Show simple item record

dc.contributor.authorQueirós, Vanessapt_BR
dc.contributor.otherGonçalves, Nádia Gaiofattopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Educação. Programa de Pós-Graduaçao em Educaçaopt_BR
dc.date.accessioned2014-08-27T18:14:56Z
dc.date.available2014-08-27T18:14:56Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/35883
dc.description.abstractResumo: A Lei nº 5.692/71 modificou a estrutura de ensino do país, na qual o curso primário e o antigo ginásio se tornaram um só curso, de 1º grau. Foi promulgada no contexto da ditadura civil-militar, sendo um dos principais marcos legais na educação durante esse período. O Estado do Paraná promoveu políticas públicas e se organizou perante a lei, em consonância com as diretrizes federais. Este trabalho se propôs a desenvolver um estudo mais aprofundado em relação ao Instituto de Educação do Paraná (IEP) e seu currículo de 1º grau, a partir da reforma promovida pela Lei nº 5.692/71, buscando compreender articulações entre o contexto histórico, políticas educacionais e estruturação curricular dela derivada, e como nessa instituição escolar, a lei foi recebida, apropriada e representada. Investigou-se como a referida lei aborda a função da escola e do ensino de 1º grau, quais são suas especificidades e objetivos e como as propostas educacionais do IEP em âmbito formal se deram a partir dessa lei, quanto ao currículo de 1º grau. O recorte temporal está delimitado entre os anos de 1971, ano da promulgação da lei, até 1976, ano final da implementação da lei no Paraná, por meio do Plano Estadual de Educação, iniciado em 1973. Utilizou-se como fontes, jornais, revistas, legislação de ensino, fontes orais e acervo documental do IEP. Como referenciais para análise, utilizou-se os conceitos de representação e apropriação de Chartier (1985) e o entendimento acerca do currículo, de Goodson (1998). No primeiro capítulo aborda-se algumas concepções e representações sobre educação no contexto da ditadura civil-militar e apropriações e representações a partir dessa lei no Estado do Paraná. No segundo capítulo buscou-se compreender a dinâmica do IEP, seu histórico, espaços pedagógicos, corpo docente, principais características na construção curricular e, com o advento da Lei nº 5.692, quais foram as discussões perante ela e os primeiros encaminhamentos para a sua implantação. E no terceiro capítulo estudou-se a função do ensino de 1º grau, o currículo de 1º grau com a lei 5692/71; a organização curricular do Estado do Paraná perante a lei e representações e apropriações sobre o currículo de 1º grau no Instituto de Educação do Paraná. Como principais resultados pode-se destacar, que nesse contexto, a educação estava aliada ao desenvolvimento social e o ensino que deveria formar o cidadão útil à sociedade, com uma concepção filosófica , ao mesmo tempo pragmatista e humanista cristã, a qual também foi apropriada pelo IEP no embasamento de seu currículo formal com a lei nº 5692/71, também percebeu-se que a referida lei tinha fundamento na psicologia evolutiva de Jean Piaget, a qual foi mais aprofundada pelo estado do Paraná e ainda mais pelo IEP, que ordenou o currículo conforme as etapas do desenvolvimento presentes nessa concepção. Além disso, o IEP tinha uma preocupação com sua imagem externa, pois tinha uma representação de instituição modelar, sendo que ao mesmo tempo não se distanciou tanto das concepções filosóficas e pedagógicas que estavam presentes no currículo anterior à lei 5692/71 e também se aproximou principalmente das orientações do estado do Paraná quanto à construção do currículo de 1ºgrau, apropriando e se aprofundando em referenciais pedagógicos sugeridos em documentos elaborados no período.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.titleInstituto de Educação do Paranápt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record