Show simple item record

dc.contributor.advisorLima, Iara Vigo de, 1962-pt_BR
dc.contributor.authorMendes, André Pressendo, 1991-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Curso de Graduação em Ciências Econômicaspt_BR
dc.date.accessioned2017-04-10T21:28:47Z
dc.date.available2017-04-10T21:28:47Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/37632
dc.descriptionOrientador: Iara Vigo de Limapt_BR
dc.descriptionMonografia(Graduação) - Universidade Federal do Paraná,Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Curso de Ciências Econômicaspt_BR
dc.description.abstractResumo: O presente trabalho intenta uma aproximação à problemática que atravessa o ensino da Economia no Brasil e em Portugal e a identificação de elementos que, por sua vez, impedem a manifestação da razão crítica dos agentes sociais. A razão que, no sentido iluminista libertaria o ser humano diante do conhecimento revestido mitologicamente, se mostra incapaz de levá-lo ao esclarecimento, tendo em vista a existência de mecanismos que levam à auto conservação de uma sociedade que tem, na reprodutibilidade técnica, sua própria finalidade. Neste sentido, se objetiva analisar, à luz dos autores da primeira geração da chamada Escola de Frankfurt, os limites que permeiam os planos de estudos nestes dois países, bem como verificar de que maneira se dá a instrumentalização da razão que se manifesta no processo de homogeneização do ensino. Deste modo, evidencia-se a predominância de matérias destinadas à formação teórico-quantitativa dos acadêmicos brasileiros, enquanto os portugueses possuem um curso com duração inferior, seguindo o processo de Bolonha, e muito ligado à área dos negócios, que prioriza a formação geral dos seus estudantes. Por fim, apontam-se possibilidades contra hegemônicas, como o movimento iniciado em Paris, no início do século XXI: o Post-Autistic Economics. Palavras-chavept_BR
dc.description.abstractAbstract: This work investigates the teaching of economics in Brazil and Portugal, looking for elements that may have suppressed the expression of the critical reason of social agents. The reason that, following the Illuminist project, would release human beings from the mythological and religious knowledge, has been incapable of leading them to enlightenment because of the existence of society’s self-preservation mechanism: technical reproduction. In this sense, the objectives here are: to analyze, according to the authors the first generation of Frankfurt School, the boundaries permeating the curriculum in these countries; and to verify the instrumentalization of reason in the process of homogenization of the education’s process. Thus, this study demonstrates that there is an ascendancy of disciplines that privilege the theoretical-quantitative formation of Brazilian students. As for the teaching of economics in the Portuguese academia, the course is shorter in duration compared to Brazil, since it follows the Bologna’s Process, and the curriculum is very similar to management studies, prioritizing the general formation of their students. Finally, this work points out some movements that have opposed to this state of affairs, such as the Post-Autistic Economics in Paris in the beginning of 21st century, and discusses some alternatives to the hegemonic method and theory (neoclassical) in economicspt_BR
dc.format.extent61 f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectEconomia - Estudo e ensino - Brasilpt_BR
dc.subjectEconomia - Estudo e ensino - Portugalpt_BR
dc.titleTeoria crítica e o ensino da economia no Brasil e em Portugalpt_BR
dc.typeMonografia Graduação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record