Show simple item record

dc.contributor.authorFornari, Lucimara Fabianapt_BR
dc.contributor.otherLebronici, Liliana Mariapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Enfermagempt_BR
dc.date.accessioned2015-02-10T18:01:17Z
dc.date.available2015-02-10T18:01:17Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/37201
dc.descriptionOrientadora: Profª Drª Liliana Maria Lebronicipt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Defesa: Curitiba, 10/11/2014pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.descriptionLinha de pesquisa: Prática profissional de enfermagempt_BR
dc.description.abstractResumo: FORNARI, L.F. O percurso de resiliência da mulher vítima de violência sexual. 2014. 101f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná, 2014. Trata-se de pesquisa exploratória com abordagem qualitativa, fundamentada no conceito de resiliência, realizada em um Serviço de Atendimento Especializado e uma Delegacia da Mulher, localizados no município de Guarapuava, Paraná, de setembro de 2013 a fevereiro de 2014, com 12 mulheres vitimadas, que teve como objetivo conhecer o percurso de resiliência em mulheres vítimas de violência sexual. A coleta dos discursos ocorreu mediante entrevista semiestruturada e gravada; da análise de conteúdo temática emergiram os temas: O sentimento de cuidado e responsabilidade: o início da mobilização interna; Ruptura e abertura existencial: a família e a rede de apoio; e Transcendência da experiência vivida: a religação com Deus e a reativação da fé. As mulheres vitimadas encontraram na maternidade e na realização pessoal o motivo pelo qual a vida deveria seguir adiante. Assim, o sentimento de cuidado e responsabilidade foi responsável por desencadear o movimento de mobilização interna, que consiste no início do percurso de resiliência. Além disso, propiciou o rompimento com o passado marcado pela violência sexual e a abertura existencial em direção ao outro, a fim de compartilhar o sofrimento e encontrar ajuda. A presença de pessoas dispostas a ouvir sem julgar ou discriminar tornou possível a resignificação do trauma. Diante disso, o apoio dos familiares permitiu o remanejamento das emoções correspondentes à violação. Entretanto, apesar de receberem atendimento, algumas das participantes da pesquisa não se sentiram acolhidas em função da postura dos profissionais que compõem os serviços da rede de atenção às vítimas de violência sexual. Neste contexto, destacase a insuficiência de intervenções propostas para a redução dos efeitos negativos provocados pelo trauma. Da mesma forma, foi possível identificar a não realização da tutoria da resiliência por parte dos profissionais, porquanto o percurso resiliente requer um suporte contínuo, até que consigam encontrar um novo sentido. Outro fator encontrado nesta pesquisa foi a religação com Deus e a reativação da fé, porque as mulheres encontraram um estímulo para acreditar que sobreviver era mais relevante do que ter sido vítima, e isso propiciou o enfrentamento do trauma e a permanência das participantes no percurso de resiliência. Desta forma, a religiosidade representou um fator de proteção. A pesquisa mostrou a importância de refletir sobre a qualificação dos profissionais responsáveis pelo atendimento das vítimas em direção à promoção da resiliência, assim como também é imprescindível a incorporação do tema resiliência no curso de enfermagem, para que a enfermeira possa atuar como tutora de resiliência na prática do cuidado, de modo a incitar o percurso resiliente, amenizar o sofrimento e os danos gerados pela violência sexual, e apoiá-las na construção de um novo sentido para a existência, visto que as marcas da violência sexual passam a fazer parte da história de vida de cada uma delas. Palavras-chave: Violência sexual. Violência contra a mulher. Resiliência psicológica. Enfermagem.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: FORNARI, L.F. Thesteps of resilience of women victims of sexual violence. 2014. 101f. Dissertation (Master's in Nursing) - Graduate Program in Nursing in the Universidade Federal do Paraná, 2014. This is an exploratory research with qualitative approach, based on the concept of resilience, held in a Specialized Care Center and a Police Station for Women, located in Guarapuava, Paraná, from September 2013 to February 2014, with 12 women victims, which aimed to know the route of resilience in women victims of sexual violence. The collection of speeches occurred through semi-structured and recorded interviews; the thematic content analysis revealed the following themes: The sense of care and responsibility: the beginning of internal mobilization; Break and existential opening: the family and the support network; and Transcendence of lived experience: a reconnection with God and the reactivation of faith. Women victims found in motherhood and personal fulfillment the reason why life should go on. Thus, the sense of care and responsibility was responsible for triggering the mobilization of internal movement, which is the beginning of resilience route. Furthermore, provided the break with the past, marked by sexual violence, and the existential openness towards each other in order to share the suffering and find help. The presence of people willing to listen without judging or discriminating made possible the reframing of trauma. Thus, the support of family allowed the relocation of emotions corresponding to the violation. However, despite receiving care, some of the study participants did not feel accepted depending on the posture of the professionals who make up the health care network of services for victims of sexual violence. In this context, there is the failure of proposed interventions to reduce the negative effects caused by trauma. Similarly, we could identify missing the tutoring resilience by professionals, because the resilient route requires continued support until they can find a new direction. Another factor found in this research was to reconnect with God and the reactivation of the faith, because women found a stimulus to believe that surviving was more important than being the victim, and this led to face the trauma and the permanence of the participants in the course of resilience. Thus, religion was a protective factor. Research has shown the importance of reflecting on the skills of professionals who provide care for victims towards the promotion of resilience, and it is also essential to incorporate the theme of resilience in nursing program, so that the nurse can act as resilience tutor in practice of care in order to incite the resilient route alleviate the suffering and the damage caused by sexual violence, and support them in building a new meaning to existence, since the marks of sexual violence become part of history life of each. Key words: Sexual violence. Violence against women. Resilience psychological. Nursing.pt_BR
dc.format.extent101f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectEnfermagempt_BR
dc.titleO percurso de resiliência da mulher vítima de violência sexualpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record