Show simple item record

dc.contributor.advisorRibeiro, Felipe de Almeidapt_BR
dc.contributor.authorThomasi, Ricardo de Oliveirapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Artes, Comunicação e Design. Programa de Pós-Graduação em Músicapt_BR
dc.date.accessioned2017-06-27T19:39:50Z
dc.date.available2017-06-27T19:39:50Z
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/43374
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Felipe de Almeida Ribeiropt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Artes, Comunicação e Design, Programa de Pós-Graduação em Música. Defesa: Curitiba, 08/03/2016pt_BR
dc.descriptionInclui referências : f. 130-138pt_BR
dc.description.abstractResumo: Esta pesquisa propõe uma discussão teórica e analítica sobre a composição musical eletroacústica partindo de um ponto de vista operacional, o que envolve questões de narrativa musical, processos e orquestração eletroacústica, colocando em evidência o conceito de interatividade enquanto um fator estrutural da composição e a partir do qual surgem possíveis soluções para problemáticas recorrentes no meio eletroacústico. A interatividade na composição eletroacústica reside, antes de tudo, no posicionamento adotado pelo compositor enquanto parte ativa de um sistema de relações, agindo criticamente em seu material composicional. Essas questões encontram pares na história da composição musical, e não seriam tão próprias do século XXI a não ser pelas particularidades do material eletroacústico e pela autonomia dos sistemas com os quais o compositor precisa lidar. O desenvolvimento de ambientes digitais como suporte para criação, análise e performance musicais permitiu ao compositor eletroacústico a escritura direta na matéria sonora em suas diversas relações temporais, fazendo dos algoritmos um roteiro de ações a serem executadas pelo computador, assim como uma partitura é para um instrumentista. Nesse sentido, o uso de algoritmos move a composição eletroacústica para uma ideia expandida de orquestração, na qual músicos e computador constituem um sistema interativo. Para tanto, foram confrontadas diferentes poéticas composicionais, sublinhando questões processuais em obras de compositores como Horacio Vaggione, Karlheinz Stockhausen, Iannis Xenakis, Luigi Nono, Marco Stroppa, Agostino Di Scipio, Cort Lippe, entre outros, de modo a sustentar a argumentação de uma sintaxe musical que tenha em sua base relações de interação. Para fornecer uma melhor compreensão sobre as poéticas composicionais discutidas, buscou-se um suporte teórico na teoria das estruturas dissipativas de Ilya Prigogine. Contudo, fazer da interatividade um objeto de pesquisa não é apenas questionar as relações entre músico e instrumental, mas a própria maneira de pensar música. Palavras-chave: Composição musical; música eletroacústica; poética musical; interatividade; teorias da complexidade.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: This research aims a theoretical and analytical approach about electroacoustic music composition under the operational perspective, that involves matters of musical narrative and electroacoustic processes and orchestration, highlighting interactivity as a structural factor of the composition from which many common problems from electroacoustic environment can find possible solutions. Interactivity in electroacoustic composition lives, before of all, in the attitude assumed by composer while active part of a relational system, acting critically in your compositional material. This issues have pairs in history of musical composition, and they are not so peculiar of the twenty-first century unless the particularities of electroacoustic material and the autonomy of the systems which composer has to deal. The development of digital environments to support musical creation, analysis and performance allowed direct writing in sound material in your many temporal relationships, turning algorithms in a script actions for the computer as the score is for performers. In this sense, the algorithms moves musical composition to an extended orchestration ideia, in which musicians and computers become a interactive system. Thus, were debated different compositional poetics highlighting procedurals issues of works of Horacio Vaggione, Karlheinz Stockhausen, Iannis Xenakis, Luigi Nono, Marco Stroppa, Agostino Di Scipio, among others, in a way to support an argumentation of a musical syntax that has in your base interactive relationships. Thus, to provide a better comprehension about thee compositional poetics that were discussed, we aimed a theoretical support in Ilya Progogine's dissipative structures theory. However, making the interactivity a research object isn't only question about the relations between instrument and musicians, but the thinking way itself about music. Keywords: Musical composition; electroacoustic music; musical poetry; interactivity; theories of complexity.pt_BR
dc.format.extent138 f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectMúsicapt_BR
dc.subjectComposição (Musica)pt_BR
dc.subjectComposição musical por computadorpt_BR
dc.titleCompondo interatividades : questões sobre poéticas e orquestração eletroacústicaspt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record