Mostrar registro simples

dc.contributor.authorAndrade, André Dias dept_BR
dc.contributor.otherMoutinho, Luiz Damon Santos, 1964-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Filosofiapt_BR
dc.date.accessioned2015-03-30T20:23:06Z
dc.date.available2015-03-30T20:23:06Z
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/37401
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Luiz Damon Santos Moutinhopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Programa de Pós-Graduação em Filosofia. Defesa: Curitiba, 26/02/2015pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: História da filosofia moderna e contemporâneapt_BR
dc.description.abstractResumo: Este trabalho desenvolve questões sobre como a intersubjetividade é tematizada e quais as dificuldades que tal noção enfrenta na filosofia de Merleau-Ponty. Primeiramente, estudamos a abordagem fenomenológica de uma dimensão de experiência comum – a percepção –, partindo da generalidade para então demarcar os limites da subjetividade. Trata-se, na Fenomenologia da Percepção, de investigar a relação entre eu e outro tendo em vista o elo que os une através do corpo próprio. Em seguida passamos ao exame de teses intermediárias da obra de Merleau-Ponty, a fim de pensar a intersubjetividade no âmbito da linguagem. Se num primeiro momento havia uma dimensão de solidão que faz par com a comunicação, ainda em 1945, com os trabalhos em torno do fenômeno da fala este silencio vai passar a ser considerado de outra maneira. Buscamos entender quais as consequências para a intersubjetividade ao se pensar aquele campo comum da experiência como um campo diacrítico, em que o Eu e o Outro não são anteriores à relação. Por fim, examinamos como os elementos descobertos com a fenomenologia da linguagem permitem a Merleau-Ponty pensar a intersubjetividade a partir dum pano de fundo ontológico – o sensível – e, assim, vertê-la em intercorporeidade. Palavras-chave: Merleau-Ponty; Ego; alter Ego; Intersubjetividade; Intercorporeidade.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: This academic work develops questions about how intersubjectivity is tematized and about which are the difficulties that this notion faces on Merleau-Ponty’s philosophy. Firstly we study the phenomenological approach of a common ground of experience – the perception –, tarting of generality to line off the limits of subjectivity. In Phenomenology of Perception the goal is to investigate the relation between I and other aiming the tie tha bunds then throught the body proper. Afterward we examinate Merleau-Ponty’s middle thesis in order to think intersubjectivity in the field of language. If, at a starting point, there were a dimension of silence and loneliness along with the communication, still in 1945, with the works around the phenomenon of speech this silence will be considered otherwise. We seek to understand wich are the consequences among intesubjectivity when one thinks that common field of experience as a diacritical field, where I and other don’t subsists to relation. Finally, we examine how the elements discovered on the phenomenology of language allow Merleau-Ponty to think intersubjectivity from an ontological stanground – the sensible – and, furthermore, turn it into intercorpority. Keywords: Merleau-Ponty; Ego; alter Ego; Intersubjetividade; Intercorporeidadept_BR
dc.format.extent115f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectFilosofiapt_BR
dc.titleIntersubjetividade em Merleau-Pontypt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Arquivos deste item

Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples