Show simple item record

dc.contributor.advisorSilva, Paulo Vinicius Baptista da, 1965-
dc.contributor.authorSilva, José Alessandro Cândido da
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação
dc.date.accessioned2016-03-16T14:18:54Z
dc.date.available2016-03-16T14:18:54Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/41772
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Paulo Vinicius Baptista da Silva
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação. Defesa: Curitiba, 22/10/2015
dc.descriptionInclui referências : f. 170-182
dc.description.abstractResumo: Este trabalho analisa uma das maiores e mais desafiantes políticas educacionais para a diversidade no Brasil, a política de Educação Escolar Indígena. O estudo foca questões que apontam para problemáticas na sua efetivação, permitindo-nos refletir como tem ocorrido o processo de implementação e desenvolvimento das políticas públicas educacionais indígenas no Estado do Acre, com ênfase na formação de professores indígenas a partir do final da década de 1990. A pesquisada aponta para os embates travados na (re) definição da educação escolar para esses povos, destacando o papel de todos os agentes envolvidos nessas ações desde as suas formulações até a execução nos contextos formais de escolarização. Para tanto toma com base metodológica o Ciclo de Políticas de Stephen Ball e Richard Bowe, na medida em que considera a importância das pesquisas no campo das políticas públicas educacionais e os diversos movimentos que tornam determinada política relevante a ponto de ser homologada e efetivada. O Ciclo de Políticas evidencia como toda essa trajetória é permeada de relações de poder, fato essencial a ser considerado por quem formula, executa e pesquisa. Assim, a discussão apresenta uma panorâmica geral sobre a educação escolar, mas trata com especialidade o processo de formação dos professores indígenas no Estado, problematizando as questões concernentes, a partir do movimento indígena e do indigenismo regional. Portanto investiga como se deu a constituição da proposta de educação diferenciada como um direito dos grupos indígenas no Acre, de maneira a apontar nessa política os percalços pelos quais ela vem passando na medida em que a instituição escolar se dissemina pelas Terras Indígenas acreanas. Tomando a formação de professores indígenas como um destaque central para a viabilização da propaganda educação diferenciada, problematiza os discursos indígenas sobre essa instituição proferidos a partir da escola indígena. De modo geral, entre as questões específicas resultantes do estudo destacamos nessa discussão que a institucionalização das propostas e práticas de Educação Escolar Indígena no Acre tem transformado os direitos educativos dos povos indígenas em obrigações de Estado, ganhando espaço no campo legal e oficial, mas perdendo seu caráter de autoria, de produção coletiva e autônoma. Palavras - Chave: Educação escolar indígena. Indigenismo. Políticas Públicas. Professores indígenas. Acre.
dc.description.abstractAbstract: This paper examines one of the largest and most challenging educational policies for diversity in Brazil, the Indigenous Education policy. The study focuses on issues that point to problems in its execution, allowing us to reflect as has been the process of implementation and development of indigenous educational policies in the State of Acre, with emphasis on the training of indigenous teachers from the end of the 1990s . The researched points to the conflicts in the (re) definition of education for these people, highlighting the role of all those involved in these actions from its formulations to execution in formal schooling contexts. Therefore take with methodological basis Stephen Ball Policy Cycle and Richard Bowe, in that it considers the importance of research in the field of educational policies and the various movements that make certain relevant policy about to be approved and take effect. The Policy Cycle shows how all this history is permeated by power relations, essential fact to be considered by those who formulate, execute and research. Thus, the discussion presents an overview of school education, but deals with specialty the process of training of indigenous teachers in the state, questioning concerning the issues from the indigenous movement and the regional indigenous movement. Therefore investigates how was the constitution of differentiated education proposal as a right of indigenous groups in Acre, in order to point out that political mishaps by which it has been going in that the school institution is spread by Indigenous Lands Acre. Taking the training of indigenous teachers as a central emphasis on the viability of differentiated education propaganda, discusses indigenous discourses on this institution delivered from the indigenous school. Overall, among the specific issues arising from the study highlight this discussion that the institutionalization of the proposals and Indigenous Education practices in Acre have transformed the educational rights of indigenous peoples in government bonds, gaining ground in the legal and official camp, but losing its character of authorship, collective and autonomous production. Key-words: Indigenous school education. Indigenism. Public policies. Indigenous teachers. Acre.
dc.format.extent182 f.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectEducação
dc.titlePolíticas públicas de educação escolar indígena e a formação de professores indígenas no Acre
dc.typeTese


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record