Show simple item record

dc.contributor.advisorTorres, Luis Fernando Belgript_BR
dc.contributor.authorAntoniuk, Sergio Antonio, 1955-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paranapt_BR
dc.contributor.otherKanegusuku, Marilu Stimamiglio, 1953-pt_BR
dc.date.accessioned2014-04-14T15:37:08Z
dc.date.available2014-04-14T15:37:08Z
dc.date.issued1989pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/35006
dc.description.abstractResumo: Foram realizadas 220 ultra - sonografias intracranianas em 100 recém-nascidos prematuros e de termo, utilizando apare lhos de Modo B. Oitenta pacientes foram estudados em vida e 20 após o óbito . Características morfológicas e morfométricas foram descritas , através do estudo de 8 planos coronais, 3 sagitais e 2 axiais . Os estudos pós-morte foram comparados com os respectivos cortes anatômicos. A ultra-sonografia intracraniana foi um exame simples de ser realizado, tecnicamente fáci1, relativamente de baixo custo e sem radiações ionizantes. As estruturas mais evidentes foram o sistema ventricular, particularmente os ventrículos laterais anaecogênicos, em contraste com os vasos, plexo coroide, ossos e cerebelo hiperecogênicos. 0 parenquima cerebral e gânglios da base apresentaram-se ao exame com ecogenicidade intermediaria entre estas estruturas. As cisternas, exceto a cisterna magna, anaecogênica, apresentaram alta ecogenicidade pela presença dos vasos no seu interior . O sulco caudo-ta1âmico separando o caudado e o tá1amo foi importante ponto de referencia utilizado para identificação das hemorragias. Entre as variações normais foram identificadas áreas hiperecogênicas periventriculares, na área do centro semi- oval e radiações ópticas, cavidade do septo pe1ucído e o "cavum vergae" e dilatação do corno occipital do ventrículo lateral . Os ventrículos laterais foram mensurados nos planos coronais e sagitais e as suas medidas permaneceram constantes em relação a idade gestacional com uma variação media de 2,0 a 2,7 mm. A avaliação do 39 ventrículo foi muito laboriosa com variações importantes devido a dificuldade de sua identificação. Os índices ventricular e biventricular apresentaram medidas significativamente maiores em relação com a idade gestacional representando o crescimento dos hemisférios cerebrais e não a medida real do ventrículo lateral . A relação ventricular ( índice ventricular/hemisfério cerebral ) manteve-se sem diferença significativa a cada idade gestacional e foram considera_ dos como limites normais os valores abaixo daqueles correspondentes a + 2 DP que variou entre 0.35 a 0.48. A ultrassonografia intracraniana pode ser considerada como normal quando obedecer os critérios avaliados no estudo incluindo tamanho ventricular inferior a + 2 DP, presença de imagens ecogênicas normais, posição e tamanho das estruturas anatômicas compatíveis com a normalidade estabelecida e pulsatibi1idade normal dos vasos e plexo coroide.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectCranio - Recem-nascidopt_BR
dc.subjectRecem-nascido - Ultrasonografiapt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleUltra-sonografia intracranianapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record