Show simple item record

dc.contributor.authorMochi Junior, Cássio Marcelopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Zoologiapt_BR
dc.contributor.otherTiepolo, Liliani Mariliapt_BR
dc.date.accessioned2014-07-24T13:52:20Z
dc.date.available2014-07-24T13:52:20Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/35641
dc.description.abstractResumo: A diversidade na Mata Atlântica faz parte de um contínuo de biodiversidade que se estende do México até o Sul do Brasil. Espécies endêmicas, tanto da fauna quanto da flora, fazem desse bioma um dos mais importantes componentes da diversidade global, mesmo sendo afetado pela fragmentação e devastação de suas poucas áreas preservadas. Tão diverso quanto a Mata Atlântica é o grupo dos pequenos mamíferos não-voadores, composto pelas Ordens Didelphimorphia e Rodentia. São relevantes na dinâmica das florestas e bons indicadores da qualidade ambiental. Buscando caracterizar essa variada fauna, o presente estudo realizou esforços em uma das maiores áreas preservadas de Mata Atlântica do Sul do Brasil, o Parque Nacional Saint-Hilare/Lange, que abrange os municípios de Matinhos, Paranaguá, Morretes e Guaratuba, todos localizados no litoral sul do Estado do Paraná, durante os meses de novembro de 2012 a outubro de 2013. Para a avaliação da riqueza foram utilizados os estimadores ACE, Chao2 e Bootstrap. Utilizamos uma Análise de Similaridade entre as áreas e entre o PNSHL e outras áreas da Mata Atlântica no Brasil por meio de inventários realizados por diversos autores. Utilizamos também o conceito de partição da diversidade em uma Análise Partitiva da Diversidade Com esforço amostral de 3.674 armadilhas.noite, foram capturados 249 indivíduos de 17 espécies, sendo 10 de Rodentia (Akodon cursor, Akodon montensis, Delomys sublineatus, Euryoryzomys russatus, Juliomys pictipes, Nectomys squamipes, Oligoryzomys nigripes, Oxymycterus dasytrichus, Oxymycterus judex e Thaptomys nigrita) e 7 espécies de Didelphimorphia (Didelphis aurita, Metachirus nudicaudatus, Micoureus paraguayanus, Monodelphis americana, Monodelphis iheringi, Monodelphis scalops e Philander frenatus). O estimador ACE revelou uma riqueza de 19,13, valor maior que a riqueza observada, já Chao2 resultou em 16,28 e Bootstrap 16,66, resultados bem próximos do valor da riqueza observado. Pela Análise de Similaridade as áreas da Fazenda Niterói e do Rio Miranda foram mais similares. O PNSHL nos mostrou ser mais similar com áreas de Santa Catarina, do que São Paulo ou Rio de Janeiro, revelando que a Mata Atlântica Subtropical possui uma fauna com elementos comuns. Com este estudo, ampliamos o conhecimento mastofaunístico do litoral do Estado do Paraná para áreas de formação florestal submontana, encontrando alta riqueza de espécies de roedores e marsupiais em relação a outras formações de altitudes mais elevadas, um dado pouco abordado em toda a Mata Atlântica.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.subjectMamifero - Paranápt_BR
dc.subjectRoedorpt_BR
dc.subjectMarsupialpt_BR
dc.subjectMata Atlanticapt_BR
dc.titleComposição taxonômica e avaliação da diversidade da fauna de pequenos mamíferos não-voadores na formação submontana do Parque Nacional Saint-Hilaire/Lange, Mata Atlântica costeira do Paranápt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record