Show simple item record

dc.contributor.advisorMantovani, Luiz Eduardo
dc.contributor.authorSayama, Celia
dc.contributor.otherReis Neto, Jose Manoel dos, 1956-
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Terra. Programa de Pós-Graduação em Geologia
dc.date.accessioned2015-11-09T18:39:27Z
dc.date.available2015-11-09T18:39:27Z
dc.date.issued2011
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/39263
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Luiz Luiz Eduardo Mantovani
dc.descriptionCo-orientador : Prof. Dr. José Manoel dos Reis Neto
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Programa de Pós-Graduação em Geologia. Defesa: Curitiba, 24/05/2011
dc.descriptionInclui referências
dc.descriptionÁrea de concentração: Geologia ambiental
dc.description.abstractResumo: Na região de Piên, município situado 80 km ao sul de Curitiba, no Paraná, rochas ultramáficas são utilizadas como fonte de saibro para revestimento primário de estradas, devido à predominância e ao baixo custo de desmonte dessa rocha. O serpentinito, rocha ultramáfica rica em serpentina, pode apresentar em sua composição o mineral crisotila, do grupo dos minerais de amianto ou asbesto. Amianto ou asbesto são nomes comerciais dados a uma fibra de origem mineral, presentes em rochas ígneas e metamórficas. Em geral, os depósitos de amianto podem ocorrer em pequenos veios em rochas, que podem graduar de forma fibrosa, acicular e prismático. O componente asbestiforme deste material, quando não perturbado pela atividade humana, é freqüentemente chamado de Ocorrência Natural de Amianto (Naturally Occuring Asbestos - NOA em inglês). NOA refere-se ao amianto que ocorre como componente mineral em algumas rochas, solos, sedimentos ou nas águas, como resultado de processos geológicos naturais. O termo NOA também pode ser aplicado ao amianto que foi transportado pelo intemperismo natural por processos de erosão, no ar, solo, sedimento ou água. Os resultados das análises das rochas, do saibro e da poeira gerada pela movimentação do tráfego rodoviário em Piên revelaram a presença de fibras respiráveis de asbesto do grupo das serpentinas (crisotila). Adicionalmente, amostras de aerossóis foram coletadas durante duas semanas e analisadas por microssonda eletrônica e por fluorescência de raios X, a fim de investigar a composição elementar de partículas individuais e totais. A partir dos resultados da composição, abundância e geometria das partículas, foi realizado um cálculo de simulação de deposição pulmonar das partículas de interesse (agrupamento MgOx), compatível com os minerais de serpentina fibrosos. O resultado forneceu informações de probabilidade de deposição nos diversos níveis das vias aéreas, como extratorácico, traqueobrônquica, acinar e alveolar.
dc.description.abstractAbstract: In the countryside region of Piên, municipality located 80 km south of Curitiba, Parana, in the southern region of Brazil, ultramafic rocks are used for road paving because of its dominance and low cost of commercial exploitation of this rock. The ultramafic rock rich in serpentine, called serpentinite, may present the mineral chrysotile in its composition, which belongs to the asbestos minerals group. Asbestos is a commercial name given to a fibrous compound with a mineral origin present in igneous and metamorphic rocks. In general, mineral deposits of asbestos may occur in small veins present in rocks, which can gradate from fibrous, acicular e prismatic forms. The asbestiform component in this material, when not disturbed by human activity, is called a Natural Occurrence of Asbestos (NOA). NOA refers to asbestos which occur as a mineral component in some rocks, soils, sediments or waters, as a result of natural geological processes. The term NOA can also be applied to asbestos which has been transported by natural weathering processes of erosion, in the air, soil, sediment or water. The results of rock, gravel and dust analysis generated by the movement of road traffic in Piên revealed the presence of breathable fibers of asbestos from the serpentine group (chrysotile). Additionally, aerosol samples were collected during two weeks and analyzed by electron microprobe and x-ray fluorescence in order to investigate the elemental composition of individual and whole particles. The calculation made for simulating lung deposition, was accomplished from the particles of interest (grouping MgOx), compatible with the fibrous serpentine minerals. The variables used were composition, abundance and geometry of the particles. The results provided information of deposition probability at different levels of the airways, such as extrathoracic, tracheobronchial, acinar and alveolar.
dc.format.extent91f. : il. algumas color., mapas, grafs., tabs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectGeologia
dc.titleMinerais de amianto na rede viária de Piên-PR provenientes de rochas ultramáficas
dc.typeDissertação


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record