Show simple item record

dc.contributor.authorVilella, Karina Duarte
dc.contributor.otherBenelli, Elaine Machado
dc.contributor.otherZanon, Luciana Reichert Assunção
dc.contributor.otherFraiz, Fabian Calixto
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Odontologia
dc.date.accessioned2016-02-03T15:04:41Z
dc.date.available2016-02-03T15:04:41Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/40926
dc.descriptionOrientadora : Profa. Dra. Elaine Machado Benelli
dc.descriptionCoorientadores : Prof. Dra. Luciana Reichert A. Zanon, Prof. Dr. Fabian Calixto Fraiz
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Odontologia. Defesa: Curitiba, 30/06/2015
dc.descriptionInclui referências : f. 43-46
dc.description.abstractResumo: Ações educativas e preventivas para gestantes são fundamentais para que a mãe cuide de sua saúde e possa introduzir hábitos saudáveis desde o início da vida da criança. Fatores relacionados aos indivíduos como diferenças sociais e culturais podem interferir no processo de construção do conhecimento. Este estudo teve como objetivo avaliar a influência do alfabetismo em saúde bucal na retenção da informação em saúde após a aplicação de diferentes métodos educativos na gestação. Um total de175 gestantes foram aleatoriamente alocadas em três grupos de intervenções educativas: oral padronizada, escrita e controle. As intervenções abordavam práticas de alimentação e saúde bucal em crianças menores de dois anos de idade, com exceção do grupo controle, onde foi aplicado um folheto sobre câncer bucal. Para obtenção do escore de conhecimento, foram utilizadas nove afirmações com respostas dispostas em uma escala tipo Likert de três pontos. As participantes indicaram seu nível de concordância às afirmações em três momentos distintos: imediatamente antes das intervenções (conhecimento prévio), quinze minutos após as intervenções (aquisição da informação) e quatro semanas após as intervenções (retenção da informação). O alfabetismo em saúde bucal (ASB) foi analisado através do instrumento BREALD-30 e categorizado em alto (escore?18) e baixo (escore<18). Dados socioeconômicos e demográficos foram obtidos através de questionário testado. Os dados foram estatisticamente avaliados por meio de testes não paramétricos e através de modelos de regressão de Poisson com variância robusta (?=0,05). Ao final do seguimento, 162 gestantes foram avaliadas. Os grupos das participantes, divididas nos três diferentes tipos de intervenções, apresentaram características de base homogêneas. A média do BREALD-30 foi de 22,3 (DP=4,80). Quando não considerado o tipo de intervenção, participantes com baixo ASB apresentaram um significativo menor escore de conhecimento nos três momentos avaliados. Participantes com baixo ASB apresentaram menor aquisição da informação nos grupos de intervenções oral e controle. Aquelas com baixo ASB mostraram menor retenção da informação nos grupos de intervenção escrita e controle, não sendo observadas diferenças no grupo de intervenção oral. Os modelos de regressão múltipla mostraram que as variáveis idade, classe econômica, alfabetismo e tipo de intervenção foram independentemente associadas com a aquisição e a retenção da informação. Os resultados sugerem uma influência negativa do baixo alfabetismo em saúde bucal na retenção da informação. Somente a intervenção oral padronizada foi capaz de superar as diferenças entre os níveis de alfabetismo. Palavras chave: Gestantes. Educação em saúde. Alfabetização em saúde. Hábitos alimentares.
dc.description.abstractAbstract: Educational and preventive actions for pregnant women are essential for the mother to take care of their health and to introduce healthy habits from the beginning of the child's life. Factors related to individuals as social and cultural differences can interfere with the construction process knowledge. This study aimed to evaluate the influence of oral health literacy in the retention of health information after the application of different educational methods in pregnancy. 175 participants were randomly assigned to three groups of educational interventions: standardized oral, written and control. Interventions addressed feeding practices and oral health in children under two years of age, except for the control group, where a leaflet on oral cancer was applied. To obtain the score of knowledge, they were used nine statements with answers arranged in a Likert scale of three points. The participants indicated their level of agreement with statements at three different times: immediately before the interventions (previous knowledge), fifteen minutes after the interventions (information acquisition) and four weeks after the interventions (information retention). The oral health literacy (OHL) was analyzed by BREALD-30 instrument and categorized into high (escore?18) and low (score <18). Socio-economic and demographic data were obtained from tested questionnaire. Data were statistically evaluated by nonparametric tests and through Poisson regression models with robust variance (? = 0.05). At the end of follow-up, 162 patients were evaluated. The groups of participants divided in three different types of intervention showed homogeneous basic characteristics. The mean BREALD-30 was 22.3 (SD= 4.80). When not considered the type of intervention, participants with low OHL showed a significant lower score of knowledge in these three conditions. Participants with low OHL had lower acquisition of information in groups of oral interventions and control. Those with low OHL showed lower retention of information in written interventions and control groups, no differences were observed in the oral intervention group. The multiple regression models showed that age, economic status, literacy and type of intervention were independently associated with the acquisition and retention of information. The results suggest a negative influence of low oral health literacy in the retention of information. Only the standardized oral intervention overcome the differences between the literacy levels. Key Words: Pregnant women. Health education. Literacy in health. Food habits.
dc.format.extent62 f. : il., tabs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectOdontologia
dc.subjectGestantes
dc.subjectEducação em saude
dc.subjectAlfabetização em saúde
dc.subjectHábitos alimentares
dc.titleAlfabetismo em saúde bucal e a retenção da informação após a aplicação de métodos de educação em saúde na gestação : ensaio clínico controlado e randomizado
dc.typeDissertação


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record