Show simple item record

dc.contributor.advisorWeinhardt, Marilene, 1952-pt_BR
dc.contributor.authorMatta, Eduarda Regina Drabczynski dapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Letraspt_BR
dc.date.accessioned2019-11-07T16:28:01Z
dc.date.available2019-11-07T16:28:01Z
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/43734
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Marilene Weinhardtpt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Letras. Defesa: Curitiba, 03/06/2016pt_BR
dc.descriptionInclui referências : f.134-139pt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração : Estudos literáriospt_BR
dc.description.abstractResumo: O modo como o escritor português José Saramago trabalha com as formas de registro da História, confere personalidade aos seus narradores e personagens, bem como explora a subjetividade humana é fato conhecido pela crítica literária. Tais características, pensadas em uníssono, nos possibilitaram a identificação de mais um ponto em comum em seu repertório romanesco, a saber, uma preocupação bastante acentuada com as variáveis do olhar. O objetivo deste estudo, portanto, consiste em realizar uma análise comparada entre os romances História do cerco de Lisboa (2010) e Manual de pintura e caligrafia (1992) levando em conta tais aspectos, tendo como base a prerrogativa do olhar, que será o fio condutor de nossa pesquisa. As discussões se iniciam com a análise das características habitualmente apontadas pela crítica no que diz respeito aos romances sobre os quais nos dispomos a refletir. Posteriormente, visto o que sobre as obras foi apontado, o estudo caminha oferecendo discussões sobre a vertente histórica, sobre a construção das estratégias narrativas, a saber, estudo dos narradores e protagonistas, e sobre a presença do autor na composição de seus personagens. Para finalizar, o último capítulo se dispõe a tratar especificamente sobre o olhar e suas variáveis nessas duas obras do autor português. "Cada um de nós vê o mundo com os olhos que tem" (SARAMAGO, 1980, p.207). Essa afirmação, presente no discurso romanesco de José Saramago, será o ponto de partida para esta pesquisa. Para embasamento a respeito da história, utilizaremos, principalmente, os nomes de Gerson Luiz Roani (2006), Peter Burke (2011) e Marilene Weinhardt (2006; 2011). No que tange à análise dos narradores e dos personagens, nos auxiliarão, em especial, as pesquisas de Walter Benjamin (1994), Norman Friedman (2002), Antonio Candido (2011), Anatol Rosenfeld (2011) e James Wood (2012). Como sustentação de nossas hipóteses sobre questões identitárias, Mikhail Bakhtin (1997), Antoine Compagnon (2003) e Clément Rosset (1998). Por fim, para falarmos especificamente sobre o olhar, contaremos com as leituras de Adauto Novaes (1993) e Marilena Chauí (1993). PALAVRAS-CHAVE: O olhar. Ficção Histórica. Eu narrador. História do cerco de Lisboa. Manual de pintura e caligrafia.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The way as the portuguese writer José Saramago works with forms to register History, gives personality to his narrators and characters, as well as explores the human subjectivity, is a known fact to literary criticism. Such characteristics, thoughts in unison, enable us to identify one more common aspect in his romanesque repertory, namely, a very accentuated concern for the variables of the look. Therefore, the purpose of this study is to perform a comparative analysis between the novels História do cerco de Lisboa (2010) and Manual de pintura e caligrafia (1992) considering this aspect, having a basis on the prerogative of the look, which will be the guiding principle of our research. The discussions begin with the analysis of the characteristics usually identified by the criticism concerning the novels which we are thinking over. Posteriorly, based on what was pointed about the novels, this study follows offering discussions about the historical aspects, the construction of the narrative strategies, the study of the narrators and main characters, as well as the author's presence in the composing of his characters. Finally, the last chapter is intended specifically to the look and its variables in these two works of the portuguese writer. "Cada um de nós vê o mundo com os olhos que tem" (SARAMAGO, 1980, p.207). This statement, present on the romanesque discourse of José Saramago, will be the starting point for these research. For the foundation concerning the History, we will mainly use the names of Gerson Luiz Roani (2006), Peter Burke (2011) and Marilene Weinhardt (2006; 2011). Regarding to the narrators and characters analysis, researches of Walter Benjamin (1994), Norman Friedman (2002), Antonio Candido (2011), Anatol Rosenfeld (2011) and James Wood (2012), will be very helpful, as well as researches of Mikhail Bakhtin (1997), Antoine Compagnon (2003) and Clément Rosset (1998) will support our hypothesis about identity issues. Lastly, to specifically verse about the look, we will have the readings of Adauto Novaes (1993) and Marilena Chauí (1993). KEYWORDS: The look. Historical fiction. I-Narrator. História do cerco de Lisboa. Manual de pintura e caligrafia.pt_BR
dc.format.extent139 f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectLetraspt_BR
dc.titleOlhos que veem : a construção das estratégias narrativas de História do Cerco de Lisboa e Manual de Pintura e Caligrafia tendo o olhar como protagonistapt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record