Show simple item record

dc.contributor.authorSurek, Diegopt_BR
dc.contributor.otherMaiorka, Alexpt_BR
dc.contributor.otherKrabbe, Everton Luispt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterináriaspt_BR
dc.date.accessioned2014-08-06T17:09:43Z
dc.date.available2014-08-06T17:09:43Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/35736
dc.description.abstractResumo:A melhoria do desempenho zootécnico dos leitões na fase de maternidade é objetivo constante de pesquisas na suinocultura, assim como o estudo da variabilidade de peso dos animais ao longo das fases de criação. A limitada disponibilidade do alimento natural, leite, durante a fase de lactação é apontada com um fator restritivo ao crescimento dos animais. Muitos autores relacionam maior peso ao nascimento com melhor ganho de peso na maternidade e maior peso ao desmame. O objetivo do primeiro artigo foi avaliar a relação do peso ao nascimento com crescimento de leitões lactentes quando em condição de uniformidade de peso inicial na leitegada. Foram selecionadas 44 marrãs (Landrace x Large White) que pariram na mesma semana. Os leitões provenientes dessas porcas foram individualmente pesados e tranferidos para se obter leitegadas com 11 animais e equalizadas em relação ao peso inicial (CV, inferior a 5%). Baseado no peso ao nascimento foram formadas quatro classes de peso da leitegada: classe 1 (> 1,10 kg até _ 1,33 kg), classe 2 (> 1,34kg até _ 1,46 kg), classe 3 (> 1,47 kg até _ 1,57 kg) e classe 4 (> 1,58 kg até _ 1,88 kg). Aos 21 dias de idade, os leitões foram pesados para determinar o peso final, ganho de peso diário e ganho de peso relativo ao peso inicial. O objetivo do segundo artigo foi avaliar o efeito de diferentes taxas de ganho de peso na maternidade por classe de peso ao nascimento sobre o ganho de peso na creche. Foram selecionados 534 leitões, provenientes de 55 porcas de primeiro ciclo de produção (Landrace x Large White) que pariram na mesma semana. Os leitões foram pesados ao nascimento, desmame e saída da creche. A análise dos dados foi realizada categorizando os animais em três faixas de peso ao nascimento (baixo, médio e alto) e, posteriormente, dois desempenhos dos leitões na maternidade (alto e baixo ganho de peso diário) para cada faixa de peso ao nascimento. A análise dos dados seguiu um delineamento inteiramente casualizado, inicialmente com 3 tratamentos e, posteriormente, com 6 tratamentos. A conclusão foi que o peso ao nascimento não influenciou o ganho de peso na maternidade quando os leitões estavam em condição de uniformidade de peso na leitegada, evidenciando a necessidade de atenção especial à questão de variabilidade de peso inicial da leitegada, pois leitões pequenos podem sofrer restrição alimentar mais severa que leitões maiores em leitegas desuniformes. Dentro da mesma classe de peso, os animais com baixo ganho de peso na maternidade não tiveram prejuizos no seu desempenho no período de creche em comparação aos animais com alto ganho de peso na maternidade. Palavras-chave: ganho compensatório, lactação, peso, primíparas, suínospt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleEstudo do crescimento dos leitões na fase de maternidade e crechept_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record