Show simple item record

dc.contributor.advisorPicanço, Deise Cristina de Lima
dc.contributor.authorMiranda, Nilva Conceição
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação
dc.date.accessioned2016-03-15T16:39:43Z
dc.date.available2016-03-15T16:39:43Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/41447
dc.descriptionOrientadora: Profª Drª Deise Cristina de Lima Picanço
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação. Defesa: Curitiba, 25/09/2015
dc.descriptionInclui referências : f. 105-112
dc.description.abstractResumo: A presente pesquisa teve como objetivo realizar uma investigação sobre o ensino da Língua Estrangeira, em especial, da Língua Inglesa no Brasil, a partir da análise das relações entre as políticas educacionais nacionais e internacionais, por meio de um estudo bibliográfico e documental. Este estudo fundamentou-se na concepção bakhtiniana de enunciado, na qual buscou desvelar os ecos e ressonâncias de outros enunciados que percebemos incorporados nos textos oficiais, principalmente, por influência de acordos bilaterais ou de outros documentos internacionais. Investigamos na legislação brasileira as vozes sociais que subjazem à inclusão do ensino da Língua Inglesa no currículo escolar sob três enfoques: o primeiro apresentou um recorte histórico da Língua Inglesa, desde que a institucionalização da língua inglesa em decorrência das relações políticas, econômicas e culturais com a Inglaterra e, posteriormente, com os Estados Unidos; o segundo investigou acordos internacionais, citando como principais as ações do OCIAA, o programa PABAEE e os Acordos MEC-USAID, as possíveis influências de outros discursos incorporados no processo de construção do sistema educacional no Brasil e suas relações com o ensino da Língua Inglesa; o terceiro apresentou algumas constatações referentes às interferências no percurso histórico da disciplina, das políticas externas e de outros determinantes para a formação dos sujeitos educandos da escola pública. As fontes secundárias que selecionamos trouxeram para o debate, as contribuições de pesquisas que analisaram as vozes sociais de pais, alunos e da mídia sobre o ensino de LE. Durante a pesquisa, verificamos que as línguas estrangeiras, em especial, a língua inglesa apresentou em sua trajetória, estreita relação com as mudanças nas relações de produção, as quais contribuíram para a efetivação de acordos com as políticas externas que interferiram no desenvolvimento de aspectos internos ao funcionamento da escola. Essa investigação deparou-se também, com os embates sociais que surgem na escola, possíveis aproximações e distanciamentos entre o mundo do trabalho, o ensino da Língua Inglesa, e a formação do sujeito/educando. Nesse sentido, pretendemos esclarecer alguns conceitos presentes nos enunciados da legislação educacional em um contexto mais amplo, seja em termos históricos, econômicos, culturais ou políticos. Os resultados alcançados na investigação apontam para a necessidade em suscitar discussões e esclarecer questões que levem à compreensão da função social das línguas estrangeiras na escola pública. E somente a partir de uma visão clara sobre tais questões, será possível problematizar as concepções de ensino que permeiam a escola e evitar interpretações equivocadas que aprisionam as formas mais amplas de conhecer e compreender o outro e a si mesmo. Palavras-chave: Língua Inglesa. Políticas educacionais. Vozes sociais. Função social.
dc.description.abstractAbstract: The present research aimed to conduct a research on the teaching of foreign language, in particular, the English language in Brazil, from the analysis of the relationship between national and international educational policies, by means of a bibliographic and documentary study. This study was based on Bakhtinian concepts of utterance, in which we intend to unveil the echoes and resonances of other statements that we perceived incorporated in official texts, mainly under the influence of bilateral agreements in international documents. We investigated in Brazilian legislation, social voices upon the inclusion of English language education in the school curriculum under three approaches: the first one presented a historical approach of the English language, since its institutionalization as a result of political, economic and cultural relations with England and, later, with the United States; the second one investigated international agreements, as following OCIAA political actions, PABAEE program and MEC-USAID agreements with possible influences of other discourses embedded in the construction process of education in Brazil and its relations with English language teaching process; the third one presented some findings concerning to the interference in the discipline historical development, with external policy and other determinants to the formation of the students from public school. To this end, we used secondary sources bringing to this discussion the research contributions of authors that analyzed social voices of parents, students and the media about the teaching of LE. During this study, the foreign languages, in particular English language, presented in its historical process, a closely connection to changes in the relations of production, which contributed to the establishment of agreements with the foreign policies that interfered with the development of internal aspects for the operation of the school. This investigation also faced with the social conflicts that arise in school, possible approaches and distances among the world of work, the teaching of English language, and the subject school formation. In this regard, we intended to clarify certain concepts presented in the educational legislation utterances in a broader context, as historical, economic, political or cultural approaches. The results achieved in this research point out to the need to arouse discussions and clarify issues leading to the understanding of the social function of foreign languages in public school. And only from a clear vision on such issues, it will be possible to discuss teaching concepts that permeate the school and avoid misinterpretations that trap the broader forms of knowing and understanding each other and self-construction. Key words: English Language. Educational policies. Social voices. Social role.
dc.format.extent112 f.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectEducação
dc.subjectEducação
dc.titleEnsino de língua inglesa no Brasil, políticas educacionais e a formação do sujeito da educação básica
dc.typeDissertação


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record