Show simple item record

dc.contributor.advisorFerreira, Fernanda de Morais
dc.contributor.authorMorikava, Francine Sumie
dc.contributor.otherFraiz, Fabian Calixto
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Odontologia
dc.date.accessioned2015-11-26T17:37:07Z
dc.date.available2015-11-26T17:37:07Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/40019
dc.descriptionOrientadora: Prof. Dra. Fernanda de Morais Ferreira
dc.descriptionCo-orientador: Prof. Dr.Fabian Calixto Fraiz
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Odontologia. Defesa: Curitiba, 28/07/2015
dc.descriptionInclui referências : f. 46-49
dc.descriptionÁrea de concentração: Saúde bucal durante a infância e adolescência
dc.description.abstractResumo: Fatores dietéticos são determinantes de uma série de doenças crônicas, incluindo a cárie dentária. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência da frequência do consumo de alimentos cariogênicos e de alimentos saudáveis sobre a prevalência de cárie dentária não tratada em pré-escolares. Para isso, foi desenvolvido um estudo observacional transversal com 427 pré-escolares de 5 anos de idade regularmente matriculados na rede municipal de educação infantil de Curitiba-PR e seus responsáveis. Foi enviado aos responsáveis um questionário relacionado às características socioeconômicas da família. A higiene bucal foi avaliada através de questões junto ao questionário socioeconômico e pelo exame clínico da criança. Para a avaliação dietética foi utilizado um questionário de frequência alimentar (QFA) desenvolvido no estudo piloto. A verificação das condições dentárias foi realizada em exame clínico através da avaliação da presença de placa dental (Índice de placa visível ântero-superior) e cárie dentária (Índice ceo-d). Análise bivariada (teste de Mann-Whitney) foi realizada para a cárie dentária não tratada e as variáveis explicativas numéricas. Os dados categóricos foram analisados por meio de regressão de Poisson univariada e múltipla, com variância robusta. A prevalência de cárie não tratada foi de 51% (IC 95%: 46 - 56). O número de contatos diários com alimentos cariogênicos foi maior em crianças que apresentavam pelo menos um dente cariado não tratado (mediana = 1,57) do que naquelas sem dentes cariados não tratados (mediana = 1,29). Para alimentos saudáveis, o maior número de contatos diários ocorreu em crianças sem a presença de dentes cariados não tratados (mediana = 7,00) quando comparados àquelas com pelo menos um dente cariado não tratado (mediana = 6,57). Os modelos múltiplos de regressão de Poisson mostraram que a cada contato diário a mais com alimentos cariogênicos, houve um aumento de 6% na prevalência de dentes cariados não tratados (RP = 1,06) ao passo que a cada contato diário a mais com alimentos saudáveis, houve a redução de 4% na prevalência de cárie (RP = 0,96). Quando os contatos diários com alimentos cariogênicos e alimentos saudáveis foram incorporados ao mesmo modelo, o primeiro perdeu sua significância (p = 0,102), porém o número de contatos diários com alimentos saudáveis manteve seu efeito protetor em relação a presença de cárie dentária não tratada (p = 0,011). Esses resultados estão ajustados pelas variáveis: placa visível e frequência de escovação. Conclui-se que na amostra de pré-escolares estudada, quanto maior o número de contatos diários com alimentos cariogênicos, maior foi a prevalência de cárie dentária não tratada, e quanto maior o número de contatos diários com alimentos saudáveis, menor foi a prevalência da doença. O efeito da frequência de consumo de alimentos cariogênicos na prevalência de cárie não tratada em pré-escolares foi anulado pela de consumo de alimentos saudáveis, a qual, por sua vez, manteve seu efeito protetor para cárie mesmo na presença de um alto consumo diário de alimentos cariogênicos. Palavras-chave: Cárie dentária. Consumo de alimentos. Dieta cariogênica. Alimentos saudáveis. Pré-escolar.
dc.description.abstractAbstract: Dietary factors are crucial to a number of chronic diseases, including tooth decay. The aim of this study was to evaluate the frequency of consumption of cariogenic foods and health food on the prevalence of untreated caries in preschool children. For this, it was developed a cross-sectional observational study with 427 preschool children of 5 years enrolled in the municipal early childhood education of Curitiba-PR and their parents. A questionnaire related to family socioeconomic characteristics was sent to the caregivers. Oral hygiene and socioeconomic data were assessed using a questionnaire. Food intake was assessed by a Food Frequency Questionnaire (FFQ) developed in the pilot study. Dental conditions dental plaque (visible plaque index) and dental caries (dmft index) were evaluated on clinical examination by evaluating the presence of. Bivariate analysis (Mann-Whitney test) was performed for untreated caries and numerical explanatory variables. Categorical data were analyzed by univariate and multiple Poisson regression model with robust variance. The prevalence of untreated caries was 51% (95 % CI: 46-56). The number of daily contacts with cariogenic foods was higher in preschool children who had at least one untreated decayed tooth (median = 1.57) than in those without untreated decayed teeth (median = 1.29). For healthy food, the largest number of daily contacts occurred in preschool children without the presence of untreated decayed teeth (median = 7.00) compared to those with at least one untreated decayed tooth (median = 6.57). The multiple Poisson regression models showed that for each daily contact with cariogenic food, there was a 6% increase in the prevalence of untreated decayed teeth (PR = 1.06) whereas for each daily contact with healthy foods, there was a 4% reduction in caries prevalence (PR = 0.96). When the daily contacts with cariogenic foods and healthy foods were incorporated into the same model, the first lost its significance (p = 0.102), but the number of daily contacts with healthy foods kept its protective effect on the presence of untreated caries (p = 0.011). These results are adjusted for the variables visible plaque and brushing frequency. We conclude that in these pre-school sample, the higher the daily contact with cariogenic foods, the higher the prevalence of untreated caries, and the higher daily contact with healthy foods, the lower the prevalence of the disease. The effect of daily consumption of cariogenic foods in untreated caries prevalence in preschool children was annulled by the daily consumption of healthy foods, which, in turn, kept its protective effect to decay even in the presence of a high daily consumption of cariogenic food. Keywords: Dental caries. Food consumption. Diet, Cariogenic. Health Food. Child, Preschool.
dc.format.extent73 f. : il., tabs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectCárie dentária
dc.titleO que é mais importante para a prevenção de cárie em crianças : restringir o contato com alimentos cariogênicos ou estimular uma alimentação saudável?
dc.typeDissertação


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record