Show simple item record

dc.contributor.advisorAuer, Celso Garciapt_BR
dc.contributor.authorBizi, Rafaela Mazurpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.contributor.otherGrigoletti Junior, Albinopt_BR
dc.contributor.otherMay, Louise Larissapt_BR
dc.date.accessioned2013-06-27T15:04:47Z
dc.date.available2013-06-27T15:04:47Z
dc.date.issued2013-06-27
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/3885
dc.description.abstractO eucalipto participa de modo importante na silvicultura brasileira pela sua adaptabilidade, rápido crescimento e produtividade. Além disso, possui outras características como qualidade, diversidade e adequação de sua madeira para a indústria. A continuidade dos reflorestamentos com eucalipto demanda uma produção contínua de mudas. Entretanto, nos viveiros estas podem ser atacadas por doenças, como o mofo-cinzento e o oídio, causados por Botrytis cinerea e Oidium sp., respectivamente, principais doenças fúngicas que ocorrem na região Sul. O controle destas doenças é feito com fungicidas em outras culturas e em eucalipto o seu uso não é recomendado pela falta de produtos registrados. Além disso, podem surgir efeitos indesejáveis, como a poluição ambiental e a intoxicação do homem e de animais. O objetivo deste trabalho foi o estudo e a seleção de produtos eficientes para o controle alternativo dessas doenças. Para a execução dos experimentos foram utilizadas mudas de Eucalyptus dunnii nos experimentos com B. cinerea e mudas de E. benthamii com Oidium sp. Estas foram pulverizadas com fungicidas (parâmetro de controle), produtos químicos não fungicidas, óleos essenciais, extratos de plantas, leite e derivados e microrganismos. De cada um destes grupos foi selecionado o tratamento com menor valor de severidade, que foram testados entre si. A avaliação consistiu da medição da severidade das doenças, que foi determinada por meio de escalas descritivas de 0 (ausência de sintomas) a 4 (sintomas muito severos), específicas para cada patógeno. Verificou-se, em testes preliminares, os menores valores de severidade das doenças para o tanino e Mentha x villosa no controle do mofo -cinzento e para o leite de vaca e Lecanicillium sp. no controle do oídio. No experimento final, os produtos alternativos que apresentaram os menores valores de severidade foram: tanino controlando o mofo-cinzento e leite de vaca e Lecanicillium sp. controlando o oídiopt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectEucalipto - Doenças e pragas - Controlept_BR
dc.subjectEucalyptus dunnii - Doenças e pragas - Controlept_BR
dc.subjectEucalyptus benthamii - Doenças e pragas - Controlept_BR
dc.subjectOídiopt_BR
dc.subjectBotrytis cinereapt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleAlternativas de controle do mofo-cinzento e do oídio em mudas de eucaliptopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record