Show simple item record

dc.contributor.authorBecegato, Valter Antoniopt_BR
dc.contributor.otherFerreira, Francisco Jose Fonseca,pt_BR
dc.contributor.otherMantovani, Luiz Eduardopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Terra.Programa de Pós-Graduaçăo em Geologia.pt_BR
dc.date.accessioned2006-07-19T19:01:04Z
dc.date.available2006-07-19T19:01:04Z
dc.date.created2006-07-14pt_BR
dc.date.issued2005pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/3876
dc.description.abstractOrientador: Francisco José Fonseca Ferreirapt_BR
dc.description.abstractCo-orientador: Luiz Eduardo Mantovanipt_BR
dc.description.abstractTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Cięncias da Terra, Programa de Pós-Graduaçăo em Geologia. Defesa: Curitiba, 2005pt_BR
dc.description.abstractInclui bibliografiapt_BR
dc.description.abstractResumo: O Estado do Paraná é considerado um dos maiores produtores de grăos do Brasil. Isto é fruto de uma agricultura altamente tecnificada, resultado do somatório de diversas variáveis. Entre elas, estăo os insumos agrícolas, dentre os quais insere-se os adubos fosfatados. Tal produto dependendo da rocha fosfática utilizada para seu fabrico, pode conter elementos radioativos em sua composiçăo. A presente pesquisa investigou duas áreas agrícolas localizadas no Noroeste do estado, com diferentes litologias, tipos de solos e culturas. Utilizou-se métodos geofísicos (gamaespectrométrico, resistividade aparente e suscetibilidade adionuclídeos nos los. Na Área 1, os solos Nitossolo Vermelho Eutrófico e Latossolo Vermelho Eutroférrico e textura argilosa, retém mais radionuclídeos do que o Latossolo Vermelho Distrófico de xtura média. Os teores de radionuclídeos săo mais baixos nas áreas testemunhas, quando comparados com os tratos de atividade agrícola, denotando a contribuiçăo dos fertilizantes fosfatados e do gesso no incremento solos cultivados. Foram constatadas correspondęncia ŕs formulaçőes dos adubos, as quais s magnética) e geoquímicos (análise de solos e mineralogia), objetivando estabelecercorrelaçőes entre os dados dos dois métodos, para entender a dinâmica dos rsodtedos teores nosdiferenças nos teores de radionuclídeos, emqe refletiram nas medidas gamaespectrométricas. As maiores taxas de radioatividade foram constatadas nos adubos, gesso, área com atividade antrópica e testemunhas. Constatou-se acúmulo dos radionuclídeos nos perfis dos solos. Houve correlaçăo positiva e significativa entre urânio e argila; urânio e matéria orgânica; urânio e pH; urânio e fósforo; urânio e cálcio; urânio e magnésio; e entre tório e pH; tório e fósforo; tório e cálcio; tório e magnésio. Correlaçăo negativa entre resistividade aparente e argila. Os valores de resistividade variaram de 20 a 620 Ohm.m, verificando-se que as maiores magnitudes refletiram-se no solo mais arenoso, ao contrário dos argilosos. O método de resistividade foi importante para o mapeamento e caracterizaçăo das texturas dos solos, auxiliando na discriminaçăo das unidades de solos. A resistividade elétrica é uma ferramenta importante para auxiliar no mapeamento de solos, principalmente em áreas onde ocorrem variaçőes nas texturas quanto aos teores de argila e areia. Embora o espaçamento entre os eletrodos tenha sido de apenas um metro objetivo do trabalho, aberturas maiores podem ser utilizadas para se obter a profundidade dos perfis dos solos. Também pode-se fazer arranjos com aberturas inferiores a 1 m, para discriminar os horizontes dos solos. A suscetibilidade magnética dos solos argilosos foram maiores do que a dos arenosos. Os solos oriundos da Formaçăo Serra Geral apresentaram maior concentraçăo de minerais magnéticos. Com relaçăo ŕ Área 2, houve diferenças nos teores dos radionuclídeos da área agrícola em relaçăo a testemunha. Observou-se diferenças nos teores de radionuclídeos, em correspondęncia ŕs formulaçőes dos adubos, as quais se refletiram nas medidas gamaespectrométricas. As maiores doses de radioatividade foram constatadas nos adubos, gesso, área com atividade antrópica e testemunhas respectivamente. Pelo fato dos solos serem de textura arenosa, acarretam menor retençăo dos adubos e gesso, consequentemente, propicia maior percolaçăo no perfil tanto dos nutrientes constantes daqueles insumos, bem como dos radionuclídeos. Como os solos săo vulneráveis ŕ erosăo, observou-se que em partes da área a ocorręncia de erosăo laminar, está contribuindo para o arraste dos adubos, gesso e dos elementos radioativos.pt_BR
dc.description.abstractÁrea de concentraçăo: Geologia ambientalpt_BR
dc.format.extent7600929 bytes
dc.format.mimetypetextpt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.language.isopopt_BR
dc.sourceoai:ufpr.br:219915pt_BR
dc.source.urihttp://200.17.209.5:8000/cgi-bin/gw_42_13/chameleon.42.13a?host=localhost%201111%20DEFAULT&sessionid=VTLS&function=CARDSCR&search=KEYWORD&pos=1&u1=12101&t1=219915pt_BR
dc.titleAplicaçăo de técnicas geofísicas e geoquímicas em duas glebas agrícolas do Noroeste do Estado do Paraná e suas relaçőes com fertilizantes fosfatados /pt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record