Show simple item record

dc.contributor.advisorRoglio, Karina de Dea, 1968-
dc.contributor.authorMaccali, Nicole
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduação em Administração
dc.date.accessioned2016-02-12T17:10:41Z
dc.date.available2016-02-12T17:10:41Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/40940
dc.descriptionOrientador : Profª Drª Karina de Déa Roglio
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Programa de Pós-Graduação em Administração. Defesa: Curitiba, 24/03/2015
dc.descriptionInclui referências : f. 220-227
dc.descriptionÁrea de concentração: Estratégia e análise organizacional
dc.description.abstractResumo: O processo decisório vem sendo foco nos estudos de processo estratégico nos últimos 40 anos, onde grande parte desses estudos descrevem o processo como uma seqüência de passos ou fases (PAPADAKIS; BARWISE, 2002). Estudos das últimas décadas sugerem que o foco singular sobre o processo de decisão racional precisa dar vistas para outros pontos importantes da influência do gestor sobre as decisões organizacionais. As agendas de pesquisas sugerem estudos com foco nas características psicológicas dos executivos (FINKELSTEIN; HAMBRICK; CANNELLA, 2009, CHIN, HAMBRICK, TREVIÑO, 2013). Com base nessas agendas, este estudo propõe-se a investigar o processo decisório tendo como perspectiva os valores pessoais que influenciam de modo subjetivo as decisões organizacionais realizadas por gestores estratégicos, conceituados neste trabalho como os indivíduos integrantes de diretorias organizacionais e que são responsáveis por tomar decisões estratégicas entendidas como decisões que têm um impacto significativo nas organizações (CHILD; ELBANNA; RODRIGUES, 2010). Buscou-se assim, compreender de que maneira esses valores influenciaram nas decisões organizacionais, sendo estas as unidades de análise da investigação realizada. Rokeach (1973) define valores como a crença em um modo de conduta ou estado definitivo de existência pessoal ou socialmente aceito. Para o autor, os valores não se manifestam isoladamente, mas se relacionam entre si e se constituem em sistemas de valores que são classificados pelo individuo em uma ordem de importância. Segundo Hambrick e Mason (1984, p. 195), os valores são "princípios que ordenam as conseqüências ou alternativas de acordo com [a própria] preferência" do executivo. Os valores pessoais foram identificados tendo como base a tipologia proposta por Hambrick e Brandon (1988), fundamentada nas propostas de England (1967), Allport-Vernon-Lindzey (1970), Rokeach (1973) e Hofstede (1980), na qual os autores propõem seis dimensões de valores: a) coletivismo (valorização da plenitude humana, dos sistemas sociais); b) dever (relacionado a obrigações e lealdade); c) racionalidade (decisões e ações sem emoção, baseadas em fatos); d) Inovação (mudanças nos valores, abertura ao novo); e) materialismo (relacionada a riqueza de valor e posses); e f) poder (valorização do controle das situações e das pessoas). A pesquisa, de abordagem metodológica qualitativa, combinou narrativas biográficas, entrevistas e análise de documentos, utilizando-se de aspectos do método história de vida como lente na coleta e análise dos dados de 4 (quatro) gestores estratégicos. Nas análises buscou-se demonstrar as influências dos valores pessoais de cada gestor nas decisões organizacionais ao longo de sua trajetória, evidenciando-se as subjetividades presentes em uma tomada de decisão. Palavras-chave: processo decisório organizacional, gestor estratégico, valores pessoais, decisão.
dc.description.abstractAbstract: The decision-making process has been focus on strategic process studies in the last 40 years, where most of these studies describe the process as a sequence of steps or stages (PAPADAKIS; BARWISE, 2002). The last decades studies suggest that singular focus on the rational decision-making need to give views of other important points of the influence of manager on organizational decisions. The research agendas studies suggest focusing on the psychological characteristics of executives (FINKELSTEIN; HAMBRICK; CANNELLA 2009, CHIN, HAMBRICK, TREVIÑO, 2013). Based on these agendas, this study aims at investigating the decision-making process, having in mind that the personal values subjectively influence the organizational decisions made by strategic managers, regarded here as the individual members of organizational boards that are responsible for making strategic decisions. We consider strategic decisions as those that have a significant impact on organizations (CHILD; ELBANNA; RODRIGUES, 2010). In sum, they highlight the comprehension of how strategic managers' values influence strategic decisions as a relevant theoretical and empirical gap. Rokeach (1973) defines values as the belief in a mode of conduct or permanent state of personal existence or socially acceptable. For the author, the values do not occur isolated but are interrelated and constitute a value systems which are classified by the individual in order of self importance. According to Hambrick and Mason (1984, p. 195), the values are "principles that rule the consequences or alternatives according to [one's] preference". Based on the proposals of England (1967), Allport-Vernon-Lindzey (1970), Rokeach (1973), and Hofstede (1980, 1983), Hambrick and Brandon (1988) proposed six value dimensions used to identify the executives' personal values in this research: a) collectivism (value the wholeness of humankind and of social systems); b) duty (related to obligations and loyalty); c) rationality (decisions and actions emotion-free, fact-based); d) novelty (to value change, the new, the different); e) materialism (related to wealth and pleasing possessions); f) power (to value control of situations and people). The research, with a qualitative methodological approach, combined biographical narratives, interviews and analysis of documents, using aspects of life history method as lens in the collection and analysis of data from four (4) strategic manager. In the analyzes we sought to demonstrate the influence of personal values of each manager in organizational decisions throughout its history, demonstrating the subjectivity present in a decision-making. Keywords: organizational decision-making, strategic manager, personal values, decision.
dc.format.extent248 p. : il., tabs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectAdministração
dc.titleInfluências de valores pessoais de gestores estratégicos no processo decisório organizacional
dc.typeTese


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record