Show simple item record

dc.contributor.authorRoeder, Sarahpt_BR
dc.contributor.otherRocha Júnior, Roosevelt Araújo dapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Artes, Comunicação e Design. Programa de Pós-Graduação em Músicapt_BR
dc.date.accessioned2014-12-11T11:26:18Z
dc.date.available2014-12-11T11:26:18Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/36882
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Roosevelt Araújo da Rocha Juniorpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Artes, Comunicação e Design, Programa de Pós-Graduação em Música. Defesa: Curitiba, 31/03/2014pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração : Musicologia históricapt_BR
dc.description.abstractResumo: O Contra os Músicos de Sexto Empírico é uma importante fonte sobre o papel da música na Antiguidade. Nesta obra, o filósofo cético refuta a teoria musical tanto sob a perspectiva ética – questionando sua utilidade, quanto sob a perspectiva técnica – apresentando argumentos contra conceitos fundamentais da ciência musical como o de melodia e o de ritmo. A refutação da teoria musical compartilha de um objetivo mais amplo da Filosofia cética, a saber, o combate ao dogmatismo na Filosofia e nas disciplinas que compunham os Estudos Cíclicos. O presente trabalho consiste na tradução comentada do Contra os Músicos. Em nosso comentário à obra, buscamos reunir as ferramentas necessárias para uma interpretação dessa obra sob a perspectiva filosófica e a perspectiva musicológica. Partimos da divisão hierárquica entre teoria e prática musical e, em função disso, apresentamos um panorama geral da teoria musical na Antiguidade, segundo duas perspectivas: o papel psicagógico da música e os aspectos técnicos da ciência musical. Enfatizamos, por um lado, a importância da teoria do ethos musical no pensamento filosófico de Platão e de Aristóteles, e, por outro, a concepção de teoria musical enquanto ciência autônoma desenvolvida por Aristóxeno. Além disso, devido à sua semelhança com o Contra os Músicos, apresentamos a crítica ao papel ético da música elaborada pelo filósofo epicurista Filodemo. Buscamos, em seguida, explicar a mousike enquanto uma das artes que faziam parte dos Estudos Cíclicos que, privilegiando o âmbito teórico, constituíam ainda uma propedêutica à Filosofia. Depois disso, situamos a obra no âmbito da Filosofia cética mostrando que, em todos os livros do Contra os Professores, o cético parte de uma dicotomia entre arte teórica e prática e que sua refutação diz respeito apenas à precipitação dogmática de sustentar teorias sobre cada uma das tekhnai. Por fim, analisamos em detalhe os argumentos que compõem o Contra os Músicos, mostrando que estes refutam somente o âmbito teórico da música, abrindo espaço para uma reflexão a respeito do valor da prática musical na cultura grega antiga. Palavras-chave: Música Grega Antiga. Ceticismo. Ethos. tekhne. Sexto Empírico. Estudos Cíclicos.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Sextus Empiricus' work called Against the Musicians is an important source about music in the Ancient Greece. In this book, the skeptic attempts to refute musical theory of that times on the ethical way – questioning its utility as well as on the technical perspective – arguing against fundamental concepts of this science such as melody and rhythm. The refutation of musical theory is part of a broader goal in Sextus' work - and on the Skeptical Philosophy project as a whole: to oppose dogmatism in philosophy and in the Cyclical Studies' subjects. Our work consists of a translation and a commentary on Against the Musicians. The commentary aims to present the necessary tools for an interpretation of Against the Musicians in philosophical and musicolgical terms. We followed the hierarchycal division between musical theory and practice as a starting point and present music theory in Ancient times by two perspectives: music's psychagogic role and technical aspects of music science. We emphasized the importance of the theory of musical ethos in Plato's and Aristotle's philosophy, Aristoxenus' development of music theory as an autonomous science and Philodemus' critic regarding music's ethical role. An effort was made to explain mousike as one of the arts of the Cyclical Studies. These favoured the theorical range, also constituting a propedeutic to Philosophy. After that, we put the work into its philosophical context by showing that the whole Against the Professors assumes a dichotomy between theorical and practical art and that the refutation concerns only the dogmatic precipitancy to firmly mantain theories about each one of the tekhnai. At last, a detailed analysis was made on the arguments that make up the Against the Musicians, showing that these arguments extends just to the theorical part of music, enabling us to reflect upon the value of musical practice. Keywords: Ancient Greek Music. Skepticism. Ethos. Tekhne. Sextus Empiricus. Cyclical Studies.pt_BR
dc.format.extent132f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.subjectMusica grega e romanapt_BR
dc.subjectCeticismopt_BR
dc.subjectSexto Empíricopt_BR
dc.subjectDesignpt_BR
dc.titleO contra os músicos de sexto empírico : introdução, tradução e comentáriospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record