic evaluation was performed before and after 4 hours of levothyroxine ingestion. Statistical analysis showed similar efficacy in maintaining hormone stability, which was evaluated by TSH levels. We observed a peak of T4L in the second and fourth hours after intake, which was justified by the drug's absorption curve. TT3 levels were stable in almost all patients, with statistical difference in only one of the two groups that used the weekly dose, but levels remained within normal values throughout the period. Cardiovascular effect was not observed with the use of high dose of levothyroxine, and there were no cardiac clinical manifestations. Literature data is favorable to the use of levothyroxine in alternative schemes, such as longer intervals of 24 hours and at higher doses than the average of 1.3 mcg / kg / day. Our study supports this strategy for selected cases of decompensated patients due to difficulties in treatment, and who have no cardiovascular risk factors, since these were not assessed in our group. It also suggests frequent reassessment of the thyroid function for proper adjustment of the dose, which should be individualized for each patient. Key-words: Thyroid. Hypothyroidism. Levothyroxine. Weekly dose. Adhesion.
dc.format.extent120 f. : il.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectTireoidite
dc.subjectHipotireoidismo
dc.titleAlterações hormonais e ecocardiográficas associadas a dose semanal de Levotiroxina no tratamento do hipotireoidismo primário
dc.typeDissertação


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record