Show simple item record

dc.contributor.advisorCampos, Antonio Carlos de, 1958-
dc.contributor.authorBalbinot, Priscilla
dc.contributor.otherMatias, Jorge Eduardo Fouto
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica
dc.date.accessioned2016-03-21T17:37:54Z
dc.date.available2016-03-21T17:37:54Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/41315
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Antônio Carlos L. Campos
dc.descriptionCo-orientador: Prof. Dr. Jorge Eduardo F. Matias
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica. Defesa: Curitiba, 16/07/2015
dc.descriptionInclui referências : f. 112-118
dc.descriptionÁrea de concentração : Cicratização e medidas de resistênicas do tecido
dc.description.abstractResumo: Introdução: A radiofrequência é uma modalidade terapêutica que utiliza a emissão de correntes elétricas de alta frequência, formando um campo eletromagnético que gera calor quando em contato com os tecidos. É uma terapia não invasiva capaz de estimular mudanças na forma e disposição do colágeno e induzir a neocolagênese por meio da geração da diatermia, de forma controlada, em camadas profundas do tecido cutâneo e subcutâneo. A reparação de cicatrizes envolve principalmente a produção de fibras de colágeno tipo I e III, e a neoformação de vasos. Com a maior procura por cicatrizes estéticas e funcionais mais satisfatórias, tem-se buscado tratamentos que possam modular o processo cicatricial. A radiofrequência tem atraído atenção por ser cada vez mais utilizada clinicamente, apesar dos poucos estudos e protocolos estabelecidos. Objetivo: Avaliar o efeito da radiofrequência monopolar, no 7º e 14º dias de cicatrização de feridas incisionais em ratos, aplicada em três sessões. Método: Quarenta e oito ratos Wistar foram randomicamente divididos em quatro grupos: GC7 - ratos submetidos à eutanásia após o 7º dia de lesão e à radiofrequência com aparelho desligado; GR7 - ratos submetidos à eutanásia após o 7° dia de lesão e à radiofrequência; GC14 - ratos submetidos à eutanásia após o 14º dia de lesão e à radiofrequência com aparelho desligado; GR14 - ratos submetidos à eutanásia após o 14° dia de lesão e à radiofrequência. A radiofrequência foi realizada em dias alternados, após 24 horas da lesão incisa abdominal, no total de três vezes, com aparelho monopolar (equipamento Spectra® da Tonederm®) e amplitude de 1 kHz durante sete minutos, a 38ºC. A cicatrização foi analisada em ferida incisa ventral e foram analisados os seguintes parâmetros: tensiometria, taxas de reepitelização, contagem de células do tecido de granulação, análise do colágeno e parâmetros de inflamação como VEGF, Ki-67, MMP 2 e 9. Resultados: Observou-se aumento da resposta inflamatória nos grupos tratados com radiofrequência, e esse efeito permaneceu na avaliação no 14º dia. No parâmetro de HE, não houve diferença estatística entre os grupos. A dosagem total de colágeno foi similar entre os grupos avaliados no 7º dia (GR7: 1094,3 ± 24 x GC7: 1032 ± 15, p>0,05) e maior no grupo submetido à radiofrequência quando a avaliação ocorreu no 14º dia (GR14: 1203 ± 21 x GC14: 993,2 ± 19, p<0,05). A concentração de colágeno tipo III foi maior nas feridas dos dois grupos tratados, tanto nos tempos iniciais (7º dia) quanto no maior tempo de exposição nas feridas (14º dia) (GR7: 728,8 ± 117 x GC7: 323,9 ± 64; GR14: 987,3 ± 185 x GC14: 102,5 ± 33, p<0,0001). A concentração de colágeno I mostrou-se menor no grupo submetido à radiofrequência nos dois tempos examinados (GR7: 414,7 ± 75 x GC7: 754,3 ± 99; GR14: 193,1 ± 62 x GC14: 889 ± 160, p<0,0001). O processo de angiogênese avaliado por VEGF foi similar entre os grupos (GR7: 18,5± 7 x GC7: 12± 8, p=0,44; GR14: 19,8 ± 5 x GC14: 15,7 ± 7, p=0,2443). A proliferação celular (ki-67) foi maior no grupo tratado no 7.º e no 14.º dias (GR7 20,5± 4 x GC7 13,6 ± 6; GR14 33,4 ± 10 x GC14 20,2 ± 12, p<0,05). A degradação celular e de MEC e a ativação do processo inflamatório também foram avaliadas pelas metaloproteinases, apresentando maior expressão no 14º dia para MMP-2 (GR14: 22 ± 4 x GC14: 9,8 ± 3, p<0,001), e no 7º e no 14º dia para MMP-9 (GR7: 21,4 ± 6 x GC7: 9,9± 4; GR14: 50,3 ± 12 x GC14: 24,7 ± 9, p<0,05). A avaliação no 7º dia para MMP-2 foi marginalmente significante para as diferenças entre os dois grupos (GR7: 10,8 ± 3 x GC7: 7,78 ± 2, p=0,0649). Conclusões: A aplicação de radiofrequência nessa dose resultou em maior tempo de processo inflamatório agudo, retardo no processo de maturação de colágeno, menor tensão das feridas, maior expressão de ki-67 e fatores de degradação de membrana celular.
