Show simple item record

dc.contributor.advisorRocha, Rosana Moreira da, 1962-pt_BR
dc.contributor.authorKauano, Rafael Vitamept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Zoologiapt_BR
dc.date.accessioned2018-02-06T17:58:32Z
dc.date.available2018-02-06T17:58:32Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/37253
dc.descriptionOrientadora : Drª. Rosana Moreira da Rochapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Zoologia. Defesa: Curitiba, 21/02/2014pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: No contexto das bioinvasões, o transporte secundário é a dispersão regional das espécies após sua introdução via transporte primário (por exemplo, navegação intercontinental e transporte de espécies cultivadas). Um dos principais vetores do transporte secundário são as pequenas embarcações com espécies incrustadas nos cascos. O objetivo principal deste trabalho foi testar, de forma experimental, como espécies introduzidas, nativas e criptogênicas se comportam em situações que simulam o deslocamento de pequenas embarcações e a retirada destas da água (dessecação). O primeiro experimento testou a resistência das espécies à ação da velocidade, no qual placas de recrutamento com uma comunidade previamente estabelecida foram acopladaslateralmente em uma embarcação e transportadas durante 20 minutos em três velocidades, 9, 27 e 36 km/h. No segundo experimento, de teste e resistência à dessecação, também foram utilizadas placas de recrutamento pré colonizadas. Estas foram retiradas da água e expostas a vários períodos de exposição ao ar, entre 3 e 132 horas. Após cada experimento, as placas foram observadas para avaliar quais organismos estavam presentes ou vivos, respectivamente. Foram identificados 35 táxons neste estudo, entre eles asespécies introduzidas: Amphibalanus amphitrite, Amphibalanus reticulatuse Stragulum bicolor. Os resultados do experimento de velocidade mostraram que todas as espécies foram transportáveis nas velocidades testadas, em maior ou menor intensidade, com distância mínima de transporte calculada em 3 km. Nos experimentos de dessecação, a maioria das espécies sobreviveu por mais de 6 horas de exposição ao ar, sugerindo que existe transportabilidade das espécies nas condições impostas (dentro e fora da água), em escalas regionais. Somado a isto, práticas como a retirada do barco da água podem não ser tão eficientes para a remoção de incrustações se não forem acompanhadas de limpeza da embarcação. Palavras-chave: Embarcações de pesca, embarcações de recreio, transportabilidade, bioinvasão, Baía de Guaratuba, Brasil.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: In the context of bioinvasions the secondary transport is the regional dispersal of species after their introduction via primary transport (eg. shipping and intercontinental transport of cultured species). One of the main vectors of the secondary transport are small vessels encrusted with species on hulls. The main objective of this work was to test experimentally how introduced, native and cryptogenic species behave in situationsthat simulate the movement of small vessels and the removal of water. The first experiment tested the species resistance to the action of water speed. Recruitment plates pre colonized were mounted laterally on a recreational vessel and transported during 20 min at three speeds (9, 27 and 36 km/h). The second experiment tested the effect of desiccation. Pre colonized plates were removed from water and exposed to various periods of air exposure (3 to 132 hours). After each experiment the plates were checked for the presence of organisms and if they were still alive. Thirty five taxa were identified in this study, including the introduced species Amphibalanus amphitrite, Amphibalanus reticulatusand Stragulum bicolor. The results of the speed experiment showedthat all species were transportable to a greater or lesser extent within the tested velocities, with the minimun distance of transportation 3 km. In the desiccation experiment most species survived for more than six hours of air exposure. The results suggest that the species are transportable under the conditions imposed (in and out of the water) across regional scales. Moreover, practices such as the removal of the vessel from the water may not be as effective for removing fouling unless accompanied by hull cleaning. Keywords: Fishing vessels, pleasure boats, transportability, bioinvasion, Guaratuba Bay, Brazil.pt_BR
dc.format.extent59f. : il. maps., tabs., grafs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectZoologiapt_BR
dc.subjectBioinvasãopt_BR
dc.titlePequenas embarcações como vetores de transporte regional da macrofauna incrustantept_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record