Show simple item record

dc.contributor.authorSantos, Angelo Alberto Pacheco dospt_BR
dc.contributor.otherMachado, Sebastião do Amaral, 1939-pt_BR
dc.contributor.otherGalvão, Franklin, 1952-pt_BR
dc.contributor.otherFigueiredo Filho, Afonso, 1951-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2019-01-22T16:46:43Z
dc.date.available2019-01-22T16:46:43Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/36916
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Sebastião do Amaral Machadopt_BR
dc.descriptionCoorientador : Prof. Dr. Franklin Galvãopt_BR
dc.descriptionCoorientador : Prof. Dr. Afonso Figueiredo Filhopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal. Defesa: Curitiba, 17/03/2014pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração : Manejo florestalpt_BR
dc.description.abstractResumo: A intensa exploração da Floresta Ombrófila Mista no ultimo século resultou em uma drástica redução de sua área, que antes ocupava aproximadamente 8 milhões de hectares apenas no Estado do Paraná. Desta forma, surgiu nos últimos anos a necessidade de gerar conhecimento acerca da estrutura dos remanescentes dessa formação, a fim de auxiliar na elaboração e planejamento de novas técnicas que permitam conservar e utilizar racionalmente esse recurso. Esta pesquisa foi concebida com o objetivo avaliar a florística e a estrutura de um fragmento de 15,24 ha de Floresta Ombrófila Mista localizado em Curitiba, Paraná, onde foi realizado um inventário a 100% ou censo. Para isto, a área foi dividida em blocos de 50 x 50 m, os quais foram georreferenciados a partir do norte de quadrícula de um mapa da região e materializados em campo com o uso de teodolito. Utilizando faixas de controle de 10 x 50 m nos blocos, cada indivíduo arbóreo com DAP a partir de 10 cm foi medido, numerado, identificado e mapeado. De posse da base de dados, procederam-se as análises de agrupamento e discriminante para formação de grupos florísticos homogêneos, nos quais foram analisados a fitossociologia e a estrutura diamétrica. Das análises de agrupamento e discriminante obteve-se quatro grupos florísticos distintos, onde foram obtidas 10 variáveis (espécies) discriminantes, das quais Schinus terebinthifolius, Gochnatia polymorpha e Symplocos tetrandra foram as espécies com maior poder discriminante. Realizando as análises fitossociológicas dos grupos formados, foram identificados 4 estratos distintos, sendo dois estratos típicos de Floresta Ombrófila Mista Montana, Floresta Ombrófila Mista Aluvial e Floresta Ombrófila Mista Moantana de borda. Nos estratos de Floresta Ombrófila Mista Montana de borda e Floresta Aluvial destacaram-se Gochnatia polymorpha, Schinus terebinthifolius e Sebastiania commersoniana. Nas duas associações de Floresta Ombrófila Mista Montana, as espécies mais importantes foram Araucaria angustifolia, Casearia sylvestris, Symplocos tetrandra, Casearia obliqua, Jacaranda puberula, Luehea divaricata, Myrcia hatschbachii e Ocotea puberula. A distribuição diamétrica de todos os estratos foi decrescente ou em forma de J-invertido. Em cada estrato foi delimitada uma parcela para aplicação da função K de Ripley, a fim de investigar o padrão e a relação espacial das espécies mais importantes de cada grupo florístico, as quais foram analisadas também as suas distribuições diamétricas. A maior parte das espécies estudadas apresentou distribuição diamétrica decrescente e o padrão de distribuição espacial agregado. As espécies com distribuição diamétrica unimodal ou próximas da normal tenderam a apresentar o padrão de distribuição espacial aleatório. A análise da relação espacial entre as espécies demonstrou que as dominantes do dossel e com distribuição diamétrica unimodal como Araucaria angustifolia, Myrcia hatschbachii e Ocotea puberula tendem a ter relação de repulsão ou inibição entre si e as demais espécies, enquanto que espécies com distribuição diamétrica decrescente tendem a formar agregados. Palavras chave: Análise de agrupamento e discriminante. Fitossociologia. Função K de Ripley.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The intense exploitation of Mixed Ombrophylous Forest in the last century, has resulted in a drastic reduction of its area, which once occupied approximately 20 million hectares only in the State of Paraná. Within this context, emerged in recent years the need to generate knowledge about the structure of these remnants in order to assist in the development and planning of new techniques to conserve and rationally use this resource. This research was designed to evaluate the floristic and structure of a fragment of 15.24 ha of Mixed Ombrophylous Forest located in Curitiba, Paraná, southern Brazil, where a forest census was conducted. The area was divided into blocks of 50 x 50 m, which were georeferenced from the northern grid of a map of the area and materialized on the field with the use of a theodolite. Using bands of 10 x 50 m in the blocks, each tree with DBH above 10 cm was measured, numbered, identified and mapped. Obtained the database, the cluster and discriminant analysis were proceeded in order to form homogeneous floristic groups, in which it analysed the phytossociology and diametric structure. The Cluster and discriminant analysis allowed to obtain four distinct floristic groups, with 10 discriminant variables (species), which Schinus terebinthifolius, Gochnatia polymorpha and Symplocos tetrandra were the species with the highest discriminant score. Performing the phytosociological analysis of the groups, four strata were identified, two typical strata of Mixed Ombrophylous Montane Forest, edge Mixed Ombrophylous Montane Forest and Alluvial Forest. In the strata of edge Mixed Ombrophylous Forest and Alluvial Forest the most important species were Gochnatia polymorpha, Schinus terebinthifolius and Sebastiania commersoniana. In the two associations of Mixed Ombrophylous Forest, the most important species were Araucaria angustifolia, Casearia sylvestris, Symplocos tetrandra, Casearia obliqua, Jacaranda puberula, Luehea divaricata, Myrcia hatschbachii and Ocotea puberula. The diametric distribution of all strata was inverted J or decreasing distribution. In each stratus a parcel for the application of Ripley's K function was defined in order to investigate the pattern and the spatial relationship of the most important species of each floristic group, which were also analyzed their diametric distributions. Most of the studied species presented decreasing diametric distribution and aggregated pattern of distribution. The species with unimodal or near normal diametric distribution tended to show the random pattern of spatial distribution. The analysis of spatial relationship between species showed that canopy species with unimodal diametric distribution as Araucaria angustifolia, Myrcia hatschbachii and Ocotea puberula tend to have repulsion relationship between themselves and the other species, while species with decreasing diametric distribution tend to form aggregates. Key words: Cluster and discriminant analysis. Phytossociology. Ripley's K function.pt_BR
dc.format.extent130f. : il. algumas color., grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.subjectMapeamento florestal - Paranápt_BR
dc.subjectComunidades vegetais - Paranápt_BR
dc.subjectLevantamentos florestais - Paranápt_BR
dc.titleAvaliação florística e estrutural de uma floresta ombrófila mista montana urbanapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record