Show simple item record

dc.contributor.authorRossoni, Andrea Maciel de Oliveirapt_BR
dc.contributor.otherRodrigues, Cristina de Oliveirapt_BR
dc.contributor.otherRuffino Netto, Antônio, 1939-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescentept_BR
dc.date.accessioned2018-01-04T12:59:05Z
dc.date.available2018-01-04T12:59:05Z
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/37832
dc.descriptionOrientadora: Profª. Drª. Cristina de Oliveira Rodrifguespt_BR
dc.descriptionCo-orientador: Prof. Dr. Antônio Ruffino Nettopt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente. Defesa: Curitiba, 13/04/2015pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: A inexistência de testes diagnósticos acurados para a tuberculose pulmonar em crianças dificulta este diagnóstico. Teste diagnóstico é a nomenclatura atualmente utilizada para denominar toda ferramenta que contribui para o diagnóstico de uma doença ou sua evolução, podendo ser constituído de dados da história clínica, exame físico ou exames complementares. Desta forma, foi realizado este estudo com o objetivo de avaliar qual teste apresentava a melhor acurácia para diagnóstico da tuberculose pulmonar em crianças. Foi um estudo do tipo teste diagnóstico, com coleta de dados retrospectiva e prospectiva. A população do estudo constituiu-se de crianças até 14 anos de idade, com suspeita de tuberculose pulmonar, atendidas no ambulatório de referência para tuberculose infantil do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, entre janeiro de 2005 a julho de 2010. Foram avaliados: história clínica e epidemiológica, exames complementares e escores diagnósticos. O diagnóstico final, considerado como padrão ouro, foi definido por um painel de experts (avaliadores externos). Foi realizada uma análise descritiva e comparativa dos dados e o nível de significância considerado foi de 5%. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos da instituição. A amostra final foi de 186 crianças: 21 (11,3%) doentes (grupo TB) e 165 (88,7%) não doentes (grupo NTB). Quanto as características sociodemográficas, os grupos foram homogêneos. O grupo TB apresentou 85% de história de contato com caso tuberculoso (principalmente os pais), com uma frequência maior de múltiplos contatos (p=0,02); 85,7% apresentavam algum sinal ou sintoma e, estes quando presentes foram estatisticamente mais frequentes neste grupo. Os testes com melhor sensibilidade para o diagnóstico foram: tosse (76,2%); presença de pelo menos um sinal ou sintoma (85,7%); história epidemiológica presente (85,7%); radiografia de tórax (RxT) alterada (85,7%); associação de sinais ou sintomas com epidemiologia (71,4%) e os diversos escores testados (71,4 - 95,2%). Para acurácia foram: RxT alterada (91,4%); escores testados (90,3 - 94,1%); associação de sinais e/ou sintomas, epidemiologia, RxT e prova tuberculínica (PT) (91,4%) e essa mesma associação independente da PT (95,1%). Os valores preditivos positivos (VPP) que melhor prediziam o diagnóstico foram: a baciloscopia, a cultura ou a associação de sinais e/ou sintomas, epidemiologia, RxT e PT. Dentre os escores, o VPP variou de 58,1 a 74,5%. Para as variáveis analisadas todas apresentaram valores preditivos negativos adequados. Na análise multivariada, a associação de tosse, sudorese e anorexia foi a que apresentou a melhor precisão diagnóstica (88,7%). A concordância entre a PT e a história epidemiológica foi substancial, enquanto entre a RxT e a clínica foi moderada. Concluiu-se que o escore preconizado pelo Ministério da Saúde, assim como as associações que envolviam presença de sinais ou sintomas, RxT alterada e vínculo epidemiológico (preferencialmente com PT reatora) foram os que apresentaram uma melhor performance, devendo estes testes diagnósticos serem incluídos pelos programas de saúde, adequados para a realidade epidemiológica local e validados na região de sua utilização. Palavras-chave: Diagnóstico. Tuberculose. Criança.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The lack of accurate diagnostic tests in pulmonary tuberculosis in children delays the diagnosis. Diagnostic test is the nomenclature currently used to name any tool that contributes to the diagnosis of a disease or its evolution, and may include data from clinical history, physical examination or tests. This study was conducted in order to evaluate the diagnostic accuracy for better diagnostic test for definition, due to the difficulty in the diagnosis of pulmonary tuberculosis in childhood. It was a study for a diagnostic test that collected retrospective and prospective data. The study population consisted of children under 14 years of age with suspected pulmonary tuberculosis, treated at the outpatient clinic reference for childhood tuberculosis of the Clinical Hospital of the Federal University of Parana, from January 2005 to July 2010. It was evaluated: clinical and epidemiological history, complementary tests and diagnostic scores. The final diagnosis, considered the gold standard, was defined by a panel of experts (external evaluators). A descriptive and comparative analysis was performed and the significance level was 5%. The Research Ethics Committee in Human Beings of the hospital approved this study. The final sample of 186 children: 21 (11.3%) patients considered illness (TB group) and 165 (88.7%) patients did not (NTB group). Among the sociodemographic characteristics, the groups were homogeneous. The TB group also showed 85% of history of contact with tuberculosis case (especially parents), with a higher frequency of multiple contacts (p = 0.02); 85.7% had signs or symptoms and, when present, all of them were statistically more frequent in this group. The tests with better sensitivity for the diagnosis were: cough (76.2%); presence of at least one sign or symptom (85.7%); this epidemiological history (85.7%); abnormal chest X-ray (CXR) (85.7%); signs or symptoms associated with the epidemiology (71.4%) and the various scores tested (from 71.4 to 95.2%). For accuracy were the abnormal CXR (91.4%); tested scores (90.3 to 94.1%); signs association of and symptoms, epidemiology, CXR and tuberculin skin test (TST) (91.4%) and the same tests without the TST (95.1%). The positive predictive values (PPV) that best predicted the diagnosis were: sputum smear microscopy, culture or association of signs and symptoms, epidemiology, CXR and TST. Among the scores, the PPV ranged from 58.1 to 74.5%. For variables all had adequate negative predictive values. In multivariate analysis, the association of cough, sweating and anorexia presented the best diagnostic accuracy (88.7%). The agreement between the TST and the epidemiological history was substantial, but between the CXR and the clinic was moderate. It was concluded that the recommended score by the Ministry of Health as well as the associations involving the presence of signs or symptoms, CXR abnormal and epidemiological link (mainly with TST positive) presented the best performance, and these diagnostic tests should be included by health programs, suitable to the local epidemiological reality and validated in the region of use. Keyword: Diagnosis. Tuberculosis. Child.pt_BR
dc.format.extent175f. : il., algumas color., grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectPediatriapt_BR
dc.subjectTuberculose - Diagnósticopt_BR
dc.subjectTuberculose - Criançaspt_BR
dc.subjectTuberculose pulmonarpt_BR
dc.subjectAssistência integral à saúdept_BR
dc.subjectCuidados de saúdept_BR
dc.titleAnálise dos testes diagnósticos na tuberculose pulmonar em criançapt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record