Show simple item record

dc.contributor.authorGhelfi, Arianept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservaçãopt_BR
dc.contributor.otherAssis, Helena Cristina da Silva de, 1963-pt_BR
dc.date.accessioned2014-07-10T12:21:21Z
dc.date.available2014-07-10T12:21:21Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/35405
dc.description.abstractResumo: Entre os contaminantes emergentes que vem impactando os corpos d'água estão os fármacos. A presença de medicamentos tem sido detectada em diversos países não só na água como no solo e em sedimentos. Muitas vezes, os tratamentos de efluentes tradicionais não são eficazes na eliminação dessas substâncias, e desta forma elas ficam disponíveis no ambiente, oferecendo risco a organismos aquáticos e terrestres por serem potencialmente tóxicos. Entre esses fármacos está o diclofenaco, um anti-inflamatório amplamente prescrito mundialmente, que possui ação analgésica, anti-inflamatória e antipirética. Este trabalho objetivou avaliar os potenciais efeitos agudos tóxicos deste medicamento para o ambiente aquático, através de um bioensaio com peixes Rhamdia quelen, uma espécie nativa da América do Sul. Organismos juvenis foram expostos nas concentrações de 0,2, 2 e 20 ?g/L de diclofenaco sódico em água. Após 96 horas de exposição os animais foram anestesiados para a coleta de sangue e posteriormente eutanasiados. No fígado e rim posterior foram avaliados os biomarcadores bioquímicos de estresse oxidativo CAT, SOD, GPX, GSH, GST e LPO e para avaliar a genotoxicidade foi utilizado o ensaio cometa. No sangue foram avaliados biomarcadores hematológicos e o genotóxico. No fígado não foi evidenciada nenhuma alteração nos biomarcadores bioquímicos e na genotoxicidade. No rim foi observado aumento na atividade da SOD nas concentrações de 2 e 20 ?g/L, diminuição da LPO e de dano genético na maior concentração de diclofenaco testada. Nos resultados dos ensaios hematológicos o número de eritrócitos diminuiu nas concentrações de 0,2 e 2 ?g/L, o número de neutrófilos aumentou na maior concentração e o de monócitos apresentou aumento na concentração de 2 ?g/L. O número de linfócitos e mononucleares diminuiu nas concentrações de 2 e 20 ?g/L. Esses resultados sugerem que a exposição aguda ao diclofenaco provoca alterações hematológicas e renais em R. quelen, apresentando risco potencial de afetar essa espécie e consequentemente o ecossistema no qual encontra-se inserida.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.subjectDiclofenacopt_BR
dc.subjectMarcadores biologicospt_BR
dc.subjectBagre (Peixe)pt_BR
dc.titleEfeitos toxicológicos do diclofenaco em peixes Rhamdia quelenpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record