dc.description.abstractAbstract: Background: Radiofrequency is a noninvasive therapeutic modality, which uses the emission of high frequency electrical currents forming an electromagnetic field, which generates heat when in contact with tissue. Radiofrequency is able to induce synthesis and to stimulate changes in the shape and arrangement of the collagen and inducing neocollagenesis by means of generating diathermia, in a controlled manner, in deep layers of cutaneous and subcutaneous tissue. Wound healing is a dynamic process, which involves a complex network of extracellular interactions, chemical mediators and local inflammatory cells. Collagen type III and I, and angiogenesis are involved in scar formation and they are modified by this therapeutic modality. Radiofrequency has attracted attention for being increasingly used clinically, despite the few studies and protocols established. Aim: Evaluate monopolar radiofrequency effects, on the 7th and 14th day in healing process in rats, applied in three sessions. Method: Forty-eight male rats were randomly divided into four groups: GC7 - rats were submitted to radiofrequency with appliance disconnected and were killed after seven days from skin lesion and, GR7 -rats were submitted to radiofrequency and were killed after seven days from skin lesion, GC14 - rats were submitted to radiofrequency with appliance disconnected and were killed after fourteen days from skin lesion and, GR14 - rats were submitted to radiofrequency and were killed after fourteen days from skin lesion. Monopolar radiofrequency (Spectra Tonederm©) was applied every other day, 24 hours after abdominal incision injury (1,3 and 5 days), with 1 kHz of amplitude and 38ºC for seven minutes The healing was analyzed in a ventral cut wound and the following parameters were analyzed: incisional wounds tensiometer, reepithelialization rates, counting of cells of the granulation tissue, analysis of the collagen and inflammation parameters as VEGF, Ki-67, MMP 2 and 9. Results: Increased inflammatory response in radiofrequency-treated groups was noted, and this effect lasted until 14th day. In the HE parameter, there was no statistical difference between the groups. The total dosage of collagen was similar to both groups on the 7th day (GR7: 1094,3 ± 24 x GC7: 1032 ± 15, p>0,05) and greater in the group submitted to radiofrequency when the evaluation occurred on the 14th day (GR14: 1203 ± 21 x GC14: 993,2 ± 19, p<0,05). Collagen type III has increased in both treated groups (GR7 and GR14) (GR7: 728,8 ± 117 x GC7: 323,9 ± 64; GR14: 987,3 ± 185 x GC14: 102,5 ± 33, p<0,0001). The concentration of collagen I was less in the group submitted to radiofrequency in the two times examined (GR7: 414,7 ± 75 x GC7: 754,3 ± 99; GR14: 193,1 ± 62 x GC14: 889 ± 160, p<0,0001). The process of angiogenesis evaluated by VEGF was similar between the groups (GR7: 18,5± 7 x GC7: 12± 8, p=0,44; GR14: 19,8 ± 5 x GC14: 15,7 ± 7, p=0,2443). Cell proliferation (Ki-67) was greater in treated groups on the 7th and 14th days (GR7 20,5± 4 x GC7 13,6 ± 6; GR14 33,4 ± 10 x GC14 20,2 ± 12, p<0,05). Cellular and ECM degradation and activation of the inflammatory process were also evaluated by metalloproteinases, being greater on the 14th day for MMP-2 (GR14: 22 ± 4 x GC14: 9,8 ± 3, p<0,001), and on the 7th and 14th days for MMP-9 (GR7: 21,4 ± 6 x GC7: 9,9± 4; GR14: 50,3 ± 12 x GC14: 24,7 ± 9, p<0,05). The evaluation on the 7th day for MMP-2 was marginally significant for the differences between the two groups (GR7: 10,8 ± 3 x GC7: 7,78 ± 2, p=0,0649). Conclusions: Application of radiofrequency in this dose resulted in prolonged acute inflammatory process, less tension of the wounds, delay in collagen maturation process, increased expression of membrane cell degradation factors and ki-67 expression. Keyword: radiofrequency; wound healing; scar.
dc.format.extent135 f. : il. algumas color., tabs., grafs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectCirurgia
dc.subjectOndas de rádio
dc.subjectCicatrização
dc.subjectRatos
dc.titleEfeito da radiofrequência na cicratrização cutânea de ratos : análise histológica, imunoistoquímica e tensiométrica
dc.typeDissertação


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record