Show simple item record

dc.contributor.authorTodero, Sara Regina Barancellipt_BR
dc.contributor.otherRebellato, Nelson Luis Barbosapt_BR
dc.contributor.otherFerreira, Fernanda de Moraispt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Odontologiapt_BR
dc.date.accessioned2014-07-23T12:33:03Z
dc.date.available2014-07-23T12:33:03Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/35635
dc.description.abstractResumo: Considerando que o sono têm influência nas funções cognitivas e pode interferir nos níveis de atenção e nas habilidades motoras das crianças, este estudo objetivou avaliar a associação entre o Traumatismo Alvéolo-dentário (TAD) e o Comportamento do Sono em escolares de 8 a 10 anos de idade. Foi realizado um estudo transversal com 622 crianças de ambos os sexos, matriculadas em escolas públicas do município de Campo Magro-PR, Brasil. A busca por sinais clínicos de TAD seguiu a classificação de Andreasen e Andreasen (2001) para traumatismo e a classificação de Cortes, Marcenes e Sheiham (2001) para verificação de sequelas. Dados de trespasse horizontal e medidas antropométricas também foram coletados. As crianças foram examinadas na própria escola, por uma única examinadora previamente calibrada. Os pais/responsáveis responderam a um questionário sobre o comportamento do sono (Sleep Behavior Questionaire (SBQ), traduzido e validado para avaliar este comportamento em crianças brasileiras com idades entre 7 e 14 anos. Informações das condições socioeconômicas também foram colhidas através de outro questionário respondido pelos pais/responsáveis. Foram realizadas análises descritivas e de regressão de Poisson com variância robusta para verificar possíveis associações entre o TAD e o Comportamento do Sono. As variáveis com p < 0,20 nas análises bivariadas foram selecionadas para a construção do modelo múltiplo de regressão, sendo mantidas no modelo final aquelas que permitiram um melhor ajuste do mesmo, que se mantiveram significantes (p < 0,05) e aquelas que o referencial teórico indicava como possíveis variáveis de confusão. A prevalência de TAD foi de 21% (IC 95% = 18-24%). Esta prevalência foi maior nas crianças que apresentaram sonolência diurna (RP = 1,46, IC 95% = 1,06-2,02), naquelas que frequentemente acordavam de 3 a 4 vezes por noite (RP = 3,32, IC 95% = 2,22-4,95), adormeciam na cama dos pais (RP = 1,43, IC95% = 1,03-1,98), ficavam sonolentas enquanto sentadas ou estudando (RP=1,51, IC95% = 1,08-2,10). Porém as crianças que poucas vezes ou nunca iam para a cama dispostas apresentaram uma menor prevalência de TAD (RP = 0,55, IC95% = 0,32-0,95). No modelo múltiplo, a prevalência de sinais clínicos de TAD foi 1,51 vezes maior nas crianças com sonolência diurna (RP = 1,51, IC95% = 1,05-2,16) comparadas às que não apresentaram sonolência e esta associação permaneceu significante independentemente da renda, da escolaridade do responsável, do sexo, do peso, da estatura, do trespasse horizontal e da presença de selamento labial da criança. Conclui-se que para esta amostra de escolares do sul do Brasil, a prevalência de traumatismo alvéolo-dentário esteve associada a ocorrência de distúrbios no comportamento do sono. Palavras-Chavte: Crianças, prevalência, traumatismos dentários; distúrbios do sono; sonolência.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.titleAssociação entre o traumatismo alvéolo-dentário e o comportamento do sono em escolarespt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record