Show simple item record

dc.contributor.advisorDonatti, Lucélia
dc.contributor.authorRodrigues, Renato Garcia
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação
dc.date.accessioned2016-04-06T18:12:25Z
dc.date.available2016-04-06T18:12:25Z
dc.date.issued2014
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/41949
dc.descriptionOrientadora : Profª. Drª. Lucélia Donatti
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação. Defesa: Curitiba, 29/08/2014
dc.descriptionInclui referências : f. 56-61
dc.description.abstractResumo: As causas das variações temporais na abundância de roedores e, consequentemente, na estrutura da comunidade ainda não são claras, sendo tratadas de forma superficial e geralmente atribuídas a sazonalidades climáticas e períodos reprodutivos. Além disso, os fatores extrínsecos que influenciam no modo como espécies diferentes de roedores coexistem e utilizam o habitat ainda são pouco entendidos. A oferta de recursos alimentares sazonais e em grande quantidade possui forte influência nas alterações populacionais e grande capacidade de modificar as relações entre diferentes espécies de roedores e seu micro-habitat. Contudo, é raro a identificação de um evento ou item alimentar em específico como agente motivador dessas variações. Na região sul do Brasil, uma espécie conhecida por disponibilizar grande quantidade de sementes no chão da floresta, é a gimnosperma Araucaria angustifolia. Suas sementes, conhecidas como pinhões, constituem importante recurso alimentar para aves e roedores, pois são dispersas durante o inverno, período pelo qual ocorre uma queda na produção de frutos zoocóricos na floresta. Dessa forma, áreas com altas densidades de A. angustifolia podem ao mesmo tempo tornar o chão da floresta altamente atrativo para roedores no período de dispersão de suas sementes, como também serem pouco atraentes quando esse recurso não é ofertado, devido a sua relação negativa com outras espécies arbóreas. Assim, através do estudo de captura, marcação e recaptura avaliamos as variações espaciais e temporais no uso do hábitat e na composição e estrutura da comunidade de roedores durante os períodos com e sem oferta de sementes de A. angustifolia. Também verificamos se as possíveis variações na comunidade de roedores e na distribuição espacial de suas espécies em micro escala são influenciadas por diferentes densidades de A. angustifolia. O local de estudo escolhido foi a Estação Experimental da Universidade Federal do Paraná, município de São João do Triunfo, no sul do Brasil, onde foram selecionadas três fitofisionomias diferenciadas por parâmetros fitossociológicos e pela estrutura populacional das araucárias. Os resultados estão divididos em dois capítulos, o primeiro avalia, numa escala temporal e espacial, a influência da oferta de pinhão na estrutura da comunidade, e o segundo analisa as possíveis variações no uso do habitat diante dos períodos com e sem oferta desse recurso alimentar. No geral foram amostradas cinco espécies de roedores: Akodon montensis, Thaptomys nigrita, Oligoryzomys nigripes, Oligoryzomys flavescens e Sooretamys angouya. A espécie dominante durante todo o estudo foi A. montensis, a qual foi responsável pela maior abundância em todas as sessões e em todas as áreas amostradas. A disponibilidade de sementes de araucária aumenta a diversidade independente da área, quando a representatividade da maior abundância diminuiu significativamente em relação ao período sem a oferta desse recurso. Foi possível avaliar parâmetros de uso de habitat para as duas espécies mais abundantes, A. montensis e O. nigripes. De forma geral, as duas espécies apresentaram distribuição espacial aleatória e alteraram o uso do habitat durante o período de oferta de pinhões, embora durante o período de disponibilidade de pinhões elas se mostrem agregadas na área com maior densidade de A. angustifolia. Em nosso estudo, a disponibilidade de pinhões no solo da floresta afetou a comunidade de roedores aumentando sua diversidade, alterando sua composição, diminuindo a dominância. Além disso, influenciou na utilização de habitat pelos roedores, onde durante a oferta de sementes O. nigripes intensificou o uso em locais com maior estrutura de vegetação herbácea e A. montensis intensificou o uso em pontos com menor cobertura de dossel. Palavras chave: Roedores, araucária, diversidade, micro-habitat
dc.description.abstractAbstract: The causes of temporal variations in the abundance of rodents and community structure are complex, discussed superficially and generally attributed to climate seasonality and reproductive periods. Furthermore, the extrinsic factors that affect how different rodent species coexist and habitat use are not very well understood. The availability of large quantities of seasonal food resources has a strong influence on population changes and can modify the relationships between rodents and their micro-habitat. However, it is difficult to identify an event or specific food items as motivator of these variations. In Southern Brazil, the gymnosperm Araucaria angustifolia provides a large amount of seeds on the forest floor. These seeds are an important food source for birds and rodents because they are dispersed during the winter when the production of zoochore fruits in the forests are decreased. Thus, areas with high densities of A. angustifolia while that offer lots of food for rodents resource, may not be attractive at the same intensity when this feature is not available. Spatial and temporal variations in habitat use and the composition and structure of rodent community were evaluate during periods with and without supply of Brazilian pine seeds through the study of capturing, marking and recapturing. Also check if the possible variations in the rodent community and the spatial distribution of its species in micro scale are influenced by different densities of A. angustifolia. The study was conducted at the Experimental Station of the Federal University of Paraná, São João do Triunfo, where three different areas were selected by phytosociological parameters and population structure of Brazilian pine. The results are presented in two chapters, first evaluates a temporal and spatial scale, the influence of seeds' supply in community structure, and the second examines possible variations in habitat use on the periods with and without supply of this food resource. Five species of rodents were sampled: Akodon montensis, Thaptomys nigrita, Oligoryzomys nigripes, Oligoryzomys flavescens e Sooretamys angouya. A. montensis was the species dominant and responsible for greater abundance in all sessions and in all sampled areas. The availability of Brazilian pine seeds increased the diversity when the representativeness of the greater abundance decreased significantly over the period without offering this feature. It was possible to evaluate parameters of habitat use for the two most abundant species, A. montensis e O. nigripes. In general, these two species, during the period of seeds'availability, had a random spatial distribution, they aggregated in the area A. angustifolia highest density. The results showed that the supply of seeds in the soil forest affected the rodents' community increasing its diversity, by changing its composition and decreasing dominance. In addition, the two species changed the habitat use during the period of seeds' offer. O. nigripes used the herbaceous stratum were seeds are available and A. montensis intensified use in locations where canopy cover were lower than others. Key words: rodents, araucaria, diversity, microhabitat
dc.format.extent62 f. : il. algumas color.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectEcologia
dc.titleEstrutura da comunidade de roedores e sua relação com a presença de Araucária angustifolia (BERT.) O. KTZE.
dc.typeTese


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record