Show simple item record

dc.contributor.authorDallagnol, Juliana Cristina Cunicopt_BR
dc.contributor.otherGonçalves, Alan Guilhermept_BR
dc.contributor.otherDucatti, Diogo Ricardo Bazanpt_BR
dc.contributor.otherBarreira, Sandra Mara Woranoviczpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticaspt_BR
dc.date.accessioned2014-05-23T17:56:50Z
dc.date.available2014-05-23T17:56:50Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/35099
dc.description.abstractResumo: Porfirinas fazem parte de uma classe de substâncias denominadas fotossensibilizadores (FS), as quais são utilizadas na terapia fotodinâmica (TFD) com diversas finalidades, dentre elas para o tratamento do câncer. A citotoxicidade dos FS deve-se a geração de espécies reativas de oxigênio, em especial o oxigênio singlete, no tecido alvo após a irradiação dos mesmos. Com o intuito de solucionar alguns problemas associados à primeira geração de porfirinas, como a falta de pureza química, a baixa absorção de luz em comprimentos de onda adequados e a fotossensibilidade cutânea prolongada gerada por essas substâncias, inúmeras moléculas vêm sendo sintetizadas e estudadas. Essa segunda geração de porfirinas absorve em comprimentos de onda mais elevados (o que permite maior penetração da luz nos tecidos) e produz menos efeitos adversos comparados à primeira geração. Recentemente, tais moléculas têm sido conjugadas a carreadores, sendo reportadas como a terceira geração de FS. A ligação com motivos carboidratos específicos objetiva o acúmulo seletivo da droga nos tecidos tumorais e o aumento da hidrossolubilidade dos novos compostos. Neste trabalho reportou-se a síntese de seis novos derivados porfirínicos ligados através dos grupos tiocarbamida, tiocarbamato e carbamato, sendo três deles glicoporfirinas. Utilizaram-se técnicas convencionais e assistidas por ultrassom para obtenção das substâncias em questão. Os melhores rendimentos foram obtidos para síntese dos derivados glicoporfirínicos tiocarbamida (72 %) e carbamato (49 %). Para elencar as moléculas mais promissoras para utilização na TFD levou-se em consideração os rendimentos de síntese e os resultados de ensaios fotofísicos. Através dos dados obtidos neste trabalho pode-se constatar que os conjugados porfirínicos que possuem o motivo carbamato como grupo de ligação são os mais promissores para futuros estudo in vitro e in vivo em comparação com as demais moléculas estudadas. Esta constatação deve-se ao fato de que estes compostos apresentaram características desejadas para um bom FS, como por exemplo, a fotoestabilidade, o maior rendimento de oxigênio singlete e a não agregação em meio aquoso.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleSíntese e avaliação fotofísica de derivados porfirínicos conjugados através dos grupos Tiocarbamida, Tiocarbamato e Carbamatopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record