Show simple item record

dc.contributor.authorColimo, Aline Garus Saint Clairpt_BR
dc.contributor.otherMesserschmidt, Iara, 1958-pt_BR
dc.contributor.otherOliveira, Brás Heleno de, 1954-pt_BR
dc.contributor.otherGardin, João Peterson Pereirapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Exatas. Programa de Pós-Graduação em Químicapt_BR
dc.date.accessioned2015-03-02T16:55:31Z
dc.date.available2015-03-02T16:55:31Z
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/37247
dc.descriptionOrientadora : Profª Drª Iara Messerschmidtpt_BR
dc.descriptionCo-orientador : Prof. Dr. Brás Heleno de Oliveirapt_BR
dc.descriptionCo-orientador : Prof. Dr. João Peterson Pereira Gardinpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Exatas, Programa de Pós-Graduação em Química. Defesa: Curitiba, 29/05/2013pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: O potencial do uso dos subprodutos do xisto na agricultura tem despertado o interesse de alguns órgãos brasileiros de pesquisa, como a Embrapa Clima Temperado, que desenvolve o Projeto Xisto Agrícola em parceria com a Petrobras e outras instituições. As frentes de pesquisa dividem-se em eficiência agronômica, segurança dos alimentos e segurança ambiental. Na área de segurança de alimentos, destaca-se o estudo dos vinhos produzidos a partir de uvas cultivadas em solos condicionados com subprodutos do xisto. Foram avaliadas amostras provenientes de dois tratamentos do solo executados em dois anos consecutivos utilizando finos de xisto, calcário de xisto e ou calcário calcítico. O critério para avaliação foi o conteúdo de alguns metais controlados pelo Ministério da Agricultura, ANVISA e Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), e o teor de aminas biogênicas relacionadas a efeitos tóxicos. Para efetuar a quantificação dos metais, foram investigados métodos de pré-tratamento de amostra para a determinação de espécies metálicas por ICP-OES. Também foi necessário adaptar o método derivatização e determinação de aminas biogênicas por cromatografia em fase líquida. Os resultados mostraram que não existem diferenças significativas entre as amostras testemunha e as amostras provenientes dos diferentes tratamentos do solo. Os vinhos apresentaram teores de metais e aminas biogênicas abaixo dos limites máximos definidos pela legislação e ou compatíveis com os reportados pela literatura. De maneira geral, sugere-se que o uso dos subprodutos do xisto no solo onde foram cultivadas as uvas não afetou os vinhos produzidos segundo os critérios estudados, indicando que as matrizes fertilizantes aqui estudadas podem ser utilizadas na cultura da videira. Palavras-chave: xisto, vinhos, metais, aminas biogênicaspt_BR
dc.description.abstractAbstract: The potential use of oil shale byproducts in agriculture has calling attention of some Brazilian institutes of research, as Embrapa Clima Temperado, which develops the project "Xisto Agrícola" in association with Petrobras and other organizations. Research lines are divided in agronomic efficiency, food security and environmental security. About food security, it is highlighted the study of wines produced from grapes cultivated in soils conditioned with oil shale byproducts. Samples from two soil treatments executed in two consecutive years were evaluated. The treatments utilized were powdered oil shale, retorted oil shale and/or calcitic limestone in different concentration. The evaluation criterion was the content of some metals controlled by Agriculture Ministery, ANVISA and International Organization of Wine and Grapes (OIV), and the biogenic amines related to toxicological effects content. For the metal quantification, sample pretreatment methods to ICP-OES analysis were tested. It was also necessary to adapt the derivatization and quantification method to liquid chromatography analysis. Results showed no significant differences among samples. Wines presented metals and biogenic amines levels below the maximum defined by law, and, or, according to literature. In general, according to the studied criterions, it can be suggest that the use of oil shale byproducts in soils cultivated with grapes didn’t affect the wines produced on them, indicating that byproducts utilized in this study can be used in viticulture with safety. Keywords: oil shale, wines, metals, biogenic aminespt_BR
dc.format.extent81f. : il. (algumas color.), tabs., grafs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectQuímicapt_BR
dc.titleAvaliação do teor de metais e aminas biogênicas nos vinhos produzidos a partir de uvas cultivadas em solos condicionados com subprodutos de xistopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record