Show simple item record

dc.contributor.advisorSilva, Sérgio Gregório da
dc.contributor.authorSilva, Aldo Coelho
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Educação Física
dc.date.accessioned2016-03-07T20:38:44Z
dc.date.available2016-03-07T20:38:44Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/41317
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Sergio Gregorio da Silva
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Defesa: Curitiba, 26/02/2015
dc.descriptionInclui referências : f. 74-85
dc.descriptionÁrea de concentração: Exercício e esporte
dc.description.abstractResumo: Objetivo: examinar a influência de diferentes tempos musicais nas respostas fisiológicas, perceptuais, afetivas e na velocidade média durante caminhada em ritmo autosselecionado realizada por mulheres com sobrepeso e obesidade. Métodos: 15 mulheres participaram da pesquisa (estatura, 157 ± 0,0 cm; massa corporal, 79,3 ± 10,7 kg; IMC, 32,2 ± 4,7 kg/m²; idade, 42,6 ± 4,8 anos; VO2pico, 24,6 ml/kg/min; FCmáx, 173,4 ± 18,9 bpm; %VO2picolv, 80,5 ± 9,0 e %FCmáxlv 83,8 ± 7,3), sendo submetidas a um teste incremental máximo e a três sessões experimentais. Nas sessões experimentais, as participantes realizaram 30 minutos de caminhada em ritmo autosselecionado em três condições: tempo musical rápido (140-145bpm), tempo musical médio (115-120bpm) e sem música. Houve uma randomização das condições. Durante as sessões experimentais, as variáveis fisiológicas (VO2, FC) foram medidas continuamente por um analisador de gases portátil. A percepção subjetiva de esforço (Borg 6-20, PSE), a sensação de prazer/desprazer (Feeling Scale, FS) e a ativação percebida (Felt Arousal Scale, FAS) foram verificadas a cada cinco minutos. Resultados: não foi encontrada diferença entre as condições nas respostas fisiológicas e na velocidade média de caminhada. Entretanto, a PSE foi significantemente maior na condição sem música em comparação à condição com música média (12,0 ± 2,2 vs 10,6 ± 2,0). Com relação as respostas afetivas, o grupo com tempo musical médio apresentou uma sensação de prazer mais positiva do que o grupo sem música (2,7 ± 1,7 vs 1,3 ± 2,2). Não foi observado efeito do uso da música na ativação percebida. Conclusão: os resultados do presente estudo demonstraram que caminhar escutando música com tempo musical médio promove menor percepção de esforço e sensação de prazer mais positiva do que caminhar sem música em mulheres com sobrepeso e obesidade. Palavras-chave: música, autosseleção, modelo circumplexo.
dc.description.abstractAbstract: Purpose: To examine the influence of different musical tempo during walk at self-selected pace on physiological, perceptual and affective responses in women with overweight and obesity. Methods: 15 women agreed to participate (height, 157 ± 0.0 cm; body mass, 79.3 ± 10.7 kg; BMI 32.2 ± 4.7 kg / m²; age, 42.6 ± 4,8 years; VO2peak, 24.6 ml/kg/min, HRmax, 173.4 ± 18.9 bpm; %VO2peakvt, 80.5 ± 9.0 and %HRmaxvt, 83.8 ± 7.3), underwent to a maximal treadmill test and three experimental sessions. At the experimental sessions, the participants performed a protocol of 30 minute walk at self-selected pace in three conditions: fast musical time (140-145bpm), medium musical time (115-120bpm) and no music. There was a randomized conditions. During the sessions, the physiological variables (VO2, HR) were continuously measured by a portable metabolic system. The perceived exertion (Borg 6-20, RPE), feeling of pleasure/displeasure (Feeling Scale, FS) and perceived activation (Felt Arousal Scale, FAS) were checked every five minutes. Results: did not see differences between the conditions in physiological responses. However, the RPE was significantly higher in the no music condition compared to the condition with medium tempo music (12,0 ± 2,2 vs 10,6 ± 2,0). Regarding the affective responses, the group with medium tempo music had a feeling of pleasure more positive than the group without music (2,7 ± 1,7 vs 1,3 ± 2,2). There was no effect of the music on FAS. Conclusion: the results showed that walk listening music with medium tempo promoter a lower perceived exertion and a feeling of pleasure more positive than walking without music in overweight and obese women. Keywords: music, self-selected pace, circumplex model.
dc.format.extent97 f. : il., grafs., tabs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectEducação Física
dc.titleInfluência do tempo musical sobre as respostas fisiológicas, perceptuais e afetivas durante caminhada em mulheres com sobrepeso e obesidade
dc.typeDissertação


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record