Show simple item record

dc.contributor.advisorSantos, Alvaro Figueiredo dos
dc.contributor.authorThomazi, Heloisa
dc.contributor.otherDuarte, Henrique da Silva Silveira
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Agronomia
dc.date.accessioned2016-02-04T14:07:13Z
dc.date.available2016-02-04T14:07:13Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/40928
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Álvaro Figueiredo dos Santos
dc.descriptionCo-orientadores : Prof. Dr. Henrique da Silva Silveira Duarte
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Agronomia. Defesa: Curitiba, 26/02/2015
dc.descriptionInclui referências
dc.descriptionÁrea de concentração: Produção vegetal
dc.description.abstractResumo: O álamo (Populus deltoides) é uma espécie florestal que agrega alto valor econômico devido a qualidade e resistência da sua madeira, destinada principalmente para a fabricação de palitos de fósforo. Na região Sul do Brasil, o álamo é plantado no Vale do Rio Iguaçu (municípios de Porto União (SC), Paula Freitas (PR) e União da Vitória (PR)) atingindo aproximadamente 4300 hectares de área cultivada. Os clones desta espécie são extremamente exigentes em tratos culturais e fitossanitários, fazendo com que esta cultura enfrente sérios desafios, no que diz respeito à ocorrência de doenças. O fungo Rosellinia bunodes, causador de podridões radiculares, constitui um dos principais problemas fitossanitários em cultivos perenes, pois causa a morte das árvores, ocasionando a improdutividade de áreas por um longo período. A fácil disseminação, a ampla gama de hospedeiros e o pouco conhecimento sobre as características intrínsecas ao patógeno, fazem desta doença uma ameaça aos cultivos de álamo, tornando-se necessário conhecer os aspectos biológicos e morfofisiológicos relacionados ao fungo, que permitam desenhar estratégias efetivas de controle. O biocontrole vem sendo empregado, a fim de se gerar um controle mais eficiente desta doença, com a utilização do fungo Trichoderma, considerado um agente biológico potencialmente viável, em consequência da sua ação antagônica e inibitória, desencadeada por mecanismos de antibiose, competição e micoparasitismo. Neste trabalho, objetivou-se realizar a caracterização morfofisiológica, sintomatológica e patogênica de isolados de R. bunodes e avaliar o potencial de controle de isolados de Trichoderma spp. para este patógeno. O trabalho foi conduzido no Laboratório de Patologia Florestal da Embrapa Florestas, localizado no município de Colombo (PR). Os isolados de R. bunodes foram testados quanto à capacidade de crescimento micelial em diferentes meios de cultura e regimes de temperatura. Em casa de vegetação foram realizados testes de patogenicidade dos isolados de R. bunodes em mudas de álamo (Populus deltoides.), araucária (Araucaria angustifolia) e erva-mate (Ilex paraguariensis). A ação antagônica do fungo Trichoderma spp. sobre R. bunodes foi avaliada por meio de testes de controle in vitro e in vivo. De acordo com os resultados, constatou-se que o crescimento micelial de R bunodes ocorreu em todos os meios testados: batata-dextrose-ágar (BDA), V8-ágar, cenoura-ágar (CA) e ágar-água (AA), sendo verificado no meio BDA maior crescimento micelial para os nove isolados de R. bunodes. A temperatura média de 24 °C favoreceu o crescimento do fungo em placas de Petri e não foi observado crescimento micelial nas temperaturas de 8 e 32 °C. Entre os hospedeiros avaliados, o álamo demonstrou maior suscetibilidade ao patógeno. Nos testes de inibição in vitro, os isolados TRICH 103, TRICH 104, TRICH 112, TRICH 115, AR, LPF8, SP4 e TRE de Trichoderma spp. destacaram-se devido a maior ação antagônica ao crescimento micelial de R. bunodes. Testes in vivo demonstraram que o fungo Trichoderma spp. necessita de quatorze dias para estabelecer-se em substrato inoculado com R. bunodes. Não foi observada a mortalidade de mudas de álamo nos tratamentos testados para o ensaio de biocontrole devido à elevação das temperaturas dentro da casa de vegetação, não sendo possível constatar o efeito in vivo do fungo antagonista Trichoderma sobre R. bunodes. Palavras-chave: controle biológico, antagonismo, Trichoderma, podridão radicular, hospedeiros florestais.
dc.description.abstractAbstract: The poplar (Populus deltoides) is a forest species that adds high economic value due to the quality and strength of the wood, primarily intended for the matches manufacture. In southern Brazil, the poplar is planted in the Valley of the Iguaçu River (municipalities of Porto União (SC), Paula Freitas (PR) and União da Vitória (PR)) reaching approximately 4300 hectares of cultivated area. Clones of this type are highly demanding in cultural and phytosanitary treatments, making this culture faces serious challenges with regard to the occurrence of diseases. The fungus Rosellinia bunodes, which causes root rot, constitute one of a major disease problems in perennial crops, because it is the responsible for the death of trees, leading to areas of unproductive for a long period. The easy dissemination, large circle host range and few knowledges of the pathogen characteristics, make this disease a threat to poplar crops, making necessary to know about morphophysiologic and biological aspects related to the fungus, which allow the design of effective control strategies. The biocontrol has been employed in order to generate a more effective control of this disease with the use of Trichoderma, considered as a potentially viable biological agent as a consequence of their inhibitory and antagonistic action mechanisms triggered by antibiosis, mycoparasitism and competition. This study aimed to characterize up morphophysiologically, symptomatically and pathogenically isolates of R. bunodes and assess the potential for control of Trichoderma spp. for this pathogen. The experiments was conducted in Forest Pathology Laboratory of Embrapa Forests, located in the city of Colombo (PR). R. bunodes isolates were tested for mycelial growth capacity in different culture media and temperature regimes. In greenhouse, pathogenicity tests were conducted using R. bunodes isolates in poplar (Populus deltoides), araucaria (Araucaria angustifolia) and mate (Ilex paraguariensis). The antagonistic action of Trichoderma spp. on R. bunodes was evaluated by in vitro and in vivo control tests. According to the results, it was found that the mycelial growth of R bunodes occurred in all tested media: potato-dextrose-agar (PDA), V8-agar, carrot agar (CA) and water-agar (WA), being checked in PDA higher mycelial growth for the nine R. bunodes isolates. The average temperature of 24° C promoted the growth of the fungus in Petri dishes and mycelial growth was not observed at 8 to 32° C temperatures. Among the evaluated hosts, poplar showed higher sensitivity to the pathogen. In vitro inhibition tests, TRICH 103, TRICH 104, TRICH 112, TRICH 115, AR, LPF8, SP4 and TRE Trichoderma spp. isolates stood out due to greater antagonistic action to mycelial growth of R. bunodes. In vivo tests showed that the fungus Trichoderma spp. need fourteen days to settle in inoculated substrate with R. bunodes. There was no mortality of poplar seedlings in treatments tested for biocontrol test, due by rising temperatures inside the greenhouse, it is not possible to verify the in vivo effect of Trichoderma antagonistic fungus on R. bunodes. Key words: biological control, antagonism, Trichoderma, root rot, forests hosts.
dc.format.extent95 f. : il. algumas color., tabs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectAgronomia
dc.titleCaracterização morfofisiológica, sintomatológica, patogenicidade e biocontrole de Rosellinia bunodes em Álamo
dc.typeDissertação


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record