Show simple item record

dc.contributor.authorAltoé, Stella Maris Limapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduação em Contabilidadept_BR
dc.contributor.otherVoese, Simone Bernardespt_BR
dc.date.accessioned2014-09-17T16:55:15Z
dc.date.available2014-09-17T16:55:15Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/36106
dc.description.abstractResumo: Recentemente, work-life balance tem sido tema de algumas discussões que visam a integração entre o trabalho e a família, com o intuito de minimizar os conflitos de papéis inerentes a estas esferas. Observa-se que trabalho e família constituem-se como os domínios mais relevantes da vida das pessoas. Neste sentido, o presente estudo foi desenvolvido com o propósito de identificar os fatores que explicam a percepção de contadores paranaenses quanto ao seu work-life balance e verificar a relação destes fatores com a gestão do tempo, que é considerado o principal motivo para a redução do equilíbrio. Utilizou-se a Psicologia Positiva como teoria que fundamenta esta pesquisa, na vertente do bem-estar subjetivo, tendo em vista que, a partir do work-life balance e uma adequada gestão do tempo, os indivíduos tendem a alcançar maiores níveis de satisfação, motivação e bem-estar em suas relações. Trata-se de uma pesquisa exploratória com abordagem quantitativa. Para a coleta dos dados utilizou-se um instrumento de pesquisa adaptado do estudo de Wong e Ku (2009), que ficou disponível à população alvo durante os meses de setembro a novembro de 2013, por meio do aplicativo eletrônico Google Docs. Os contadores paranaenses foram definidos como população dada sua relevância na conjuntura organizacional e ainda pela ausência de estudos que considerem esta abordagem. Foram obtidas 267 respostas que sucederam nos principais achados relatados a seguir. A amostra constituiu-se essencialmente por contadores com idades entre 18 e 49 anos e casados. A partir da técnica de Análise Fatorial, foram três os fatores identificados como explicativos de worklife balance: (1) apoio no trabalho; (2) comprometimento com o trabalho; e (3) comprometimento com a família e aspectos pessoais, fatores estes definidos como variáveis independentes. Para verificar as possíveis diferenças entre grupos, realizou-se o Teste t-student para gênero e cidade de atuação dos profissionais contábeis e Anova para faixa etária, estado civil e tipo de organização que os profissionais atuam. Assim, tais variáveis de perfil foram relacionadas aos três fatores de work-life balance identificados e à variável dependente denominada tempo. Constatou-se que somente o estado civil não apresentou diferença de médias, indicando que o estado civil não interfere na percepção dos contadores paranaenses quanto ao seu work-life balance. Entretanto, para as demais hipóteses testadas, ao menos uma diferença foi diagnosticada. Adicionalmente, realizou-se Regressão Linear Múltipla. Os resultados demonstram que apenas a percepção de apoio no trabalho (fator 1) associou-se positivamente com o tempo. Logo, o apoio do gestor imediato e dos colegas de trabalho favorecem ao bem-estar laboral. Por outro lado, o comprometimento com o trabalho (fator 2) e o comprometimento com a família e aspectos pessoais (fator 3) relacionaram-se negativamente com a variável dependente definida. Assim, os contadores que apresentam uma jornada excessiva de trabalho acreditam que esta dedicação reflete negativamente nas demais esferas e consequentemente impacta na sua percepção de work-life balance.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.titleFatores explicativos do Work-Life balance de contadores à luz da psicologia positivapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record