Show simple item record

dc.contributor.advisorPie, Marcio Roberto
dc.contributor.authorQueiroz, Elisiane Castro de
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Entomologia).
dc.date.accessioned2015-12-03T11:51:26Z
dc.date.available2015-12-03T11:51:26Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/39880
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Marcio Roberto Pie
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Entomologia). Defesa: Curitiba, 19/02/2015
dc.descriptionInclui referências
dc.descriptionÁrea de concentração : Entomologia
dc.description.abstractResumo: Acromyrmex é um gênero taxonomicamente desafiador porque possui uma diversidade de táxons subespecíficos e apresenta grande importância ecológica e econômica. Descrições originais foram tradicionalmente baseadas em caracteres morfológicos muito variáveis, levando ao reconhecimento de dois subgêneros, 32 espécies e pelo menos 30 subespécies. Nossos objetivos foram inferir as relações internas em Acromyrmex com base em um estudo morfológico e uma filogenia molecular utilizando um marcador mitocondrial e marcadores nucleares, incluindo as espécies que ocorrem no Brasil, com destaque para as subespécies de Acromyrmex subterraneus. Delimitar as espécies (Acromyrmex balzani e A. subterraneus) utilizando métodos de delimitação recentemente desenvolvidos também foi nosso objetivo. Obtivemos sequências para 15 espécies de Acromyrmex, incluindo as três subespécies: A. subterraneus subterraneus, A. subterraneus brunneus e A. subterraneus molestans e inferimos uma filogenia molecular utilizando máxima verossimilhança e métodos de inferência Bayesiana. Além disso, foram examinados 123 espécimes de A. subterraneus para acessar o grau de variação na cor e morfologia entre as subespécies analisadas. Para a delimitação de espécies foram sequenciadas 66 amostras de A. balzani e A. subterraneus para o gene mitocondrial citocromo oxidase I (COI), e para três marcadores (EPIC-"exon-primed intron-crossing"). Nós estimamos árvores gênicas por inferência Bayesiana e usamos as mesmas para estimar hipóteses de relacionamento adicionais além daquelas da taxonomia atual, pelo método do modelo Yule coalescente (GMYC). Nós, então, estimamos árvores de espécies multiloci para cada hipótese de relação entre espécie, e comparamos os resultados de cada uma das hipóteses utilizando o método de Critério de informação Akaike através da cadeia de Markov Monte Carlo (AICM). Além disso, utilizamos o método implementado em Análise Bayesiana de dados de sequências genômicas sob o modelo coalescente (BP&P) para obter uma validação da melhor hipótese de espécie. A filogenia obtida sugere que os subgêneros são parafiléticos assim propomos serem abandonados, com Moellerius sendo proposto como sinônimo de Acromyrmex; a respeito das subespécies de A. subterraneus, não há consistência na variação morfológica entre A. subterraneus e A. brunneus, e estes dois apresentam uma divergência genética baixa, quando comparados a outras espécies de Acromyrmex. Por outro lado, A. molestans não só apresenta variação morfológica consistente, mas também um nível de divergência genética comparável àquele encontrado entre pares de espécies de Acromyrmex válidos. Diante desses resultados, sugerimos a elevação de A. subterraneus molestans para o status de espécie e a sinonímia de A. subterraneus brunneus, sob A. subterraneus. Finalmente, o gênero Pseudoatta é sinonimizado sob Acromyrmex. Para delimitação nossos resultados apontam para o reconhecimento de três espécies, A. balzani, A. subterraneus subterraneus, e A. subterraneus molestans. A história demográfica de A. balzani, que corta apenas gramíneas, é na maior parte constante, com exceção da tendência de um pequeno declínio entre 1-0,4 Ma para o presente, ao passo que a história demográfica de A. subterraneus subterraneus, que corta apenas dicotiledôneas e possui ninhos em habitats sombreados e úmidos, aponta para um aumento da população de 1,3 Ma para o presente. Embora não seja possível identificar um evento glacial ou interglacial como causa dessas variações populacionais, essas variações são consistentes com um aumento das áreas de florestas abertas durante o último 1 Ma. Palavras-chave: Formicidae, Attini, taxonomia, DNA, filogeografia
dc.description.abstractAbstract: Acromyrmex is a taxonomically challenging genus because it has a variety of subspecific taxa of prominent ecological and economic importance. Original descriptions were traditionally based on very variable morphological characters, leading to the recognition of two subgenera, 32 species and at least 30 subspecies. Our objectives were to infer the internal relations in Acromyrmex based on a morphological study and a molecular phylogeny using mitochondrial and nuclear markers and including thespecies that occur in Brazil, with emphasis on the subspecies of Acromyrmex subterraneus. Delimit the species (Acromyrmex balzani and A. subterraneus) using methods of species delimitation recently developed was also our goal. We obtained sequences for 15 species of Acromyrmex, including the three subspecies: A. subterraneus subterraneus, A. subterraneus brunneus, and A. subterraneus molestans, and inferred a molecular phylogeny using maximum likelihood and Bayesian inference methods. Additionally, we examined 123 specimens of A. subterraneus to access the degree of variation in color and morphology between the analyzed subspecies. For the delimitation of species were sequenced 66 samples of these species for the mitocondrial gene cytochrome oxidase I (COI), and for three exon-primed intron-crossing (EPIC) markers, and used these sequences for analyses of species delimitation and evolutionary demography. We estimated gene trees by Bayesian inference and used them to estimate additional species relationship hypotheses besides the ones of the current taxonomy by the method of the Generalized Mixed Yule Coalescent model (GMYC). We then estimated multilocus species trees for each species relationships hypotheses, and compared the results of each hypotheses by a using the method of posterior simulation-based analogue of Akaike Information Criterion through Markov chain Monte Carlo (AICM). In addition we used the method implemented in Bayesian analysis of genomic sequence data under the multispecies coalescent model (BP&P) to validate the best supported species relationship hypothesis. The obtained phylogeny suggests that the subgenera are paraphyletics and could be abandoned, with Moellerius being proposed as a synonym of Acromyrmex; regarding the subspecies of A. subterraneus, there is no consistency in morphological variation between A. subterraneus and A. brunneus, and these two present a shallow genetic divergence when compared to other full species of Acromyrmex. On the other hand, A. molestans not only presents consistent morphological variation, but also a level of genetic divergence comparable to that found between pairs of valid species of Acromyrmex. Given these results, we elevate A. subterraneus molestans to the specific status and synonymize A. subterraneus brunneus, under A. subterraneus. Finally, the genus Pseudoatta is synonymized under Acromyrmex. For delimitation our results points to the recognition of three species in our sample, which are currently recognized as A. balzani, A. subterraneus subterraneus, and A. subterraneus molestans. The demographic history of A. balzani, a grass specialist, is mostly stable, except for tendency of a small decline from 1-0.4 Ma to the present, whereas the demographic history of A. subterraneus subterraneus, which dicotyledonous specialist cutter and nests in shaded and humid habitats, points for an increase in the population numbers from 1.3 Ma to the present. Although is not possible to pinpoint one glacial or interglacial event as cause of these population variations, these variations are consistent with an increase in forests areas over more open habitats in the last 1 Ma. Key words: Formicidae, ants, Attini, taxonomy, DNA
dc.format.extent72 f. : il. algumas color., tabs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectEntomologia e malacologia de parasitas e vetores
dc.subjectAcromyrmex
dc.subjectTaxonomia numerica
dc.subjectFilogeografia
dc.titleEstudos moleculares em Acromyrmex Mayr, 1865
dc.typeTese


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record