Show simple item record

dc.contributor.advisorPortella, José Roberto Bragapt_BR
dc.contributor.authorSocudo, Andréa Maria Carneiro Lobopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Históriapt_BR
dc.date.accessioned2019-09-17T14:53:21Z
dc.date.available2019-09-17T14:53:21Z
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/38175
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. José R. Braga Portellapt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História. Defesa: Curitiba, 06/03/2015pt_BR
dc.descriptionInclui referências : fls. 279-293pt_BR
dc.description.abstractResumo: O presente estudo aborda fatores associados às origens e à afirmação de determinado discurso no interior do meio psiquiátrico brasileiro, associado à pesquisa e à administração de psicofármacos, notadamente antidepressivos e ansiolíticos, como parte da estratégia de medicalização da depressão. Ampara-se na análise de artigos científicos publicados em revistas médicas nacionais entre o final da década de 1950 e o início da década de 1990 destacando a consonância desse pensamento para com pesquisas internacionais em psicofarmacologia bem como a concepção de uma origem química para as afecções mentais. Problematiza o fato de esse discurso conceber manifestações de sofrimento psíquico - as "noxias emotivas" - como sinais de futuras "afecções mentais" passíveis de serem tratadas quimicamente, relacionando essa tendência à história da institucionalização da psiquiatria no Brasil e reiterando a influência da psiquiatria biológica, da teoria da degeneração e da noção de higiene mental advinda da eugenia. Destaca a ampliação da ingerência psiquiátrica para além das instituições e dos indivíduos considerados afetados mentalmente, debatendo ainda como esse discurso manifesta uma concepção de ciência enquanto equacionadora do sofrimento psíquico, propiciando, pela via psicofarmacológica, a "quimioterapia das emoções". Finaliza argumentando o caráter simbólico que os medicamentos psicoativos adquirem em uma economia industrial e de mercado. Palavras-chave: História - Psiquiatria - Brasil - Psicofarmacologia - Depressãopt_BR
dc.description.abstractAbstract: The study examines factors associated to the origins and the assertion a specific discourse within of Brazilian psychiatry , associated with research and administration of psychotropic drugs, especially antidepressants and anxiolytic drugs, as part of a strategy medicalization of depression. Supports on an analysis of scientific articles published in national medical journals between the late 1950s and the early 1990s highlighting your relation with international researchs in psychopharmacology and the with concept of chemical origin for the mental disorders . Questions the fact this speech conceive manifestations of psychological distress - "noxias emotional" - as future signs of "mental disorders" which could be chemically treated, relating this trend with institutionalization of psychiatry in Brazil and reiterating the influence of biological psychiatry , the theory of degeneration and the notion of mental hygiene of eugenics. Highlights the expansion of psychiatric power for beyond institutions and individuals considered mentally affected, still debating how this discourse expresses a conception of science as equacionadora of psychological distress, providing through for the psychopharmacology, the "chemotherapy of emotions." Ends arguing the symbolic character that psychoactive drugs has in an industrial and market economy. Key-words: History - Psychiatry - Brazil - Psychopharmacology -Depressionpt_BR
dc.format.extent306 f. : il. algumas color.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectHistóriapt_BR
dc.subjectPsiquiatria - Brasil - Históriapt_BR
dc.subjectAntidepressivospt_BR
dc.subjectDepressão mentalpt_BR
dc.subjectPsicofarmacologia - Brasilpt_BR
dc.title(Da) Patologização dos afetos à medicalização da tristeza : aspectos do discurso médico-científico sobre medicamentos antidepressivos no Brasil : 1959-1991pt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record